SANTA MARGARIDA: Tropas da NATO no terreno para mostrar prontidão face a ameaças

Começou esta quarta-feira, 21 de outubro, a segunda fase do exercício militar Trident Juncture 2015, a fase do ataque no terreno, depois do exercício internacional ter estado focado no trabalho de treino e aprontamento ao nível das diversas estruturas de comando.

PUB

DSC_2543Hoje, no Campo Militar de Santa Margarida, em Constância, o Coronel Michel Saint-Louis, Comandante da 5ª Brigada Mecanizada do Canadá, assumiu o comando de todas as forças terrestres envolvidas no exercício Trident, tendo agradecido a hospitalidade dos portugueses e dos habitantes da região envolvente ao desenrolar do exercício, tendo os militares dedicado esta manhã à prática de jogos desportivos tradicionais das várias nacionalidades presentes, e à exibição do material militar que vai estar envolvido nesta grande operação.

LIVEX4Em declarações ao mediotejo.net, o Tenente-Coronel Pedro Barreiro, Comandante do 2º BIMEC/Rodas, explicou como se vai desenrolar este exercício militar internacional, com cerca de 3 mil militares presente na região do Médio Tejo, quais os objetivos da NATO com este treino operacional, e qual a visibilidade que os mesmos poderão ter nas localidades da região, como Constância, Vila Nova da Barquinha, Abrantes, Tomar, Entroncamento, entre outras.

PUB

“A partir do dia 31 de outubro, dia em que os cerca de 3 mil homens se vão deslocar para norte do rio Tejo, para depois iniciar a operação ofensiva para Sul, a dimensão, deslocação e concentração da força terrestre terá natural alteração à circulação normal de trânsito, mas teremos o cuidado máximo para que os impactos junto das populações sejam mínimos”, afirmou o Comandante do 2º BIMEC.

DSC_2640O Trident Juncture envolve cerca de 10 500 militares em solo nacional, com exercícios ao nível terrestre, aéreo e marítimo.

O exercício militar Trident Juncture 2015 visa demonstrar que a NATO “está preparada para lidar com todos os tipos de ameaças”, afirmou na terça-feira o secretário-geral adjunto da Organização.

20151019_PRT_PRA_4“O exercício não é sobre um país real mas tem o objetivo de demonstrar que a NATO tem capacidades fortes para lidar com todos os tipos de ameaças, convencionais ou não convencionais” e é também “uma oportunidade para aumentar a prontidão e a flexibilidade”, afirmou Alexander Vershbow, que elogiou o “forte empenho e o compromisso” de Portugal como uma das três nações hospedeiras.

A segunda fase do Trident Juncture 2015 começou na quarta-feira nas zonas de Beja, Tróia, Setúbal e Santa Margarida, no concelho de Constância, destinando-se ao “treino tático das diversas unidades” para “complementar a sua certificação”, especifica, entretanto, um comunicado do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

Em conferência de imprensa após participar no Fórum da Indústria da NATO, que decorreu num hotel em Lisboa, o secretário-geral adjunto da Organização do Tratado do Atlântico Norte disse registar ainda o “forte compromisso de Portugal para com a NATO, num “contexto complexo” em que a “segurança não pode ser dada como garantida”.

LIVEX2

De acordo com o comunicado do EMGFA, a aliança atlântica pretende “mostrar um aumento do nível de ambição na guerra moderna conjunta e que possui a capacidade adequada para enfrentar os desafios de segurança atuais e futuros”.

Mais de 12 organizações internacionais, agências de auxílio e organizações não-governamentais participam também no exercício.

Na final do Trident Juncture 2015, o quartel-general do Comando de Forças Conjuntas Brunssum será oficialmente certificado para liderar a Força de Resposta da NATO ao longo de 2016, caso esta seja ativada.

*C/LUSA

PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).