Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Festa da Presa em honra da Senhora das Necessidades e da Luz com música e comida tradicional

Aquela que é a 128ª Festa da Presa, na freguesia de Alcaravela, Sardoal, arranca esta sexta-feira, 31 de agosto, e decorre até domingo, 2 de setembro, em honra de Nossa Senhora das Necessidades e da Luz. Três dias de festejos que contam com jantares com pratos tradicionais, bar, quermesse e tasquinhas de mimos caseiros.

- Publicidade -

O arraial abre esta sexta-feira, às 19h00, iniciando, uma hora depois, o serviço de jantares com Queixadas no Forno e Grelhados. Às 22h30 animação musical com a Banda Acesso.

Sábado, a festa arranca à hora de jantar (20h00) com Chanfana, Cozinha Fervida com Bacalhau e Frango Assado. Três horas mais tarde, música com a atuação do Grupo À-Part.

- Publicidade -

No domingo, haverá peditório pela aldeia, às 09h00, e às 15h00 missa solene seguida de procissão. Às 17h00 tem lugar a atuação do Rancho Folclórico ‘Os Resineiros’ de Alcaravela. Pelas 19h30 é a vez da atuação do teclista e acordeonista Rui Miguel. À semelhança dos dias anteriores os jantares servem-se a partir das 20h00 com Cozinha Fervida e Grelhados. A festa encerra com Rui Miguel que continua a sua atuação a partir das 21h30.

O organização da Festa está a cargo da Associação Recreativa da Presa.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome