Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Alegado abate de oliveiras milenares gera discussão em Assembleia Municipal (c/áudio)

O deputado Rui Valente (PS) criticou nas redes sociais o abate de oliveiras milenares em Valhascos e acusou o Gabinete Técnico Florestal de ser conivente. Em Assembleia Municipal, o assunto foi abordado pelo deputado César Marques (PSD) que pediu esclarecimentos ao presidente da Câmara Municipal. Em resposta, Miguel Borges (PSD) garantiu que o Gabinete Técnico Florestal acompanha as árvores mas desconhece tal abate e acusou Rui Valente de não denunciar o ato às autoridades competentes. Por fim, César Marques diz que conhece o território e as árvores permanecem as mesmas há anos.

- Publicidade -

“Estou muito triste […] o senhor deputado César Marques sabe tão bem como eu a que oliveiras me estou a referir” começou por dizer o deputado municipal Rui Valente na última sessão de Assembleia Municipal. Segundo o eleito pelo Partido Socialista “não é do abate de uma oliveira que se fala na freguesia” de Valhascos, Sardoal, mas do “abate de muitas dezenas de oliveiras e se o Gabinete Florestal não tinha referenciado esta oliveira milenar que existia junto à Capela de São Bartolomeu, se não estava referenciada como estão muitas referenciadas nas freguesias limítrofes, então é lamentável!”, afirmou.

De acordo com Rui Valente “aquelas oliveiras têm seguramente dois mil anos” mas uma daquelas oliveiras abatidas “está no circuito pedestre. Passam ali N pessoas todos os dias, deputados desta Assembleia Municipal, sabiam e sabem que o abate foi feito”, referiu, recusando ser “um bufo”.

- Publicidade -

ÁUDIO: RUI VALENTE, DEPUTADO MUNICIPAL PS EM SARDOAL:

Em causa, o valor patrimonial da paisagem, um património arbóreo que pode ser preservado quer através de classificação dos exemplares quer através da sensibilização dos proprietários no sentido de não arrancarem as árvores, nomeadamente para fazer lenha.

Mas a questão levantada pelo deputado do PSD, César Marques, que levou o assunto das oliveiras para a Assembleia Municipal, prendeu-se com “o comentário de um deputado municipal” na rede social Facebook numa fotografia com elementos do PS relativamente a Valhascos na qual escreve “em frente foi abatida uma oliveira com mais de dois mil anos com a cumplicidade do Gabinete Técnico Florestal”.

ÁUDIO: CÉSAR MARQUES, DEPUTADO MUNICIPAL PSD EM SARDOAL: 

Ora esse deputado é então Rui Valente e perante a sua declaração no Facebook, César Marques pediu esclarecimentos ao presidente da Câmara Municipal de Sardoal, o social democrata Miguel Borges, na qualidade de “órgão máximo do Gabinete Técnico Florestal”. Quis saber se “têm conhecimento” do sucedido, que segundo opinou César Marques não terá “corrido bem”.

Em resposta Miguel Borges afirma ter falado com o Gabinete Técnico Florestal sobre o abate de oliveiras e garante a inexistência de “conhecimento absolutamente algum”, de qualquer informação sobre o assunto. Além disso, criticou o deputado do PS por tecer comentários nas redes sociais e não comunicar ao presidente de Câmara do tal abate de oliveiras milenares.

ÁUDIO: MIGUEL BORGES, PRESIDENTE CM SARDOAL:

“Não consigo perceber que um deputado municipal, que é um eleito e tem responsabilidades como tal, vem fazer posts destes no Facebook sem dizer ao presidente de Câmara ou sem avisar o Gabinete Florestal. É no mínimo estranho!”, afirmou o autarca.

Segundo Borges, tal situação “que está a lesar o património de todos”, levaria a qualquer cidadão “com plena consciência das suas obrigações, dos seus deveres e dos seus direitos” a dirigir-se “às pessoas responsáveis por esta matéria e denunciar estas situações”.

O presidente da Câmara explicou que a lei “não permite o arrancar ou o corte raso de oliveiras” sendo que tal situação consubstancia num “incumprimento” face à lei do qual o deputado Rui Valente “teve conhecimento, guardou para si e postou recentemente no Facebook. São formas de atuar, de agir, que revela mais de quem as faz do que propriamente de quem procura atingir”, criticou.

ÁUDIO: MIGUEL BORGES, PRESIDENTE CM SARDOAL:

Miguel Borges manifestou-se “preocupado” com a afirmação: “com a cumplicidade do Gabinete Técnico Florestal”. Classificando as “acusações de grande gravidade”, disse ser “muito importante” que “saiamos um pouco daquilo que é o refugio das redes sociais […] dizermos aquilo que queremos. Estas coisas não podem ser inconsequentes. Tenho o direito de saber se é verdade e onde o Gabinete Técnico Florestal teve uma atitude destas? Não acredito, nunca o fez!”, afirmou Miguel Borges, vincando que tal deve ser denunciado às autoridades, nomeadamente à Direção Geral de Agricultura.

O presidente da Câmara assegura que o Gabinete técnico Florestal tem conhecimento da existências das oliveiras milenares no território, também noutros locais além da freguesia de Valhascos, mas desconhecia que “tinha sido cortada. Isso que é que deveria ter sido denunciado. Não se trata de ser bufo! Qualquer arranque de oliveira tem de ser autorizado pelas autoridades competentes” […] não me parece que seja o Facebook o sítio ideal para um deputado municipal contribuir para o bem deste concelho”, insistiu.

Rui Valente também respondeu a Miguel Borges para dizer que “pelas palavras do presidente da Câmara ficou a ideia que o deputado Rui Valente andou pelas redes sociais a denegrir a imagem do executivo ou do Município. Isso não é verdade! […] limitei-me a responder a uma pessoa que fez um post sobre a Oliveira do Mouchão em Mouriscas, e respondi-lhe que em Valhascos estão a abater oliveiras milenares”, disse, dando conta de existir “um ilustre sardoalense que tem feito um estudo muito exaustivo sobre estas árvores no Município, que deveria ser preservado pela Câmara Municipal”, opinou.

ÁUDIO: RUI VALENTE, DEPUTADO MUNICIPAL PS SARDOAL:

“Claro que acompanhamos as árvores!”, afirmou, por sua vez, o presidente lembrando que recentemente foi apresentada uma exposição no Centro Cultural Gil Vicente sobre as árvores emblemáticas de Sardoal.

“Algumas são classificadas, algumas têm o acompanhamento do ICNF […] Recentemente fizemos intervenção nas nossas árvores. É algo que acompanhamos e que estamos atentos até atendendo à idade que muitas têm. Foi assim no eucalipto e tem sido na Praça Nova e noutras. Estamos a acompanhar!”, garantiu.

ÁUDIO: MIGUEL BORGES, PRESIDENTE CM SARDOAL:

Avançou, ainda, que no Plano Diretor Municipal existe um capitulo exclusivo dedicado às árvores para além da legislação. Não podemos ter um fiscal ou um GNR atrás de cada uma das oliveiras mas está perfeitamente salvaguardado”.

ÁUDIO: CÉSAR MARQUES, DEPUTADO MUNICIPAL PSD SARDOAL:

 

Por seu lado, César Marques falou no tempo de memória nos seus 29 anos para manifestar “não ter ideia de terem sido arrancadas oliveiras milenares”.

Referindo conhecer o território em causa disse que “desde sempre as oliveiras lá estão, são as que me recordo que lá estavam e que lá estiveram este tempo todo”, o eleito lançou ainda o mote para Rui Valente “fazer esse levantamento e colaborar com o Gabinete Técnico Florestal na realização de um inventário “muito maior sobre esse recurso natural”.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome