- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Sardoal | CLDS organiza visita cultural a Vila de Rei para maiores de 65 anos

No âmbito da atividade ‘Sardoal Ativo – Não à Solidão’, do Eixo 3, o CLDS 4G SER vai dinamizar a 23 de dezembro uma atividade denominada ‘Visita Cultural a Vila de Rei’. As inscrições decorrem até dia 17 de dezembro sendo gratuitas, mas limitadas e obrigatórias.

- Publicidade -

Esta atividade consiste numa ida a Vila de Rei para visitar os vários Museus, destinada a pessoas com mais de 65 anos, residentes no concelho de Sardoal, e terá lugar no dia 23 de dezembro, com saída prevista do Sardoal pelas 9h15 da manhã (Pelourinho). O passeio termina às 17h30.

O programa da atividade inclui uma visita ao Museu Municipal de Vila de Rei, Museu de Geodesia, Museu do Fogo e da Resina e Museu da Escola Fundada.

- Publicidade -

O almoço será da responsabilidade de cada participante e será garantido um espaço coberto para a sua realização.

A iniciativa decorre no âmbito da promoção do envelhecimento ativo e apoio à população idosa, que visa proporcionar às populações isoladas novas rotinas essenciais ao equilíbrio/bem-estar físico, psicológico e social compreendendo entre outras, deslocações, visitas culturais e recreativas, por forma a reduzir o sentimento de solidão e de isolamento.

- Publicidade -

Para se inscrever ou obter mais informações deverá utilizar as seguintes formas de contacto:

Telefone: 241 010 711 | 966 080 423

Morada: Rua Mestre Sardoal nº7 – Sardoal
E-mail: sersardoal.clds4g@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/sersardoal.clds4g

A entidade organizadora assegura que durante a visita serão garantidas as condições da Direção Geral da Saúde.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome