Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Novembro 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Autarquia implementa programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras”

O programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” está a ser implementado no concelho de Sardoal, através do Gabinete Municipal de Proteção Civil, Florestal e Bombeiros e em colaboração com as Juntas de Freguesia, anunciou a autarquia.

- Publicidade -

A sessão de apresentação do programa decorreu no dia 6 de junho, no Centro Cultural Gil Vicente e contou com a presença dos “Oficiais de Segurança Local” dos aglomerados populacionais do concelho de Sardoal, que, em caso de emergência, têm como missão servir de elo de ligação entre a população e os agentes de Proteção Civil.

O programa procura garantir uma maior proteção das localidades em caso de incêndio rural ou outros sinistros e tem como objetivos, entre outros, incentivar a consciência coletiva de que a proteção é uma responsabilidade de todos, apoiar o poder local na promoção da segurança, implementar estratégias de proteção das localidades face a incêndios rurais e sensibilizar as populações para a adoção de práticas que minimizem o risco de incêndio.

- Publicidade -

A execução de “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” resulta de um protocolo assinado entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE).

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome