Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Julho 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal: Executivo estuda apoio para medicamentos de idosos

A agenda das reuniões do executivo municipal sardoalense em 2016 teve início no passado dia 6 com um alerta do presidente da autarquia sobre a desinformação em torno da atribuição de um subsídio aos idosos do concelho na compra de medicamentos. Este apoio foi apresentado pelo vereador socialista Fernando Vasco na última reunião camarária como uma proposta de intenção que o executivo irá analisar.

- Publicidade -

Antes da Ordem do Dia, António Miguel Borges salientou que o subsídio mensal para os idosos com 80 ou mais anos de idade residentes no concelho não foi aprovado na reunião do passado dia 23 de dezembro de 2015, ao contrário do que chegou a ser noticiado pela comunicação social e partilhado nas redes sociais. A proposta de intenção apresentada pelo vereador Fernando Vasco (PS) será analisada e poderá ser levada a votação posteriormente.

Pedro Duque (PS), em substituição de Fernando Vasco nesta reunião, confirmou tratar-se ainda de “um compromisso do executivo” e não uma realidade. Rui Serras (GIS) apontou a necessidade de se informar a população para evitar a criação de “falsas expetativas”.

- Publicidade -

Esta reunião, em que se aprovaram o novo modelo organizativo do Corpo de Bombeiros Municipais de Sardoal e o Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo, foi antecedida pela visita surpresa dos utentes da valência de lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia do Sardoal que cantaram os Reis ao presidente António Miguel Borges e ao vereador Pedro Rosa (PSD).

DSCF9252

Os idosos da Santa Casa da Misericórdia do Sardoal apareceram de surpresa para cantar os Reis

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome