Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

Santarém | Proteção Civil alerta para aumento dos caudais do Tejo em todo o distrito

Decorrente da precipitação que se tem sentido no distrito de Santarém, mas essencialmente devido ao início das descargas das barragens espanholas e portuguesas, os níveis hidrométricos e caudais do rio Tejo terão tendência a aumentar, previsivelmente até às 16h00 desta quarta-feira, dia 10 de fevereiro.

O Comando Territorial da GNR de Santarém alerta para que a população não arrisque e respeite a sinalização de “Estrada Submersa”, dando conta de situações de submersão de vias em Benavente, Coruche, Golegã (estrada dos Lázaros), e Torres Novas,  com o acesso ao Paul do Boquilobo pela zona da comummente designada «Vala das Cordas» submerso pelo que foi necessário proceder à sua interdição, sendo proibida a circulação no local.
- Publicidade -

- Publicidade -

O acesso ao Paul do Boquilobo pela zona da comummente designada «Vala das Cordas» encontra-se submerso. Foto: CMTN

O aumento dos caudais debitados pelas barragens e a precipitação prevista para o distrito de Santarém já haviam levado a Proteção Civil de Santarém a emitir no sábado à noite um alerta às populações. As previsões indicam que o Tejo se manterá nas margens, inundando sobretudo zonas agrícolas, mas as autoridades avisam que devem ser retirados das zonas ribeirinhas todos os equipamentos agrícolas, viaturas, etc., e os animais devem ser deslocados para locais seguros.
No mesmo sentido, o Serviço Municipal de Proteção Civil de Vila Nova da Barquinha apelou aos seus munícipes que retirem os seus bens e haveres que estejam ainda na zona do leito do rio Tejo, com particular destaque para animais e embarcações.

A subida das águas do Tejo já era visível este sábado à tarde, na zona de Vila Nova da Barquinha. Fotografia: Ana Ludovino

- Publicidade -

A Proteção Civil de Santarém desaconselha também que se tente passar “com viaturas ou a pé estradas ou zonas alagadas” e recomenda a desobstrução de linhas de água, principalmente junto a pontes e aquedutos, a limpeza de linhas de água assoreadas e a retirada de resíduos sólidos urbanos depositados nos cursos de água entre outras medidas. Aconselha também as populações a manterem-se atentas sobre o evoluir da situação.

*Com Lusa

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).