Sardoal | Câmara quer ceder viatura à Unidade de Cuidados na Comunidade

No Médio Tejo foram criadas as ADC (Áreas Dedicadas para avaliação e tratamento de doentes COVID-19) no Entroncamento, Tomar (Sabacheira) e Sardoal. Foto: mediotejo.net

O tema surgiu na última reunião de câmara de Sardoal, nesta quarta-feira à tarde, após a aprovação, por unanimidade, do protocolo a estabelecer com a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo para aquisição e cedência de viatura elétrica ao Centro de Saúde, uma medida que irá abranger os 13 municípios da região. Miguel Borges frisou a urgência em consolidar a Unidade de Cuidados na Comunidade, que não está em pleno funcionamento por “falta de transporte”. Acontece que a CM Sardoal afirma ter à disposição uma viatura para o efeito, faltando formalizar o protocolo com a ACES Médio Tejo e definir procedimentos relativos a manutenção e seguros da mesma.

PUB

O autarca sardoalense explicou que este protocolo com a CIMT ocorre dentro dos investimentos territoriais integrados, através de um “pacto com a UE”, que inicialmente previa a cedência de unidades móveis de saúde, “mas verificou-se que não é aquilo que responde às necessidades do nosso território, aos 13 municípios do Médio Tejo”, disse.

Assim, pretende a CIMT atribuir no lugar da unidade móvel uma viatura ligeira elétrica, que possa responder às necessidades das Unidades de Cuidados na Comunidade, e também nos Centros de Saúde – Unidades de Cuidados Primários. “Propõe-se um protocolo, onde há assunção de 15% pelo município do investimento comunitário para aquisição da viatura que será entregue ao nosso Centro de saúde, através da ARS LVT, para se possa fazer todo o trabalho de domicílios e também no âmbito da Unidade de Cuidados na Comunidade”, mencionou o autarca.

PUB

Todos os restantes custos são assumidos pela ARS LVT, em termos de manutenção. “Não posso ainda dizer o custo certo, mas corresponde a 15% sobre o valor total”, referiu Miguel Borges fazendo notar que “o procedimento ainda vai demorar uns meses, e o Ministério do Ambiente quer colocar um posto de carregamento em cada município, faz parte da estratégia do governo para o ambiente. Lá chegará a nossa vez”.

Na reunião onde foi aprovado o protocolo com a CIMT para aquisição e cedência de viatura ao Centro de Saúde, Miguel Borges relembrou disponibilidade da autarquia em ceder viatura ligeira para o pleno funcionamento da Unidade de Cuidados na Comunidade. Foto: mediotejo.net
Mas enquanto não chega a viatura elétrica cedida pela CIMT…

Como “complemento” à aprovação do protocolo com a CIMT, o presidente da CM Sardoal quis elucidar o executivo perante a situação atual da Unidade de Cuidados da Comunidade que “ainda não está a funcionar a 100% por questões de transporte. Mas essa questão de transporte não é por parte do município”, afirmou Miguel Borges.

O autarca assumiu que já transmitiu à diretora do ACES Médio Tejo, Sofia Theriaga, “há muito tempo” a disponibilidade do município em ceder uma viatura. “Não há necessidade desta Unidade não estar a funcionar por falta de transporte. No dia que quiserem, a autarquia coloca um carro à disposição. Já o disse, repetidas vezes”, declarou, entendendo que o ACES Médio Tejo ainda não achou “oportuno que isso aconteça”, levando a que o autarca continue a lembrar sobre o assunto.

“Tenho voltado a insistir, porque não acho bem que a nossa Unidade de Cuidados na Comunidade esteja parada só porque não há transporte (…) Quando o ACES Médio Tejo entender, “nós [executivo municipal] levamos o protocolo de cedência de viatura a reunião de câmara, até que a outra viatura [cedida pela CIMT] venha (…) e no dia seguinte têm uma viatura”.

O autarca relembrou que “está aprovada a Unidade de Cuidados na Comunidade Mira-Zêzere, porque abrange o concelho de Sardoal e o norte do concelho de Abrantes”, dizendo que o município tem noção da necessidade de “uma maior agilidade de deslocação”.

“Por vezes somos solicitados com o apoio de transporte para algumas situações, ainda há pouco tempo, para os técnicos da saúde pública que não tinham transporte para se deslocar (…) a CM Sardoal tem alguma flexibilidade nesse sentido e, sempre que podemos, cedemos e está dentro das nossas prioridades. (…) às vezes há situações que até podem não ser programadas mas a que se deve dar resposta imediata, nós estamos disponíveis e já temos o carro disponível”, faltando apenas a assinatura do protocolo que defina os procedimentos em termos de seguros e atribuição de competências.

“Se hoje assinássemos o protocolo, amanhã teríamos a viatura disponível para entregar ao Centro de Saúde”, garantiu Miguel Borges, assumindo a “vantagem para prestação dos cuidados não só no âmbito da Unidade de Cuidados da Comunidade, mas também para os cuidados de saúde primários e também fundamental para a proximidade entre os técnicos e a população”, concluiu.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here