Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Novembro 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Fechado há oito anos, posto de saúde de Alcaravela reabre em janeiro

O posto de saúde de Alcaravela vai reabrir. A garantia foi dada por Miguel Borges durante a reunião de Câmara Municipal realizada no dia 13 de dezembro. O presidente (PSD) adiantou que, numa primeira fase, funcionará “duas manhãs por semana”. No entanto, existe uma condição que Miguel Borges considera “fácil” de cumprir: para que o posto reabra já em janeiro “são necessárias 700 inscrições”.

- Publicidade -

- Publicidade -

Assim, o autarca propõe aos sardoalenses inscritos no Centro de Saúde de Sardoal, ou eventualmente noutro centro de saúde, “que façam ou transfiram a sua inscrição” para Alcaravela no sentido de atingir o número de 700 utentes exigido pela Administração Regional de Saúde (ACES) para que “pelo menos duas manhãs por semana” o posto de saúde Alcaravela reabra com “um médico, um enfermeiro e um administrativo”.

O posto de saúde de Alcaravela está encerrado há oito anos e a sua reabertura vai beneficiar diretamente mais de um milhar de habitantes.

- Publicidade -

Referindo-se aos cuidados de saúde primários no concelho, o autarca manifestou-se satisfeito, garantindo que “há muito tempo que Sardoal não apresentava uma situação tão estável”. O presidente mencionou ainda os três médicos que trabalham agora no Centro de Saúde de Sardoal.

Do lado da oposição, o vereador Pedro Duque (PS) elogiou o empenho pessoal do presidente na questão da colocação de médicos nos postos de saúde do concelho e aproveitou para elogiar a política de saúde do atual Governo.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome