Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Balcão do Millenium BCP fecha portas no dia 15

A delegação do Milllenium BCP de Sardoal vai fechar portas na sexta-feira, dia 15 de dezembro, depois de ali ter funcionado e servido as populações do concelho durante cerca de 40 anos, situação anunciada e criticada pelo presidente da junta de freguesia local, Miguel Alves (PS), que afirma não se conformar com o encerramento da agência bancária sem contrapartidas para os cerca de 1400 clientes do BCP de Sardoal, alguns deles muito idosos e clientes desde os anos 70. O presidente da Câmara, Miguel Borges (PSD) confirmou o encerramento do balcão e disse ao mediotejo.net que disponibilizou a Loja do Cidadão para que a agência bancária possa manter no concelho um serviço de proximidade.

- Publicidade -

“O balcão vai fechar porque tem cerca de 30 movimentos semanais e tal não é viável para uma empresa privada, segundo teve o cuidado de me informar a administração. Fica sempre uma sensação de perda e disponibilizei a Loja do Cidadão enquanto proposta de instalação e manutenção de um serviço de proximidade, mesmo funcionando num menor número de dias, ideia que foi do seu agrado, embora ainda não se tenham comprometido com a mesma”, disse ao mediotejo.net o presidente da Câmara Municipal de Sardoal.

“É uma sensação de perda, num concelho com muitos idosos e com problemas de desertificação, e o que defendo é a implementação de políticas nacionais para que se inverta esta situação no interior do país”, disse Miguel Borges.

- Publicidade -

O presidente da junta de Sardoal, Miguel Alves, é que não se conforma com a decisão que, defende, “é uma perda enorme para toda esta população, nomeadamente para a mais idosa, mas também para o comércio e serviços, que necessitam deste serviço de proximidade”, tendo lembrado que a agência bancária existe em Sardoal desde 1979 e que tem cerca de 1400 clientes.

“Depois da ameaça da CGD há bem pouco tempo, que ficou com horário reduzido, agora foi a vez do Millennium Bcp que resolveu fechar já no próximo dia 15 de dezembro. É mais um serviço a fechar que afeta diretamente muitos outros tipos de comércio e serviços”, lamentou, tendo feito notar que o bancos mais próximos se situam em Vila de Rei (18 km), e Abrantes (12 km) e este último sem lugar para estacionamento (Praça Barão da Batalha).

“Estou profundamente desagradado com a opção do Banco, bem como lamento não ter sido informado por ninguém do Executivo Municipal, uma vez que até estivemos reunidos na Câmara com todo o executivo e Presidentes de Junta no dia 4 de dezembro a tratar de assuntos do Sardoal e já o sabiam desde dia 30 de novembro”, publicou na sua página pessoal o presidente da junta de Sardoal.

Miguel Alves dá ainda conta de uma reunião que vai ter em breve com a administração bancária, onde vai defender algumas medidas e opções para o serviço de proximidade se manter tendo em conta os cidadãos e os clientes do Millennium do concelho.

“Defendemos a ideia dos serviços deslocarem-se ao local duas vezes por semana através do “Banco Móvel”. Disponibilizaremos, se necessário, e aprovaremos em sede própria a própria sala da Junta de Freguesia para os clientes se reunirem com o Banco, bem como entendo como fundamental manter uma CAT, máquina que permite depósitos em numerário diretamente e a ficar disponível na hora”, afirmou o presidente da junta de freguesia.

“Interioridade não é sinónimo de inferioridade mas para isso a qualidade que agora se fala não se pode vir aos poucos a perder, em termos de comércio e serviços”, defendeu o autarca.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome