Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Julho 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Riachense: Mostrámos bom futebol mas por culpa própria não ficámos no pódio (com áudio)

É considerado um treinador competente mas também controverso, por vezes polémico pois não gosta de ficar com nada por dizer. Mário Nélson Pereira Antunes tem 36 anos, nasceu em Torres Novas, localidade onde vive. Casado e pai de um menino e uma menina.

- Publicidade -

Como jogador representou a Juventude das Lapas, CADE, Torres Novas, Riachense, Alcanenense, Amiense, União de Santarém e Fazendense, tendo jogado na antiga 2ª Divisão B e 3ª Nacional. Venceu o distrital por duas vezes, em Torres Novas e Riachos, e conquistou a Taça do Ribatejo e a Supertaça ao serviço do clube torrejano.

É treinador principal desde 2012-2013, tendo logo na primeira época como responsável máximo por uma equipa, conquistado o título de Campeão Distrital e a subida de divisão ao serviço da União da Chamusca. Na época seguinte segue para Fazendas de Almeirim, onde fica duas épocas, conquistando a Taça do Ribatejo logo na primeira época e é finalista vencido da Supertaça.

- Publicidade -

Esta época foi convidado a abraçar o projecto de relançamento do Clube Atlético Riachense, construiu uma equipa quase de raiz, mesclada com juventude e experiência, tendo ao seu dispor alguns jogadores com pouca experiência de 1ª Distrital. Avalia a posição alcançada, quinto lugar (internamente consideram ter ficado em quarto), como um desempenho aquém do real potencial e valor da equipa, considerando que isso ficou a dever-se “à falta de competência” em alguns jogos no Coronel Mário Cunha. Para Mário Nelson a sua equipa tinha valor para lutar pelo pódio da edição 2015-2016 do Campeonato Distrital da 1ª Divisão, achando justo o reconhecimento por alguns treinadores das outras equipas, em relação ao futebol apresentado pela sua equipa.

Tem tudo acertado para continuar em Riachos, já trabalhando na preparação e planificação da próxima época, embora a sua continuidade esteja dependente de dois convites que tem em cima da mesa, de duas equipas que lutam nesta altura pela manutenção na Campeonato de Portugal. Só a ida para o Campeonato de Portugal o poderá fazer deixar aquele que para si é o melhor clube do distrito de Santarém.

Mário Nélson e o balanço da época:

Perguntas rápidas:

1- Alguma equipa o surpreendeu ou encheu as medidas com o futebol que apresentou?

2- Alguma equipa que o tenha desiludido ou ficado aquém do que estava à espera?

3- Em termos individuais, pode apontar alguma figura do campeonato?

4- O melhor momento da época?

5- O pior momento da época?

6- No seu entender e pelo futebol jogado, Moçarriense, União Desportiva Abrantina e Rio Maior, foram efectivamente as equipas que mereceram descer de divisão?

7- Como avalia o desempenho da arbitragem nesta época?

A próxima época:

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here