Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Terça-feira, Setembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Santarém | Lista de deputados do PSD deixa Abrantes de fora e faz “surpresa” a Duarte Marques

A lista de candidatos a deputados à Assembleia da República aprovada pela distrital de Santarém do PSD causou “surpresa” ao atual deputado Duarte Marques (Mação), que foi excluído (assim como Nuno Serra, de Santarém), e algum descontentamento na secção política de Abrantes, que também não integra membros seus na lista agora aprovada, a par de Mação, Sardoal e Ferreira do Zêzere.

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, o presidente da Comissão Política Concelhia de Abrantes, Diogo Valentim, começou por lembrar que “Abrantes, nas últimas legislativas, foi o quinto concelho que mais votos (5712) angariou para o PSD a nível do distrito, independentemente de não ter o poder autárquico”, para depois justificar porque defende que Abrantes deveria ter outro tipo de relevância na lista distrital.

“Entendemos assim que, de acordo com o nosso peso eleitoral e de acordo com as indicações de excelência que apresentámos (José Miguel Vitorino/ Ana Chambel Dias) que deveríamos ter outro tipo de relevância na constituição das listas, ou em 4 lugar – José Vitorino (em vez da Chamusca) ou em 6º lugar Ana Dias (em vez de Benavente)”, disse o dirigente social democrata abrantino.

- Publicidade -

“Os concelhos que referi anteriormente, juntos representaram nas últimas legislativas 4716 votos, ou seja, menos 1189 votos para o PSD, comparativamente com Abrantes”, notou.

O Presidente da Comissão Política do PSD de Abrantes, Diogo Valentim. Foto: mediotejo.net

“Aquilo que nos foi proposto, o nono lugar, não correspondeu às nossas expectativas, porque o PSD de Abrantes, quer renovação de quadros, quer gente com dinâmica, com massa crítica, capaz de combater o bicho papão da abstenção que incide especialmente nos jovens entre os 18 e os 24 anos”, afirmou Diogo Valentim, tendo feito notar que “Abrantes, e a zona norte do distrito, saiu a perder em termos de representatividade (não será o 8 lugar de Tomar que fará a diferença), no entanto a esperança é sempre a última a morrer”.

“Votámos contra a lista apresentada, pelos motivos anteriormente apresentados, contudo, não estão em causa os três primeiros nomes, Ourém, Santarém e Rio Maior, pela lógica do peso político que ambas têm”, frisou.

Por último, acrescenta, “reforçámos na última assembleia distrital do partido que somos totalmente contra a ingerência da nacional do PSD na escolha dos cabeças de lista, de forma a evitar os ditos “paraquedistas”, que nada têm a ver com o nosso território, e que em nada nos representam. Queremos evitar os erros cometidos num passado recente, por exemplo, como a indicação da Teresa Leal Coelho em 2015”, concluiu.

Contactado pelo mediotejo.net o deputado Nuno Serra optou por não fazer comentários sobre a lista aprovada e a exclusão dos atuais deputados eleitos pelo distrito de Santarém.

Duarte Marques, no entanto, mostrou-se surpreendido com a sua exclusão da lista apresentada e aprovada na quarta-feira pela distrital do PSD.

O deputado do PSD, Duarte Marques. Foto: DR

“A minha maior surpresa é a minha exclusão”, afirmou ao mediotejo.net, tendo relevado o facto do seu nome “nem nos suplentes” aparecer, apesar ter tido várias indicações para a lista, pelo que o nosso jornal apurou.

O deputado de 38 anos, natural de Mação“, disse ainda que o processo não está terminado, não querendo alongar-se em mais declarações.

“Não quero falar de um processo que ainda não está terminado e que até lá deve continuar a ser tratado nos órgãos próprios”, concluiu.

“O processo ainda não terminou. Isso não é grave, grave é o estado dos nossos hospitais, o caos nos serviços públicos e uma economia que não cresce”, acrescentou.

PSD Santarém aprova candidatos a deputados com presidente da distrital à cabeça. Foto: PSD STR

A Comissão Política Distrital do PSD de Santarém alargada às secções aprovou na quarta-feira, dia 26 de junho, por maioria, as indicações de candidatos a deputados à Assembleia da República, sendo João Moura, atual presidente da distrital e presidente da Assembleia Municipal de Ourém o cabeça de lista.

O presidente da distrital social-democrata de Santarém, João Moura, disse à Lusa que a indicação do seu nome como cabeça de lista foi votada por uma “expressiva maioria” por corresponder à orientação saída da Assembleia Distrital do passado dia 15, de que deveria ser uma pessoa “com fortes ligações ao distrito” e tida como “uma mais valia para o resultado do PSD nas legislativas”.

João Moura sublinhou que a escolha do cabeça de lista é uma competência de Rui Rio, presidente do partido, e declarou existir a expetativa do reconhecimento do seu “forte vínculo” ao distrito e de pertencer a uma concelhia (Ourém) de “maioria expressiva” social-democrata.

“Respeitaremos a posição do presidente do partido, mas esta é a vontade do distrito, na convicção de que obterá o melhor resultado”, afirmou.

A lista apresenta em segundo lugar o advogado de Santarém Ramiro Matos e em terceiro a atual presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Isaura Morais, seguindo-se Rui Rufino (indicado pela concelhia da Chamusca), Jorge Simões (Torres Novas), Sónia Ferreira (Benavente), João Oliveira (JSD e da concelhia do Cartaxo), Célia Bonet (eleita como vereadora independente em Tomar) e Isilda Aguincha (TSD e da concelhia do Entroncamento).

João Moura afirmou que o facto de não ter sido seguida a indicação de apresentação dos nomes por ordem alfabética não é problemática, reconhecendo que a proposta saída da reunião de quarta-feira à noite será ainda discutida com o secretário-geral do partido antes da ordenação final.

“É uma lista muito equilibrada, com representação de todo o distrito. Sabemos que não é fechada, que ainda vai ser alvo de negociação, mas apresenta uma linha, uma espinha dorsal, e satisfaz a vontade da distrital, não deixando o ónus da decisão no âmbito da negociação sobre mim”, declarou, frisando que a lista apresentada pela Comissão Política Distrital teve uma “votação expressiva”.

Segundo João Moura, todos os elementos da lista – que inclui ainda os suplentes José Salvado (Vila Nova da Barquinha), Ana Cláudio (Torres Novas), Ricardo Oliveira (Benavente), Teresa Nogueira (Cartaxo) e Cláudia Ferreira (Vila Nova da Barquinha) – assumiram o compromisso de, caso sejam eleitos, exercerem a função de deputado em exclusividade.

João Moura é o presidente da distrital de Santarém do PSD. Foto arquivo: DR

A Comissão Política Nacional (CPN) vai reunir-se com as várias Comissões Políticas Distritais entre 08 e 19 de julho para discutir as propostas de listas, de acordo com o calendário aprovado pela direção do PSD em maio.

A mesma deliberação refere que, em finais de julho, a Comissão Política Nacional e o Conselho Nacional aprovam as listas de candidatos.

Na mesma ocasião, a direção de Rui Rio aprovou os critérios para a elaboração das listas dos candidatos a deputados para a próxima legislatura, nas quais se inclui a “concordância com a orientação estratégica da Comissão Política Nacional e disponibilidade para cooperar de forma politicamente leal e solidária”.

Na atual legislatura, o PSD conta com três deputados eleitos pelo distrito de Santarém: Teresa Leal Coelho, Nuno Serra e Duarte Marques.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome