Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Prémios e Páscoa”, por Armando Fernandes

Pense-se o que se pensar acerca de prémios e da sua proliferação, os mesmo afagam o ego de quem foi premiado, embora determinadas personalidades donas de avultado património científico, literário, artístico, técnico enquanto criadores os rejeitem porque a rejeição lhes confere o prémio de abjurarem galardões ou penduricalhos, entenda-se medalhas e medalhões. Figuram nesse rol os conhecidos Sartre e Herberto Helder.

- Publicidade -

Recentemente realizaram-se duas cerimónias de entrega de prémios no sector dos vinhos, da gastronomia e do turismo a salientarem o Ribatejo.

No capítulo dos vinhos o Casal da Coelheira, produtor vizinho no Tramagal, arrecadou medalhas de ouro e prata devido à qualidade dos néctares que retira das uvas nutridas nas suas vinhas, a Quinta da Lagoalva também foi distinguida, ainda o prémio da Entidade Regional de Turismo Alentejo/Ribatejo para a melhor unidade de Eno-Turismo.

- Publicidade -

No referente à gastronomia o restaurante Dom Vinho (sito no Sardoal) recebeu o diploma de Prata referente aos restaurantes que inserem vinhos da chancela TEJO nos seus cardápios. O Dom Vinho se receber alguns aprumos pode ascender à categoria * de valer a pena fazer um desvio para se tomar uma refeição.

O Festival Nacional de Gastronomia edição de 2015 mereceu a distinção de melhor evento gastronómico. O Prémio da Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo outorgado por um júri independente do Organismo que instituiu o galardão provocou-me nutrida satisfação. É que dentro das minhas possibilidades tenho participado no planeamento e execução de medidas tendentes à reformulação, revitalização e internacionalização do mesmo. Muito há para fazer, mas os resultados começam a aparecer.

Por último a empresa URBILAZER de Rio Maior, proprietária das unidades de Turismo Rural Casa do Foral, Casa do Moleiro e Senta e Casa D’Aldeia também viu salientado o seu labor e o júri escolheu a Casa D’Aldeia como o melhor projecto de turismo rural.

Certamente, os premiados ficaram satisfeitos porque viram elogiados os seus trabalhos e reconhecido o ingente esforço que quotidianamente despendem para levarem a carta a Garcia, como se costuma dizer.

E, temos a celebração da Páscoa dentro de uma semana. Domingo de Ramos, na Páscoa estamos, recorda o anexim.

No referente a comeres e beberes é data primacial, o carácter simbólico religioso é de fortíssimas tradições, sendo particularmente estimada a carne mimosa dos cabritos e dos cordeiros ou borregos. As ditas cujas carnes estão livres de interditos estipulados pelas religiões, se bem confeccionadas proporcionam intenso prazer palatal, dada a sua singeleza caso o leitor opte pela grelha para as preparar tenha muito cuidado a fim de não esturricarem.

Em termos pessoais condeno à prática de as grelhar, prefiro-as assadas no forno, estufadas, guisadas ou fritas. Cozidas ficam desenxabidas.

Em muitas regiões Páscoa sem folar não é Páscoa, esse preparo culinário também está imbuído de notação simbólica, a mesma abordarei em próxima cronica, esta já vai longa, temendo receber o prémio da desleitura, findo-a formulando votos de boa Páscoa para todos os leitores do mediotejo.net

  1. Aos enólogos Nino Falcão Rodrigues, Diogo Campilho e Paulo Pinhão parabéns pelo seu continuado trabalho.

Armando Fernandes é um gastrónomo dedicado, estudioso das raízes culturais do que chega à nossa mesa. Já publicou vários livros sobre o tema e o seu "À Mesa em Mação", editado em 2014, ganhou o Prémio Internacional de Literatura Gastronómica ("Prix de la Littérature Gastronomique"), atribuído em Paris.
Escreve no mediotejo.net aos domingos

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here