- Publicidade -

Sardoal | Darwin traduzido em miúdos com Eunice Muñoz na plateia

Quando falamos de Charles Darwin pensamos no macaco como “primo” distante, mas sabia que no álbum de família pode incluir uma rosa, um urso ou um dinossauro? A teoria que junta os organismos vivos na “Árvore da Vida” foi traduzida em miúdos este sábado, dia 21, pelo Teatro Nacional D. Maria II (TNDM II) durante o espetáculo “A Origem das Espécies”. Entre o público que esgotou o auditório do Centro Cultural Gil Vicente esteve a atriz Eunice Muñoz que foi homenageada pelo município sardoalense antes da peça subir ao palco.

- Publicidade -

Quando o biólogo e naturalista inglês Charles Darwin subiu a bordo do navio H.M.S. Beagle em 1831 para a expedição científica de meia década à volta do mundo não sabia que 186 anos depois iria ser falado no Sardoal. Passou pelas ilhas Galápagos, publicou a obra “Origem das Espécies” em 1859, revolucionou a noção que a sociedade tinha sobre a vida no planeta, mudou mentalidades, gerou polémica, fez História e inspirou Tiago Rodrigues a encenar o espetáculo que subiu ao palco do Centro Cultural Gil Vicente este sábado.

O espetáculo é marcado por um forte impacto visual. Fotos: Paulo Jorge de Sousa

- Publicidade -

A forma escolhida pelo diretor artístico do TNDM II para explicar aos mais novos a evolução dos organismos vivos como resultado de um processo de seleção natural em que apenas sobrevivem aqueles que conseguem adaptar-se foi um palco vestido pelos movimentos dos atores, jogos de luz e sombra, elementos multimédia e música.

As palavras, essas, surgem escritas na tela onde acontece o Big Bang. Faladas, apenas no primeiro instante e a meio da viagem que Carla Maciel, Crista Alfaiate, Marco Paiva e Paula Diogo fazem sem identidades falsas, algures entre a indicação técnica “o pano vai subir” e o foco de luz que acompanha a pergunta no auditório “está aí alguém?”.

A Teoria da Evolução foi traduzida em miúdos. Fotos: Paulo Jorge de Sousa

E sim, está. A história do menino solitário que alimentava a curiosidade nos seus passeios, o mesmo menino que viria a revolucionar a forma como encaramos a evolução da vida no planeta a partir de um ancestral comum. “Somos todos da mesma família, é isso? Eu posso ser prima de uma rosa?” pergunta-se no palco. A resposta afirmativa é representada no quadro através da “Árvore da Vida”, à qual pertencem todas as espécies.

Seguindo a teoria, o público que esgotou o auditório do Centro Cultural Gil Vicente, à semelhança do verificado quando a peça “Ifgénia” ali subiu ao palco no passado mês de novembro, partilha muito mais do que a prova do sucesso da Rede Eunice no Sardoal. Este sábado, o TNDM II trouxe mais do que cultura aos territórios de baixa densidade e o concelho recebeu Eunice Muñoz, que lhe empresta o nome, para uma homenagem.

A atriz Eunice Muñoz foi homenageada no foyer. Fotos: mediotejo.net

O filho da atriz e a presidente do TNDM II, Cláudia Belchior, estiveram entre as muitas pessoas no foyer que aplaudiram o momento em que a grande dama do teatro, com 88 anos de vida e 75 de carreira, descerrou a placa e recebeu as flores amarelas. Das mãos do presidente da Câmara Municipal, Miguel Borges, chegou a fotografia em que pousa com os presidentes dos três municípios abrangidos pela Rede Eunice na primeira fase (Sardoal, Funchal e Vila Real).

A primeira temporada deste projeto de difusão e descentralização cultural (2016/17) termina no Médio Tejo com a peça “As Criadas”. No entanto, maio não significa mês da despedida pois o protocolo assinado entre o município e o TNDM II em novembro último prevê seis novos espetáculos até 2019.

O auditório voltou a ter lotação esgotada no segundo espetáculo trazido pela Rede Eunice. Fotos: mediotejo.net

 

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).