REPORTAGEM | O primeiro dia de um ano letivo em Abrantes em cenário de pandemia

No arranque do ano letivo 2020/2021 no Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes, o ministro da Educação, acompanhado dos secretários de Estado João Costa e Susana Amador, visitou a Escola Secundária Dr. Solano de Abreu. Foto: mediotejo.net

Arrancou esta segunda-feira, 14 de setembro, o ano letivo 2020/2021 no Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes. Com máscara na cara e gel desinfetante nas mãos, no concelho foram mais de 1700 os alunos que regressaram à escola após encerramento dos estabelecimentos escolares em março, devido à pandemia de Covid-19. Se por um lado há apreensão e receio quanto ao futuro, do outro há uma vontade e entusiasmo em regressar expressa pelos alunos. No primeiro dia de um ano letivo marcado pela pandemia, por um novo método de avaliação e também pela transferência de competências, não faltou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que visitou a escola sede do agrupamento e ficou a par das soluções encontradas para voltar a trazer os estudantes à escola.

PUB

08h15. Avenida das Forças Armadas, em Abrantes. Desde inícios de março que o trânsito não era tanto. A passo de caracol, as duas vias no sentido que dá acesso ao centro da cidade estão completamente entupidas. Entre pontos de embraiagem e algumas buzinadelas, o cenário repete-se assim que se tenta entrar na Rua Visconde de Abrançalha, o acesso principal à Escola Básica e Secundária Dr. Solano de Abreu (EBSSA).

Pelas 08h15 desta terça-feira, era este o cenário vivido na Avenida das Forças Armadas. Foto: mediotejo.net

O motivo? O dia 14 de setembro de 2020, que marcou o regresso às aulas dos alunos do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes. São no total 1777 os estudantes deste agrupamento (910 no caso da escola sede, a EBSSA) que esta segunda-feira acordaram para uma nova rotina, onde vocábulos como “máscara”, “distanciamento” e “desinfetante” vão ser, ainda mais, palavras de ordem no seu dia a dia.

PUB

Além da confusão no trânsito, a azáfama de um primeiro dia de aulas faz-se sentir às portas da escola. Do lado de fora do portão, no passeio junto à entrada, passamos por pequenos aglomerados de estudantes, alguns deles, sobretudo os mais velhos, com a máscara, mas no braço.

O primeiro dia de aulas do novo ano letivo na Escola Básica e Secundária Dr. Solano de Abreu. Foto: mediotejo.net

Já os mais pequenos, passam apressados de máscara na cara e de mão dada com os pais.
“Medonho”. É assim que Cátia, mãe de um aluno que vem pela primeira para a Escola Dr. Solano de Abreu, adjetiva este regresso às aulas. A principal preocupação “é o vírus” e “há sempre receio” mas admite, em declarações ao mediotejo.net, que a escola informou devidamente os pais acerca das medidas tomadas. O filho vai para o 5º ano e leva já a lição estudada de casa.

PUB

“Está muito bem informado, já desde a escola primária, o ano passado, mas vamos ver como corre”, admite.

A mãe fica a uns metros da entrada a ver o filho entrar. O tão simples mas sentido beijinho de despedida é trocado por um acenar apressado. Tal situação é comum a tantos outros pais que na manhã deste primeiro dia de aulas ficaram em fila estacionados a ver os filhos dar o passo em frente pelo portão da escola dentro.

Ao mediotejo.net, um casal que veio deixar o filho que frequenta o 6º ano de escolaridade fala sobre as preocupações “de todos os pais”.

“De que os miúdos não se protejam como deve ser, que não desinfetem as mãos, que não tenham os cuidados que devem ter e como vai ser com as refeições, os recreios”, dizem, sublinhando no entanto que receberam todas as informações por parte da escola e que este regresso presencial é “extremamente importante” quer em termos de rotinas quer em termos de convívio com outros estudantes.

Entrada da Escola Dr. Solano de Abreu, Abrantes. Foto: mediotejo.net

Também por ser o primeiro dia de aulas, o carro foi a escolha mais visível em termos de meio de transporte. Por sua vez, os autocarros passam com meia dúzia de jovens, uns com mais lugares ocupados do que outros mas nada comparável às imagens de autocarros cheios que há um ano se via passar avenida cima.

Exemplo disso é Joana Branco. Está no 11º ano e o autocarro costuma ser o meio de transporte que utiliza desde Alferrarede até à Escola Secundária Dr. Solano de Abreu.
“Hoje o meu pai veio trazer-me de manhã”, conta-nos. Mas confessa-nos que não está amedrontada com a situação, isto porque defende que “se estiver tudo higienizado e se o trabalho for bem feito há um risco mínimo de apanhar o vírus”.

Joana frequenta a Escola Secundária Dr. Solano de Abreu desde o 7º ano e já conhece os cantos à casa, por isso, no seu caso, não teve dificuldades em chegar à sala da primeira aula da manhã.

“À entrada da escola há desinfetante, desinfetei as mãos, passei o cartão da escola, e depois cada um entra e vai à sua vida, não há perguntas”, explica.

As regras de entrada no recinto escolar são claras: máscara na cara, uma funcionária disponibiliza gel desinfetante e um a um os estudantes entram sozinhos. Depois, cada um segue o seu caminho, sendo que os alunos que ingressam nesta escola pela primeira vez (nomeadamente 5º e 7º anos) têm ajuda de alunos do secundário. No interior, circula-se pela direita e cada aluno tem uma entrada diferente consoante o piso onde vai ter aulas.

No interior da escola, a circulação faz-se pela direita. Foto: mediotejo.net

Uma escola nova em tempos de pandemia que constitui ainda uma novidade maior para aqueles que mudam de escola. É o caso de três amigas – a Mariana, a Rita e a Rafaela – que vão para o 10º ano.

“Viemos de Santa Margarida da Coutada, Constância”, dizem, em declarações ao mediotejo.net. Mostram-se entusiasmadas e nem o receio perante a ameaça da Covid-19 e o futuro “imprevisível e estranho” as demove: todas defendem que ir à escola é melhor do que a escola ir a casa.

“Acho que as aulas presencialmente é melhor, é mais importante, aprendemos de forma melhor”, diz Mariana. “É muito mais fácil conseguirmos aprender presencialmente do que com a telescola”, acrescenta Rita.

No final do primeiro dia de aulas, o diretor do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes, Jorge Costa, fez um balanço sobre o arranque do ano letivo, em declarações ao nosso jornal:

No caso do Agrupamento de Escolas Nº1, todos os alunos, com exceção do pré-escolar e 1º ciclo, receberam um kit com três máscaras descartáveis para utilizar dentro da escola. Recorde-se que entre as novas regras definidas no regresso às aulas está o uso obrigatório de máscara dentro do espaço escolar (exceto para o pré-escolar e 1º ciclo).

O distanciamento físico de, sempre que possível, um metro entre mesas nas salas de aula, a higienização dos espaços e a definição de circuitos de circulação são outras das medidas adotadas neste regresso às aulas, após o encerramento dos estabelecimentos de ensino em março deste ano, devido à Covid-19.

“É absolutamente essencial voltarmos à escola”: Ministro da Educação visita ESSA

O arranque do ano letivo 2020/2021 no concelho de Abrantes é este ano marcado por diversos desafios que fazem com que este não seja “apenas” mais um regresso às aulas.
Este é, recorde-se o primeiro ano em que o Município de Abrantes assume a totalidade das competências na área da Educação, em resultado do processo de transferência de competências do Estado central para as autarquias.

A isto acresce ainda, no caso particular do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes, um novo modelo pedagógico que tem aplicação pela primeira vez este ano letivo 2020/2021. Um Plano de Inovação que foi recentemente aprovado pelo Estado, a ser aplicado em todas as escolas do agrupamento, que vão passar a funcionar por semestres.

Com este novo método, pretende-se uma avaliação sistemática mais focada na aprendizagem e desenvolvimento das capacidades críticas e de reflexão dos alunos, com a estimulação das estruturas cognitivas através resolução de problemas, não sendo apenas a nota de um teste a determinar os conhecimentos do aluno.

E, inevitavelmente, este é também um ano letivo marcado pela questão da pandemia de Covid-19, que obrigou as escolas a mudanças logísticas no sentido de adaptar os estabelecimentos de ensino para terem condições de receber os alunos. Circuitos de circulação, disponibilização de gel desinfetante, uso de máscara obrigatório e distanciamento social são algumas das regras de segurança a ter em conta num ano escolar que vai ter mais dias de aulas e menos dias de férias, numa alteração justificada pelo Ministério da Educação com a necessidade de consolidar as matérias do ano letivo passado, afetado pelo aparecimento da pandemia.

E foi precisamente no sentido de assinalar o arranque do ano letivo e também de ficar a conhecer as soluções encontradas nas escolas que o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, acompanhado pelos secretários de Estado da Educação João Costa e Susana Amador, visitou esta segunda-feira, 14 de setembro, a Escola Básica e Secundária Dr. Solano de Abreu.

O diretor do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes, Jorge Costa, conduziu a visita à Escola Dr. Solano de Abreu. Foto: mediotejo.net

Na ocasião, o ministro ficou a par dos circuitos de circulação definidos dentro daquela que é a escola sede do Agrupamento Nº1 de Abrantes. Desde a biblioteca até ao refeitório, passando também por salas de aula, o ministro pôde observar as medidas adotadas pela escola, onde não faltam nas paredes os cartazes enunciativos das recomendações de segurança emitidas pela Direção-Geral da Saúde relativas à prevenção do contágio da Covid-19.

Numa visita guiada pelo diretor do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes, Jorge Costa, o ministro da Educação não deixou de mostrar o seu contentamento pelo facto de este ano existirem “dezenas de escolas por todo o país a abrir no primeiro dia, o que é também uma demonstração da confiança”.

Tiago Brandão Rodrigues teve também a oportunidade de intervir numa aula de 11º da disciplina de Matemática, onde questionou os alunos sobre quais as regras de etiqueta respiratória a ter e quais os demais cuidados a tomar.

Abrantes | O ministro da Educação esteve hoje numa com alunos de uma turma do 11º ano na Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, marcando o início do ano letivo

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Tiago Brandão Rodrigues aproveitou esta ação junto dos alunos para falar também sobre a StayAway Covid, uma aplicação para telemóvel desenvolvida pelo Governo que pretende identificar potenciais exposições a pessoas infetadas com a Covid-19.

O responsável do Governo visitou também uma turma do 5º ano, numa aula de Educação Visual e Tecnológica. Tiago Brandão Rodrigues lembrou os alunos de que as regras de segurança face à Covid-19 são para cumprir não só dentro como também fora da escola.

Relativamente a este ponto, o responsável sublinha que “as regras que se impõem dentro dos estabelecimentos escolares impõem-se também fora dos estabelecimentos escolares. Todas as regras para que possamos diminuir a probabilidade da propagação”.

Abrantes | O ministro da Educação conversou com alunos do 5º ano na Escola Secundária Dr. Solano de Abreu

Abrantes | O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, esteve a falar com os alunos de uma turma do 5º ano na Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, marcando o início do ano letivo

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 14 de setembro de 2020

No final da visita, em declarações aos jornalistas, o ministro da Educação destacou a exigência que é visível por parte dos diretores, corpos docentes e não docentes na preparação “muito apurada e atempada de todas as regras”.

Falando no caso específico da Escola Dr. Solano de Abreu, Tiago Brandão Rodrigues destacou a eficácia que notou quer em termos de organização, com sinalização no chão, quer em termos de alunos, a respeitar as regras estabelecidas.

“O que vimos aqui hoje foi muito positivo. Uma escola em que a direção, em conjugação com a autarquia, os docentes, os alunos, nos demonstram que é absolutamente essencial voltarmos à escola porque nada substitui o ensino presencial”, reiterou o governante.

Visita do ministro da Educação à Escola Dr. Solano de Abreu, que reabriu portas esta segunda-feira para um novo ano letivo. Foto: CMA

O ministro admite ainda que o Governo efetuou este ano um “enorme investimento” em recursos humanos, entre professores, técnicos de intervenção e assistentes operacionais.

Tiago Brandão Rodrigues deixou também o agradecimento às forças de segurança, nomeadamente a GNR e a PSP, que estão a realizar uma campanha de sensibilização por todo o país junto dos cerca de cinco mil estabelecimentos escolares, até ao dia 25 de setembro. para “sensibilizar e monitorizar a envolvência da escola e a partir da escola podermos positivamente ir mostrando ao resto da sociedade o que é que de tão bem se faz dentro da escola para também podermos fazer fora da escola”.

Tiago Brandão Rodrigues deixou também um agradecimento às forças de segurança, nomeadamente a GNR e a PSP. Os agentes da autoridade estiveram hoje durante todo o dia junto à entrada da escola a sensibilizar os estudantes. Foto: mediotejo.ne

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here