Sardoal | CTT sem distribuição de correio no concelho há 10 dias seguidos

CTT sem distribuição de correio no concelho de Sardoal há 10 dias seguidos. Foto: DR

O serviço postal dos CTT – Correios de Portugal não está a ser devidamente assegurado em Sardoal, confirmou, esta terça-feira o presidente da Câmara Municipal, Miguel Borges, em declarações ao mediotejo.net. Há cerca de 10 dias que não há distribuição de correio no concelho. Atrasos que provocam prejuízos diversos pela falha na entrega de correspondência a empresas e cidadãos e também encomendas que deviam chegar ao comércio local.

PUB

Em Sardoal, os CTT distribuíram correspondência “no dia 28 de maio e depois voltaram a distribuir na semana passada”, esclareceu o autarca, sem precisar a data que apontou para os dias 6 ou 7 de junho. Miguel Borges (PSD) explicou que situação semelhante verifica-se também nos restantes concelhos da região do Médio Tejo e igualmente noutras regiões, falando num “problema estrutural que se está a alargar a todo o País”.

Recorde-se que na semana passada, em declaração conjunta, os 13 autarcas da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIM Médio Tejo) manifestaram “preocupação com o serviço deficitário” que afirmam estar a ser prestado pelos Correios de Portugal, descontentamento que já fizeram chegar às autoridades responsáveis.

PUB

Segundo o secretário executivo da CIMT, Miguel Pombeiro, o Conselho Intermunicipal da CIM Médio Tejo deliberou “tomar uma posição sobre o assunto”, que enviou para os CTT e também para o regulador, a ANACOM – Autoridade Nacional de Comunicações, reiterando que “a situação começa a ser, de alguma forma, preocupante” para os municípios da região.

Esta preocupação “prende-se com os atrasos que se têm verificado de uma semana, quinze dias, com a entrega de correspondência que acaba por chegar em alguns casos fora de prazo, e em algumas situações com pagamentos já vencidos”.

PUB

Em comunicado, a CIMT afirma que, “numa altura em que o país já por si só se encontra fortemente debilitado fruto da pandemia, é de lamentar que situações destas aconteçam neste período”, sublinhando que as “empresas estão a passar por inúmeras dificuldades, muitas delas já em situação de ‘lay-off’, e vêm-se condicionadas nas entregas e recebimento de encomendas” junto dos serviços dos CTT.

O presidente da Câmara Municipal de Sardoal propôs à CIMT “que fosse tomada uma posição conjunta de protesto, até para termos mais força”, vincando que a ANACOM “tem de ter uma palavra” sobre a falha no cumprimento do serviço postal e sobre “o péssimo serviço que está a ser prestado à nossa população”. Até ao momento, os autarcas ainda não obtiveram resposta da empresa nem da autoridade reguladora.

Miguel Borges dá conta de “graves prejuízos” para a população sardolense que “não podem acontecer”, fala de “atrasos de 10, 15 dias. Comerciantes com encomendas que não chegam, pessoas que esperam pelo cartão multibanco que não chega. Um grande transtorno! Não faz sentido no século XXI o serviço postal estar a ser prestado desta forma. É lamentável! E cabe ao Estado acabar com a degradação do serviço”, considera.

Os CTT foram privatizados em 2013, e desde então que o negócio do serviço postal tem menos lojas e surgem com frequência alertas e acusações de degradação do serviço público.

No entanto, em maio passado, o presidente executivo dos CTT, João Bento, fez um balanço “claramente positivo” do primeiro ano na liderança dos Correios de Portugal, e reiterou que a empresa quer “continuar a ser o operador do serviço postal universal”.

PUB

Os CTT têm a concessão do Serviço Postal Universal, que termina no final de 2020, sendo que os CTT falharam os 24 indicadores de qualidade em 2019, definidos pelo regulador Anacom.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here