Rio Maior | Missão Europa’ de atletas brasileiros vale quase 30% do orçamento do centro de estágios

Missão Europa’ de atletas brasileiros vale quase 30% do orçamento do centro de estágios de Rio Maior. Foto: DR

Os cerca de 150 atletas brasileiros integrantes da ‘Missão Europa’, que vão estagiar até novembro em Rio Maior, serão responsáveis por quase 30% do orçamento deste ano do centro de estágios da cidade ribatejana.

PUB

A presidente da administração da Desmor, Diva Cobra, explicou hoje à Lusa que as infraestruturas riomaiorenses vão começar a ser utilizadas por uma comitiva de aproximadamente 80 pessoas, entre atletas de natação pura, artística, boxe e judo, acompanhados das respetivas equipas técnicas e médicas.

Depois desta fase inicial, o centro de estágios vai acolher mais atletas brasileiros, das seleções de atletismo, triatlo e andebol, até um total de 150 elementos.

PUB

“Vão permanecer aqui até novembro, entrando e saindo conforme a existência de competições na Europa”, frisou a responsável, reconhecendo a importância desta oportunidade “em termos desportivos e financeiros, que poderá representar entre 20% a 30% do orçamento anual”.

Os elementos da ‘Missão Europa’ são testados à covid-19 antes do embarque no Brasil, cerca de 72 horas antes, e, novamente, à chegada a Portugal, onde também vão realizar testes serológicos. Mediante os resultados são iniciados os planos de treino.

PUB

“A nossa equipa teve formação específica e as nossas instalações foram adaptadas às regras da Direção-Geral da Saúde (DGS). A preocupação principal é conseguirmos manter a desinfeção permanente dos espaços e garantir o cumprimento da utilização rigorosamente, com base nos planos desenvolvidos pelos nossos técnicos”, referiu Diva Cobra.

A responsável admitiu que o centro de estágios foi contactado pelo comité colombiano, igualmente no âmbito da preparação olímpica, para uma ação com menos atletas.

No sábado, o presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, disse à Lusa que a ‘Missão Europa’ do Comité Olímpico do Brasil (COB) vai representar um impacto de 2,5 milhões de euros para o país.

De acordo com o COB, os primeiros atletas de 16 modalidades vão começar a embarcar para Portugal na sexta-feira, depois de o Governo português ter assegurado “condições especiais previstas para brasileiros em exercício de atividade profissional no país”.

A ‘Missão Europa’ vai decorrer até perto do fim do ano, tendo em vista a preparação para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, que foram adiados para 2021 devido à pandemia de covid-19.

Rio Maior vai ser o ponto central deste projeto, que vai estender-se também a Coimbra, no caso do judo, Cascais, no caso da vela, e Sangalhos, para as ginásticas artística e rítmica.

Para sexta-feira, está prevista a chegada da seleção de judo, que vai cumprir três dias de isolamento em Rio Maior e, depois, rumar a Coimbra, para um estágio até 29 de agosto.

“Portugal foi escolhido como destino principal da Equipa Brasil na Europa, tendo em vista que o país se encontra num estágio avançado da contenção da pandemia do novo coronavírus, além do bom relacionamento do COB com o COP. O país servirá, inclusive, como base de aclimatação da equipa brasileira para os Jogos Olímpicos Paris2024”, indicou o COB, em comunicado.

O Brasil é o segundo país do mundo com mais mortos e infetados com covid-19, totalizando no domingo 72.100 mortos e 1.864.681 casos confirmados de infeção.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here