Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Santarém | BE quer audição urgente com ministro por causa dos CTT

O Bloco de Esquerda fez aprovar, por unanimidade, um requerimento para o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, prestar esclarecimentos relativamente ao contrato de concessão dos Correios de Portugal (CTT).

- Publicidade -

O pedido, com caráter de urgência, mereceu o voto favorável de todos os partidos representados na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.

Segundo a deputada do BE eleita pelo círculo eleitoral de Santarém, Fabíola Cardoso, “o Bloco decidiu chamar o ministro com a tutela dos CTT, pois é impossível ignorar o mau serviço postal no distrito e no País, sendo esta também uma forma de nos solidarizarmos com as trabalhadores e trabalhadores dos Correios de Portugal, que encontraram na greve do passado mês de setembro, a única forma de defender o serviço universal de correio e melhores condições de trabalho”, lê-se em nota de imprensa.

- Publicidade -

O BE acusa o Governo de “pretender renovar o contrato de concessão por mais sete anos recorrendo a ajuste direto” e exige “o cabal esclarecimento da decisão de renovação de contratação, dos seus moldes e critérios, com vista a garantir a transparência de um processo importante para o futuro do serviço postal em Portugal”.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome