Sardoal | Dia dos Moinhos celebrado à grande em Entrevinhas (C/FOTOS)

O núcleo de Moinhos de Entrevinhas, em Sardoal, foi palco de comemoração do Dia Nacional dos Moinhos (que se celebra anualmente a 7 de abril), e aderindo à iniciativa Moinhos Abertos de Portugal foi possível visitar o interior do núcleo museológico com ferramentas e objetos antigos ligados à história do último moleiro de Entrevinhas, Tiago dos Santos Baptista. Além das atividades de jogos tradicionais, insuflável para as crianças e animação musical, e do passeio pedestre logo pela manhã, houve quem trouxesse a manta para fazer piquenique à sombra dos altos pinheiros.

PUB

Víctor Lopes Pires, presidente da JF de Sardoal falou-nos sobre o contexto histórico daquele lugar, enquanto nos guiou numa visita ao núcleo museológico. Lembrou que os entendidos na matéria não conseguem ao certo atribuir uma data sobre quando terão sido erigidos os moinhos, mas destacou duas fases de intervenção para conservação do espaço, com especial importância em termos históricos e culturais para a aldeia e para o concelho de Sardoal.

“Nestes tempos mais modernos já houve duas recuperações, uma que foi todo este espaço dos moinhos porque estavam completamente, quase, a zero. Tinha aqui umas paredes que, para quem sabia que antes existiam aqui moinhos, sabia. Quem não sabia, nem dizia que eram moinhos que existiam aqui”, recordou.

PUB

Em 1999, a primeira grande recuperação, trabalhou todo o espaço envolvente, incluindo intervenção florestal para que o alto dos moinhos pudesse ter uma visão panorâmica sobre a região e nomeadamente sobre o concelho de Sardoal e parte do concelho  de Abrantes, bem como do centro da cidade.

Esta primeira intervenção no que toca aos moinhos não correu tão bem quanto o esperado, “porque as madeiras não foram tratadas, e passado um ano ou dois, estava tudo destruído”. Assim, em 2012, “houve a possibilidade de haver uma candidatura através do PRODER e da Tagus, em que nos candidatámos, foi aprovado o projeto, fizemos a recuperação e hoje é uma realidade”, contextualizou Víctor Lopes Pires.

PUB

A tarde contou com vários momentos de animação musical, a começar pela Turma de Música da Universidade Sénior de Sardoal, que aliás, contou com participação especial de um flautista, que é também o presidente da Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges. Também a fadista Joana Cota veio cantar uns fadinhos e animar o público presente, que ali ficou até ao findar da tarde, com direito a concerto da Filarmónica União Sardoalense. Desengane-se quem pensa que ficou por aqui, por até houve direito a sorteio do loto, a porco no espeto e a cerveja fresquinha.

Em declarações ao mediotejo.net, o autarca Miguel Borges disse que o Núcleo de Moinhos de Entrevinhas “é um dos locais mais bonitos que nós temos no nosso concelho”, notando que é “um sítio muito calmo, um sítio com uma paisagem fantástica e um sítio com este Núcleo de Moinhos que estão muito bem preservados pela junta de freguesia, com um núcleo museológico também sobre o trabalho de muitos homens e mulheres que durante décadas aqui trabalhavam e aqui moíam os seus cereais para fazer o seu pão”, referiu.

Questionado sobre a dinamização do espaço, que sendo ao ar livre, não costuma ter associados outros momentos de festa e comemoração, Miguel Borges explicou que “o espaço está feito de forma a que qualquer possa usufruir dele, é claro que por vezes pode haver e há iniciativas, como já tem havido ao longo doutras alturas, em situações diversas”, fazendo notar que “o importante aqui é ter o espaço pela forma em que está, como oferta, com mesas, para permitir às pessoas passar aqui um bom dia, tem os grelhadores, um sítio onde as pessoas podem estar aqui com calma, sossegados, que venham com a família”, lembrando que são feitas atividades, nomeadamente com as escolas para dar conhecimento sobre o espaço e sobre o que era feito antigamente naqueles moinhos.

“A dinâmica é aquela que as pessoas lhe quiserem dar, também não temos que estar sempre a organizar festas, fazemos esta cerimónia do Dia Nacional dos Moinhos, mas o mais importante é ter o espaço disponível para as pessoas, durante todo o ano, a qualquer ano”, acrescentou.

Devido à localização e ao espaço envolvente, o autarca notou ainda uma das particularidades deste núcleo de moinhos, como sendo um “espaço fantástico para observação das estrelas com pouca luz artificial à volta, mesmo na aldeia”, confidenciando que em tempos fez um curso de astronomia e que vinha até ao local observar e identificar as estrelas e constelações.

“Precisamos ter sítios onde podemos contemplar a natureza, sem que tenhamos sempre interferência do homem (…) não precisamos todos de estar sempre a fazer as mesmas coisas. Tem que haver espaços de calma, de sossego, de contemplação onde sejam as pessoas a fazer destes espaços aquilo que elas queiram”, terminou.

Também integrado nesta comemoração do Dia Nacional dos Moinhos, foi realizado o passeio pedestre PR 2 – Do Pão ao Vinho, mas no sentido inverso à marcação recomendada. Patrícia Rei, chefe de gabinete de Apoio à presidência da CM Sardoal,  que também participou na iniciativa tal como o vereador Pedro Rosa, referiu que dos 63 inscritos “vieram quase todos”, salientando ainda a sorte do “tempo maravilhoso para o efeito”. No final, o almoço foi gratuito e servido aos caminhantes com apoio da Associação de Moradores de Entrevinhas feito com “produtos locais”

Esta é a terceira vez que se comemora este Dia Nacional dos Moinhos seguindo o modelo de caminhada de manhã e alguma animação da parte da tarde, o que segundo a chefe de gabinete “tem corrido bem e o balanço é muito positivo”.

Os Moinhos de Entrevinhas, que guardam a aldeia do seu ponto mais alto, pertencem ao conjunto de quatro moinhos construídos nos finais do século XIX. Um dos moinhos possui um pequeno espaço temático com artefactos originais oferecidos pela família do último moleiro, Tiago dos Santos Baptista, que ali manteve atividade até ao verão de 1956.
Os moinhos de vento da aldeia de Entrevinhas constituíram o mais importante núcleo de moinhos da região e o acesso ao seu interior é possível, devendo ser contactada a Junta de Freguesia de Sardoal ou a autarquia para esse efeito.*

*excerto da reportagem À Descoberta do Sardoal: Já conhece a Lapa e os Moinhos de Entrevinhas?

Fique com registos de uma tarde solarenga e animada, passada lá no alto, nos Moinhos de Entrevinhas.

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here