Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Outubro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Autarquia dá parecer negativo a replantação de eucaliptos

A Câmara Municipal de Sardoal deu parecer negativo a dois pedidos de replantação de eucaliptos no concelho, decisão tomada por unanimidade na última reunião de executivo e após parecer negativo do Gabinete Técnico Florestal da autarquia. O presidente da Cãmara, Miguel Borges (PSD), defendeu a necessidade de “equilíbrio” entre “desenvolvimento económico e as espécies autóctones”.

- Publicidade -

“A legislação diz onde se pode plantar ou não, onde há constrangimentos e o nosso Plano Diretor Municipal também tem as regras definidas, pelo que foram chumbados pela Câmara os dois pedidos, em linha com o parecer desfavorável que havia sido emitido pelo nosso Gabinete Técnico Florestal, disse ao mediotejo.net Miguel Borges, presidente da autarquia, tendo feito notar que a posição da autarquia é transmitida ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que tem depois a última palavra.

“Não é por deferimento tácito, é obrigatório o parecer das autarquias neste processo (de plantação ou de replantação de eucaliptos), de acordo com os instrumentos de gestão do território”, notou.

- Publicidade -

Miguel Borges defendeu que “tem de haver racionalidade e equilíbrio entre o desenvolvimento económico”, lembrando que os eucaliptos dão rendimento mais rapidamente que as outras espécies, “e as espécies autóctones”, tendo defendido a integração de terrenos do Estado em bancos de terras que permitam a criação de mosaicos florestais diversificados, sustentáveis e geradores de riqueza.

“Tem de haver um meio termos e nós em Sardoal precisamos de outras espécies, como as azinheiras, os sobreiros e os pinheiros, e também dos eucaliptos, para que ajudem a rentabilizar a floresta. Não diabolizo o eucalipto, mas tem de haver equilíbrio”, reiterou.

O autarca de Sardoal, a par dos demais eleitos do executivo, deram conta da sua preocupação com uma espécie que consideraram “invasora” e que “coloca a biodiversidade em causa”.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

  1. Se deu parecer negativo, porque razão?O projeto estava mal elaborado?Deviam ter proposto a plantação com outra espécie?O que é “racionalidade e equilíbrio”?Uma espécie que consideram “invasora”?Já agora, qual é a percentagem de área plantada com eucalipto no concelho do Sardoal?Qual a área de eucalipto replantada em 2019?Sim porque está proibida a plantação!Isto obviamente não é uma noticia, é um frete politico! Aguardo expectante próximos esclarecimentos.

Responder a João Silva Cancelar resposta

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome