Rede de serviços de transporte reforçada no Médio Tejo com arranque do ano letivo

Rede de serviços de transporte reforçada no Médio Tejo com arranque do ano letivo. Foto: DR

A rede de serviços de transportes públicos vai ser reforçada na região do Médio Tejo a partir desta segunda-feira com o início do novo ano letivo, prevendo-se cerca de 650 ligações diárias, anunciou a Comunidade Intermunicipal.

PUB

“Com o arranque do período escolar, a partir do dia 14 de setembro (…) entra novamente em vigor no Médio Tejo a rede de serviços essenciais de transporte, adequados às necessidades reais da comunidade escolar e da população em geral”, deu conta a CIM Médio Tejo, com sede em Tomar, e que integra 13 municípios dos distritos de Santarém e Castelo Branco.

Em nota de imprensa, a CIM do Médio Tejo refere que “o objetivo é que esta rede de serviços essenciais de transporte público escolar corresponda à oferta de transporte no período homólogo do ano anterior, que é agora reforçada com novas circulações, mediante as normas da Direção Geral da Saúde para com as escolas”.

PUB

A 27 de abril, em resposta de adaptação aos efeitos da pandemia de Covid-19, foi implementada uma rede de serviços essenciais de transportes no Médio Tejo e a oferta decorrente da mesma manteve-se até ao passado dia 01 de julho, altura em que foi reduzida durante o período das férias escolares.

Agora, a partir desta segunda-feira, “retoma a globalidade das circulações, tendo em conta o arranque do ano letivo, prevendo-se cerca de 650 ligações diárias por todo o Médio Tejo”, pode ler-se na nota informativa.

PUB

Para a utilização do transporte público é obrigatória a utilização de máscaras durante a viagem, de modo a minimizar os riscos de transmissão do vírus Covid-19.

Em reunião do Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo, os autarcas da região manifestaram-se ainda contra a “redução significativa do apoio prestado ao ensino artístico especializado da música e da dança”.

Em comunicado, os autarcas do Médio Tejo dão conta de terem analisado a atribuição de verbas que resultou do Contrato de Patrocínio 2020-2026, a que os estabelecimentos de ensino se candidataram, tendo concluído que “o financiamento proveniente da tutela para a globalidade das escolas do Médio Tejo foi brutalmente reduzido, comparativamente ao anterior contrato de 2018/2024”.

Nesse sentido, dando conta de “grande preocupação” com uma situação que “vai provocar profundas desigualdades regionais”, os autarcas do Médio Tejo reivindicam a “abertura de um novo Concurso de Patrocínio que possibilite a reavaliação das verbas atribuídas às escolas da região e, com isso, a manutenção do número de alunos financiados por escola e por variante de ensino especializado (música e dança), nos diferentes níveis (iniciação, básico e secundário)”.

A CIM Médio Tejo integra os concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas, e Vila Nova da Barquinha (do distrito de Santarém) e Sertã e Vila de Rei (distrito de Castelo Branco), com um total de 247.330 habitantes (censos 2011).

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here