Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Produtos da Terra e Desenvolvimento Local”, por José Alho

Nos últimos tempos os produtos do mundo rural têm assumido um protagonismo político e mediático assinalável, resultado dum percurso consolidado por muitos agentes entre os quais merecem destaque as Associações de Desenvolvimento Local que, através dos programa LEADER e PRODER, canalizaram iniciativas e investimento para os seus territórios.

- Publicidade -

A tradicional Feira Nacional da Agricultura, que tem uma escala e história nacionais, é agora acompanhada por um conjunto de eventos locais e regionais que projetam os produtos rurais para o papel de protagonistas nas dinâmicas do desenvolvimento local sustentável.

A valorização dos produtos do mundo rural é cada vez mais assinalada como estratégia fundamental para o futuro das regiões enquanto garantia de proteção dos recursos e serviços ambientais, mas também como fator de desenvolvimento socioeconómico, criando emprego e revitalizando as dinâmicas dos territórios mais deprimidos do litoral ao interior.

- Publicidade -

medronhos
Medronhos

Esta perspetiva está alinhada com estratégias mais globais exigindo um especial empenhamento dos diversos agentes responsáveis pelo desenvolvimento do nosso mundo rural no sentido da sua transposição para os processos locais e regionais.

Destaco nessas estratégias o estabelecimento de parcerias para o desenvolvimento sustentável, que foi um dos objetivos do Milénio lançado pelas Nações Unidas, e o princípio de garantir a sustentabilidade ambiental como mote para se desenvolverem projetos em cooperação internacional.

castanhas
Castanhas

À escala europeia existem já diversas redes que conferem as condições para o efetivo estabelecimento de parcerias entre os diversos atores e que permitem a possibilidade de integrar políticas sectoriais que garantam a conservação dos valores da biodiversidade e os potenciem através de iniciativas empresariais diversas, que vão da agricultura ao turismo.

Essas redes contribuem para a revitalização de territórios, por natureza mais sujeitos ao despovoamento, e às dificuldades inerentes como sejam o baixo empreendedorismo e baixos níveis de criação de riqueza.

favos
Favos

Em tempo de relançamento de novas dinâmicas no âmbito Programa de Desenvolvimento Rural temos de saber aproveitar oportunidades e estar preparados com ideias e projetos que permitam transpor para o terreno e para a vida real das nossas comunidades rurais ações concretas que corporizem o pensamento e os desafios lançados às escalas mundial e europeia.

Abordo esta temática na oportunidade da realização de mais uma edição da Feira dos Produtos da Terra em Ourém, a qual tive a honra de lançar, perante o pouco entusiasmo de alguns, e que tem feito o seu percurso de modo tranquilo, conquistando pouco a pouco a confiança dos produtores, empreendedores de áreas relacionadas, consumidores e comunidade em geral, em  articulação com os mercados eco rurais lançados no âmbito da mesma estratégia para a valorização do mundo rural.

Tal como muitos outros na região, este é um certame que vale a pena pelo que significa na promoção duma nova forma de ver o mundo rural e as novas oportunidades ai existentes.

Para ser eficaz esse potencial tem de ser modernizado e expandido em redes mais abrangentes na escala territorial de proximidade.

pinh manso
Pinheiro manso

José Manuel Pereira Alho
Nasceu em 1961 em Ourém onde reside.
Biólogo, desempenhou até janeiro de 2016 as funções de Adjunto da Presidente da Câmara Municipal de Abrantes. Foi nomeado a 22 de janeiro de 2016 como vogal do Conselho de Administração da Fundação INATEL.
Preside à Assembleia Geral do Centro de Ciência Viva do Alviela.
Exerceu cargos de Diretor do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, Coordenador da Reserva Natural do Paúl do Boquilobo, Coordenador do Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurios da Serra de Aire, Diretor-Adjunto do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas do Litoral de Lisboa e Oeste, Diretor Regional das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo na Autoridade Florestal Nacional e Presidente do IPAMB – Instituto de Promoção Ambiental.
Manteve atividade profissional como professor convidado na ESTG, no Instituto Politécnico de Leiria e no Instituto Politécnico de Tomar a par com a actividade de Formador.
Membro da Ordem dos Biólogos onde desempenhou cargos na Direcção Nacional e no Conselho Profissional e Deontológico, também integra a Sociedade de Ética Ambiental.
Participa com regularidade em Conferências e Palestras como orador convidado, tem sido membro de diversas comissões e grupos de trabalho de foro consultivo ou de acompanhamento na área governamental e tem mantido alguma actividade editorial na temática do Ambiente.
Foi ativista e dirigente da Quercus tendo sido Presidente do Núcleo Regional da Estremadura e Ribatejo e Vice-Presidente da Direcção Nacional.
Presidiu à Direção Nacional da Liga para a Protecção da Natureza.
Foi membro da Comissão Regional de Turismo do Ribatejo e do Conselho de Administração da ADIRN.
Desempenhou funções autárquicas como membro da Assembleia Municipal de Ourém, Vereador e Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Presidente do Conselho de Administração da Ambiourem, Centro de Negócios de Ourém e Ouremviva.
É cronista regular no jornal digital mediotejo.net.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome