Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Concerto de abertura revela regresso do talento ao III Encontro Internacional de Piano

Durante dez dias estarão reunidos na vila de Sardoal cerca de uma centena de pianistas participantes, entre alunos e professores, oriundos de 19 países, entre os quais Argentina, Áustria, Brasil, China, Espanha, Israel Japão, Portugal, Venezuela para o III Encontro Internacional de Piano de Sardoal. O evento começou no Centro Cultural no dia 29 de junho e termina a 8 de julho.

- Publicidade -

Por Sardoal, um concelho no interior do Ribatejo, acredita-se na intervenção que a Cultura, nomeadamente a música, possa ter na sociedade e particularmente naquela comunidade. Acredita-se que a Cultura possa ser um exercício de reflexão, mas também para comover e divertir de uma forma inteligente, atuando emocionalmente nas pessoas. É por isso que em Sardoal volta e meia acontece um evento cultural de dimensão maior, ao nível dos espetáculos apresentados nos palcos cosmopolitas ou até tidos como de superior qualidade.

Muito pelo “microclima” cultural da vila e as “excelentes condições das infraestruturas disponíveis” que serviram de base ao protocolo que o Município assinou em 2016 com a Academia Internacional de Música “Aquilles Delle Vigne”, prevendo a realização de concertos no Centro Cultural Gil Vicente, têm passado pelo Sardoal alguns dos maiores nomes do piano a nível internacional, uns emergentes, outros consagrados.

- Publicidade -

As palavras são de Manuel Araújo, vice-presidente da Academia, responsável pela organização do III Encontro Internacional de Piano de Sardoal, e das duas edições anteriores, em parceria com o Município. “É um trabalho de um ano inteiro. Graças aos eventos anteriores há uma logística coordenada com a Câmara Municipal”, disse ao mediotejo.net.

III Encontro Internacional de Piano de Sardoal. Miguel Borges e Manuel Araújo. Créditos: Paulo Jorge de Sousa

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal, Miguel Borges considera “as políticas culturais fundamentais para o desenvolvimento de uma sociedade”. Músico de formação, o presidente diz que o tal ‘microclima’ cultural em Sardoal deve-se em parte “a sensibilidade que tem desde muito novo, quando aos cinco anos entrou para o orfeão de Abrantes”, revelando que a arte sempre o acompanhou. Pretende que “as políticas públicas na área da Cultura estejam em igualdade com as outras” referindo “não ser apenas música”, lembrando o teatro com a Rede Eunice e as visitas da Companhia Nacional de Bailado.

Em setembro de 2016, vontade de ambas as partes, os objetivos iniciais foram mais além: organizar um Encontro Internacional de Piano no Sardoal. Conscientes de que a tarefa que tinham pela frente não era simples, mas convictos e que o Sardoal era o “palco” perfeito, não se pouparam a esforços a a primeira edição do evento revelou-se um verdadeiro êxito.

A promoção do Encontro “tem duas vias. Uma é, durante o ano, nas minhas viagens pelo mundo e de vários elementos, ir falando da existência do Sardoal, e das qualidades do Sardoal e deste evento” explica Manuel Araújo. A outra via “é a da qualidade em que a palavra vai passando sem qualquer controlo da organização” referiu, considerando um “ um bom sinal. Quer dizer que as pessoas que vieram gostaram”.

Em relação à edição de 2017, o número de participantes este ano “praticamente duplicou” confirmou ao mediotejo.net Miguel Borges. São cerca de 100 “entre pianistas, professores e acompanhantes” de dezanove países.

III Encontro Internacional de Piano de Sardoal. Créditos: Paulo Jorge de Sousa

Rússia, Brasil, e, na edição de 2018, “há um grande crescimento de espanhóis” um dos objetivos traçados por Manuel Araújo que “já tentava a algum tempo”. Também estão em Sardoal pianistas de Itália, França, Japão, Bulgária, Lituânia, Israel, entre outros, justificando a atribuição da amplitude mundial ao Encontro.

Lançada a primeira pedra, o evento ganhou nome além-fronteiras e hoje são muitos os jovens pianistas de todo o mundo, assim como os mestres de renome internacional a mostrarem vontade de participar no Encontro Internacional de Piano de Sardoal.

Como organizador Manuel Araújo confessa o mediotejo.net não esperar “este crescimento exponencial. Sabia que tinha muito potencial, que ia ser um curso ótimo” acreditando que “o ponto forte é a simpatia das pessoas” porque “todas que têm vindo, voltam e até chegam a pedir para ficar com as mesmas famílias sardolenses de acolhimento” refere. Sardoal “tem um microclima cultural ótimo, tem instalações e infraestruturas, tem história, há rio e praias perto, há natureza”, exemplificou, considerando ser esta “uma combinação vencedora”.

Assim, abriu-se na sexta-feira, 29 de junho, a porta a cerca de uma centena de participantes, e o som do piano voltou a sair do Centro Cultural Gil Vicente, ecoando pelas ruas da vila, uma vez que algumas capelas voltam a acolher as aulas dos participantes.

São 10 dias de concertos diários: “criámos o concurso por ser um grande incentivo para os jovens trabalharem, não no sentido da competitividade, mas de terem objetivos e de alguns serem premiados pelos esforço”, revela Manuel Araújo.

III Encontro Internacional de Piano de Sardoal. Créditos: Paulo Jorge de Sousa

A edição de 2018 apresenta “um evento especial que se inclui no centenário da morte de António Fragoso, um dos grandes compositores nacionais” destaca. Além disso, “é um concerto, com uma parte em homenagem também a uma pintora”, no dia 6 de julho.

Ao longo da semana “decorrem aulas permanentes de alunos e professores que podem ser assistidas”. E vêm professores como Emanuel Krasovsky de Tel Aviv em Israel e Aquilles Delle Vigne, da Argentina, como convidados de honra. E ainda professores do Japão, de Espanha, Brasil e Sérvia, além dos portugueses, Adriano Jordão (igualmente convidado de honra), Carla Caramujo e o próprio Manuel Araújo.

“São sementes que se vão espalhar pelo mundo. Já estão a dar fruto e isto é o início”, observou.

Até 8 de julho, as provas do concurso decorrerão diariamente no auditório do Centro Cultural Gil Vicente, em diferentes horários e com entrada gratuita, mantendo o nível de qualidade “bastante elevado” deu conta Miguel Borges.

“Temos aqui uma Torre de Babel musical” considerou o autarca dizendo que Sardoal volta “a ter grande pianistas mas também grandes mestres”. Miguel Borges destacou o concerto evocativo da morte do compositor português António Fragoso que apesar da prematura morte, “aos 22 anos, deixou uma obra muito importante, faz parte do reportório pianístico de todos os portugueses, um dia especial em que a música é só de António Fragoso”.

Destaque ainda para o Prémio Sardoal Jovem Talento que leva o vencedor a Salzburgo “daí Wolfgang Holzmair, um dos maiores barítonos da atualidade, vir a Sardoal uma vez que é diretor do festival de música”.

A propósito de música, e do facto de Sardoal andar nas bocas do mundo, Miguel Borges confessa sentir “um grande orgulho” mas considera que no concelho “as pessoas ainda não conseguem valorizar a dimensão que o Encontro Internacional de Piano tem. É falado e chegam ecos de vários países do mundo, nomeadamente da comunicação social. É um Encontro que está a entrar na rota dos grandes encontro de piano com uma particularidade muito interessante: adoram a qualidade de vida de Sardoal, e para os músicos, conseguem conviver, o que não fazem numa grande cidade. Aqui deslocam-se a pé, vão a casa uns dos outros que são as casas das famílias sardoalenses que os recebem” destacando também “a envolvência da comunidade em todo o ambiente que é fantástico!”.

III Encontro Internacional de Piano de Sardoal. Créditos: Paulo Jorge de Sousa

O evento “custa menos de 10 mil euros” à Câmara Municipal, garante Miguel Borges. Um valor “completamente irrelevante, se percebermos o retorno que trás para a economia local” nomeadamente aos restaurantes, aos alojamentos locais, ao comércio local, mesmo com as entradas negativas porque o negócio do Município é “gente cá dentro”, disse. E o Encontro segue “em crescendo. Podemos imaginar como estará em seis anos?”, lança a questão, convicto de sucesso garantido.

O concerto de abertura teve uma duração de cerca de hora e meia com António Areal (Portugal); Marta Garijo (Espanha); Andrea Mariani (Itália), Pascual Encarnación (Espanha); Evgenya Antonova (Rússia), e em piano a quatro mãos o Duo Gorog (Hungria).

O III Encontro Internacional de Piano de Sardoal termina dia 8 de julho com o concerto de encerramento às 15:00. Esta noite pelas 21h30 acontece o primeiro Concerto de Jovens Talentos.

Sardoal | III Encontro Internacional de Piano de Sardoal. Concerto de abertura.

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 29 de Junho de 2018

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome