Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

PSD cria comissão de reflexão sobre o futuro do partido

O PSD vai nomear uma comissão presidida por Pedro Rodrigues para fazer uma reflexão de fundo sobre o funcionamento do partido e do sistema político do país, anunciou hoje o seu presidente, Rui Rio.

- Publicidade -

“Entendemos que devemos fazer uma reflexão de fundo sobre a forma como um partido político deve funcionar hoje, que tem que ser seguramente diferente do que era há 40, 50 ou 60 anos atrás”, afirmou Rui Rio, em Santarém, no final de uma reunião da Comissão Política Nacional, onde anunciou a criação de uma comissão para esse efeito.

Atendendo à “crise” que considera viver-se no sistema partidário português, “com uma distância enorme dos portugueses relativamente aos partidos políticos”, Rui Rio defendeu que “os partidos têm de se adaptar”, incluindo o PSD.

- Publicidade -

Para tal, nomeará “uma comissão que vai ao longo de mais de um ano, e em paralelo com a atividade do partido, refletir sobre como é que um partido político deve funcionar hoje”, numa sociedade “completamente diferente daquela que tínhamos em 1974”.

A comissão será presidida por Pedro Rodrigues, antigo líder da Juventude Social Democrata (JSD) e terá um conselho consultivo presidido por Francisco Pinto Balsemão, que “aceitou desempenhar esta tarefa” que Rio disse ser “fundamental para o futuro do sistema político e em particular do sistema partidário português”.

A reflexão não retirará ao PSD o foco “nas eleições europeias e legislativas” afirmou o líder do partido que “em paralelo” realizará “conferências, reuniões com independentes, do PSD e de outros partidos”.

O objetivo é, concluiu Rui Rio, “dentro de um ano e meio estar em condições de fazer uma revisão estatutária que seja um reflexo daquilo que é um novo funcionamento de um partido político em Portugal”.

Nesta reunião da Comissão Política Nacional, o partido decidiu também “por unanimidade” votar contra o Orçamento do Estado (OE) para 2019 proposto pelo Governo.

Além das razões já anunciadas em conferência de imprensa, Rui Rio fundamentou a decisão com o facto de “agora pretenderem que a Assembleia da República aprove um défice de 975 milhões de euros, quando dizem que ele é só de 375 milhões”.

“Naturalmente que documentos assim não são confiáveis”, afirmou Rui Rio, para quem o OE2019 “não tem um rumo” sendo “um conjunto avulso de medidas de acordo com aquilo que são os desejos do Bloco de Esquerda, do PCP e do próprio PS num cenário de eleições em 2019”.

A reunião da Comissão Política Nacional antecedeu uma reunião com militantes do distrito de Santarém.

Rio disse hoje na Chamusca que “falta vontade política” para concluir investimento em acessibilidades. Foto: mediotejo.net

Rio reúne-se com deputados na quinta-feira para articular debate do orçamento

O presidente do PSD, Rui Rio, disse hoje que se vai reunir com a bancada parlamentar, na quinta-feira, para articular o debate sobre o Orçamento do Estado, documento em relação ao qual já anunciou que o partido votará contra.

Rui Rio afirmou que vai “ouvir os deputados”, na quinta-feira, na reunião do Grupo Parlamentar do PSD, e acrescentou que “aquilo que há que articular com a bancada é muito mais o debate orçamental do que propriamente o sentido de voto”, o qual, considerou “absolutamente pacifico”.

De acordo com o presidente do PSD, a bancada parlamentar “já foi ouvida sobre o Orçamento do Estado, a semana passada”, através da respetiva direção do grupo parlamentar, mas Rui Rio irá também ouvir os deputados, ainda que o sentido de voto [contra] tenha já sido determinado pela Comissão Política, reunida hoje em Santarém.

Isto apesar de, como afirmou aos jornalistas, o líder do partido não ter “dúvida nenhuma de que não deve haver nenhum deputado, dos 89, disponível para se abster ou para votar favorável a este orçamento”.

A reunião do grupo parlamentar do PSD está marcada para quinta-feira às 10:00 e a presença de Rui Rio não consta nem da agenda oficial do presidente do PSD nem da convocatória enviada aos deputados, que apenas mencionava o tema: Orçamento do Estado.

No entanto, durante a tarde de hoje vários deputados do PSD manifestaram à Lusa a expectativa de que o presidente do PSD estivesse presente na reunião, não só porque o grupo parlamentar já se reuniu nas duas últimas semanas – quando habitualmente apenas o faz de 15 em 15 dias –, na última das vezes para discutir precisamente o Orçamento do Estado, como o encontro está previsto para as 10:00, uma hora mais cedo do que o normal, e o presidente do partido tem agenda em Lisboa pelas 12:30.

Hoje, a Comissão Política do PSD, que se reuniu em Santarém, aprovou por unanimidade a proposta de Rui Rio para que o partido vote contra a proposta de Orçamento do Estado.

Já confirmada, está a presença de Rui Rio ao final da tarde de quinta-feira na Assembleia da República para moderar a primeira conferência sobre Europa organizada pelo partido e pelo Instituto Sá Carneiro, com o tema “União Económica e Monetária”.

O presidente do PSD, que foi deputado durante dez anos (1991-2001), participou, desde que foi eleito em janeiro, numa reunião da bancada parlamentar do PSD, em 08 de março, e regressou à Assembleia da República no 25 de Abril, para assistir à sessão solene, e em 17 de julho, para participar no jantar de fim de sessão legislativa da bancada social-democrata.

No final da reunião da bancada da semana passada, o líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, já tinha afirmado que a maioria dos deputados manifestou “uma discordância profunda” em relação ao Orçamento do Estado por prever “um crescimento fraco”, mas sem se comprometer com o sentido de voto da bancada.

 

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome