Ralicross | Ausência de público em Mação compensada com corridas muito competitivas

Corridas animadas compensaram a ausência de público.

Para a tarde de domingo, dia 6 de setembro, estavam reservadas as finais da quarta prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, denominada Mação Verde Horizonte, uma organização do Clube Automóvel de Mação. A prova, disputada na Pista da Boavista despida de público devido ao contexto pandémico, trouxe corridas entusiasmantes e assinalou a estreia do campeoníssimo António Santinho Mendes na modalidade com o Opel Astra com que o neto, com o mesmo nome, se sagrou campeão na época transata em duas rodas motrizes.

PUB

Foi mesmo o neto a lançar-lhe o repto no âmbito das comemorações das Bodas de Ouro automobilísticas do grande Campeão. O mediotejo.net acompanhou as finais e deixa aqui um pequeno resumo daquilo que aconteceu ao longo da tarde.

Iniciação

PUB
Gonçalo Novo.

Com muito calor, logo após o almoço, saíram para a pista os pilotos mais jovens da classe iniciação. O Toyota Starlet amarelo de Gonçalo Novo saiu da “pole-position” e rapidamente fugiu à concorrência não permitindo que qualquer deslize lhe pudesse roubar o lugar mais alto do pódio.

A luta pelos lugares seguintes ficou então para André Monteiro e Gonçalo Rocha que cometeram alguns excessos resultando numa penalização a Rocha cujo Peugeot 106 havia cruzado a linha de meta logo após Novo, subindo assim o Toyota Corolla de Monteiro ao segundo lugar apesar de ter cumprido duas voltas com o “capôt” aberto, roubando-lhe, parcialmente, a visibilidade da pista.

PUB

Guilherme Nunes (Toyota Starlet) fez o quarto lugar secundado pela primeira Senhora Rafaela Barbosa em Citroën AX que encerrou o “top-five”.

Nacional 2RM

Adão Pinto dominou nas duas rodas motrizes.

Foi na corrida reservada aos duas rodas motrizes que o patriarca do clã Santinho Mendes fez a sua estreia no Ralicross a poucos meses de completar os oitenta anos!!!

Adão Pinto, que já se mostrara superior nas qualificações, voltou a levar o seu Opel Astra à vitória deixando o segundo lugar para o Renault Clio de Daniel Teixeira que bateu o Peugeot 306 de Andreia Sousa e o Seat Ibiza TDI de Fernando Silva.

O quinto lugar coube a Bruno Campos (Toyota Starlet) e o homenageado Santinho Mendes no Opel Astra do neto António fechou a classificação nesta categoria.

Nacional A 1.6

Leonel Sampaio sem concorrência no Nacional A 1.6

Assim que “caiu” o semáforo a dar a largada para a prova desta classe, Leonel Sampaio, no seu Citroën Saxo, instalou-se no comando apenas cedendo essa posição para Américo Sousa, também em Saxo, quando cumpriu a passagem pela “Joker Lap”.

Sousa viria a ser segundo após uma ultrapassagem de antologia a Rafael Rocha, também a pilotar um Saxo e que viria a terminar em quarto cedendo o lugar mais baixo do pódio a Tiago Ferreira (Peugeot 106).

Super 1600

Depois do domínio de Queirós nas qualificações vitória sorriu a Jorge Machao em corrida nos limites.

Na final mais disputada da tarde, nada recomendável a doentes cardíacos, assistiu-se à vitória do Citroën C2 de Jorge Machado, após liderança de José Queirós (Peugeot 206) durante algumas voltas.

O Ford Fiesta de Rogério Sousa também se intrometeu e ainda liderou momentaneamente. Viriam a terminar por esta ordem numa chegada milimétrica…

Seguiram-se Bruno Gonçalves, Sérgio Dias e Joaquim Machado que liderava o campeonato antes da prova de Mação.

Supercars

Nos Supercars venceu o bonito Skoda Fabia de José Lameiro.

Nos carros mais potentes, José Lameiro tem vindo a identificar-se melhor com o seu bonito Skoda Fabia e a vitória assenta-lhe bem apesar da forte réplica de João Novo. O piloto do Peugeot 206 tentou de tudo para sair vencedor mas o ritmo de Lameiro numa prova imaculada, sem erros, não lhe permitiu fazer melhor.

O impecável Subaru Impreza de Daniel Pacheco, com uma decoração a fazer lembrar pilotos gloriosos e tempos passados, nunca se intrometeu na luta dos pilotos da divisão 1 limitando-se a gerir a sua corrida onde no final o esperava o troféu da divisão 2.

Kartcross

Pedro Rosário levou o seu Semog Bravo à vitória.

 Numa corrida onde se perfilavam muitos candidatos à vitória o “premiado” foi Pedro Rosário. Cruzou a linha de meta no seu Semog Bravo à frente da enorme concorrência onde pontificava Rui Nunes em monolugar idêntico, subindo lugares desde o baixar da bandeira de partida, secundado porAlexandre Borges.

Tiago Pinto (ESK EVO) venceu entre os “rookies” e Daniela Godinho nas Senhoras terminando no “top-ten). Quem não pode argumentar na decisão final foi o campeão em título Jorge Gonzaga com problemas insolúveis na sua montada que o obrigaram a “encostar” na última corrida de qualificação.

Super Buggy

Paulo Godinho venceu e convenceu nos Super Buggy.

Neste fim de semana só deu Paulo Godinho. Venceu todas as vezes que pisou a pista da Boavista. Deixou o segundo lugar para Nuno Godinho (Smog Buggy) e o terceiro para o Can-Am X3 de António Estevão.

Apesar da ausência de público as provas em Mação tiveram um ritmo muito bom e foram disputadas com muito empenho por parte das equipas. Foi bonita a homenagem a Santinho Mendes e a presença de nomes ilustres do desporto motorizado valorizou o evento.

O homenageado António Santinho Mendes. Cinquenta anos a ganhar corridas…

A prova extra campeonato com os velhinhos 2CV e Dianne foi um momento de nostalgia e de regresso a um passado não muito distante. Um ensaio geral para o ano que vem, o primeiro, espera-se, pós pandemia.

FOTOGALERIA:

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here