Sábado, Fevereiro 27, 2021
- Publicidade -

Rossio ao Sul do Tejo | Serralves em Abrantes com exposição ‘O Parque em Macro’ (c/fotos e video)

A exposição ‘O Parque em Macro’, a primeira iniciativa resultante do protocolo firmado entre o Município de Abrantes e a Fundação de Serralves em junho último, inaugurou, esta quarta-feira, 19 de setembro, no Parque Tejo, em Rossio ao Sul do Tejo, no âmbito do projeto ‘Serralves em Abrantes’.

- Publicidade -

A exposição ‘O Parque em Macro’, focada na fauna e na flora de Serralves, no Porto, revela ao visitante o pormenor, as curiosidades, a beleza e a arte oculta nos valores naturais do Parque, de outro modo invisível, e que agora chegam a Abrantes.

Trata-se de uma seleção de macrofotografias de grande formato para apreciar ao ar livre. A exposição integra as imagens vencedoras do concurso oportunamente lançado ao público para captar o “seu” Parque em macro, e no dia da inauguração no Parque tejo contou com apontamentos musicais por músicos do concelho de Abrantes.

- Publicidade -

Assim, na visita ao Parque Tejo, o visitante é convidado por Serralves a observar uma exposição sobra a biodiversidade, associada a um conjunto de oficinas sensoriais.

Nesta exposição, “somos naturalmente confrontados com a mestria e a beleza do seu desenho, o seu valor histórico, a sua diversidade de cores, aromas, formas e texturas, a sua fauna e a sua flora” lê-se logo no primeiro painel à entrada da exposição.

Na verdade, tal biodiversidade podemos encontrar em muitos outros locais do País nomeadamente em Abrantes. No entanto, esta exposição é sobre o que não se consegue observar a olho nu, um mundo escondido, misterioso à espera de ser descoberto através da macrofotografia – uma vertente fotográfica destinada a captar detalhes de pequenos objetos ou de pequenos seres vivos, muitas vezes invisíveis à vista desarmada.

Além da presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, e de outras individualidades, presente na inauguração da exposição esteve Ana Pinho, presidente do conselho de administração da Fundação Serralves.

A responsável focou “uma tentativa de sair dos nossos muros e mostrar fora de portas, com atividades conjuntas, como esta exposição que mistura cultura e ambiente”.

Esta é a primeira de “muitas outras iniciativas com a Câmara Municipal de Abrantes que estará presente na ‘Festa do Outono’ nos dias 29 e 30 de setembro”, avançou, evento que conta com a presença do primeiro-ministro, António Costa, no dia 29.

Ana Pinho deu ainda conta de mais um trabalho conjunto entre Serralves e o município de Abrantes, “iniciativa a apresentar dentro de pouco tempo”, sem avançar com mais detalhes.

Por seu lado, Maria do Céu Albuquerque destacou a parceria com a Fundação Serralves como potenciadora de desenvolvimento local, contribuindo para o desenvolvimento individual e coletivo da comunidade abrantina.

“Um trabalho visível que começa com esta exposição” que pretende “criar condições para a comunidade abrantina usufruir da receita desta relação” com o objetivo de “ir mais longe, formar cidadãos, e que Abrantes seja referência nacional e internacional”.

A presidente destacou ainda a potencial atração turística “para alavancar o nosso desenvolvimento”, tendo em conta que “a competitividade marcará a agenda da próxima época”.

Veja em baixo as declarações da presidente de Abrantes:

Rossio ao Sul do Tejo | Durante a inauguração da Exposição 'O Parque em Macro', no Parque Tejo, a primeira iniciativa resultante do protocolo assinado com a Fundação Serralves, a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, fala da importância e dos objetivos desta parceria bem como da mostra dedicada à biodiversidade.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

Os funcionários do município “receberam formação em Serralves no domínio da Cultura e daqui a 15 dias levam a Serralves artesanato da freguesia de Mouriscas”, revelou a autarca.

Sobre a mostra, e com o espelho de água no rio Tejo como pano de fundo, Maria do Céu Albuquerque falou do “esforço” necessário para “melhorar a nossa biodiversidade”. Sublinhou que “sustentabilidade não é falar apenas de energias alternativas mas de biodiversidade que faz parte do nosso ecossistema”. Por isso, destacou a importância de “associar a arte ao conhecimento científico. Preservar o meio ambiente é uma responsabilidade coletiva” disse.

No final dos discursos decorreu uma troca de presentes com a presidente da Câmara a entregar a Ana Pinho três peças do concelho: um livro de fotografia do Tejo, uma caixa de cortiça da Sofalca e um outro livro de histórias da Cidade Imaginária. Ana Pinho retribuiu oferecendo a Maria do Céu Albuquerque uma taça “refletindo o património artístico de Serralves”.

A exposição estará patente até 31 de dezembro, acompanhada por um conjunto de oficinas pedagógicas no âmbito dos eixos Arte e Ambiente que explorarão a importância da conservação e preservação da biodiversidade, através de imagens que captam detalhes de pequenos animais, de flores e plantas.

Oferece ainda a possibilidade de visitas guiadas a famílias, grupos, escolas, mediante marcação prévia, num horário diário entre as 09h00 e as 20h00.

 

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).