Praias fluviais de Abrantes, Mação e Vila de Rei conquistam Bandeira Azul

(Foto DR)

As praias fluviais de Aldeia do Mato (Abrantes), do Carvoeiro (Mação) e Bostelim (Vila de Rei), na região do Médio Tejo, foram galardoadas com a Bandeira Azul 2016, uma distinção que é um símbolo de qualidade ambiental atribuído anualmente às praias.

PUB

A Praia Fluvial de Aldeia do Mato, que se encontra na margem esquerda do Rio Zêzere, em plena Albufeira de Castelo do Bode, no concelho de Abrantes, recebe pela 6ª vez a Bandeira Azul, depois de ter sido hasteada em 2009, 2010, 2011, 2012, 2015, segundo informa o site da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE).

Esta zona balnear está equipada com várias estruturas de apoio à prática de atividades balneares e náuticas de recreio como a piscina flutuante, embarcações não motorizadas (canoas, vela e remo), bar/cafetaria, instalações sanitárias, bungalows para quem quiser pernoitar e mobiliário urbano, estando também equipada com rampa de acesso a pessoas com mobilidade reduzida.

PUB
Hastear da Bandeira Azul na Praia Fluvial do Carvoeiro, em 2015 (Foto: CMMação)
Hastear da Bandeira Azul na Praia Fluvial do Carvoeiro, em 2015 (Foto: CMMação)

Por sua vez, a Praia Fluvial de Carvoeiro, no concelho de Mação, recebeu este ano, pela 10ª vez consecutiva, desde 2007, a Bandeira Azul 2016.

Esta infra-estrutura balnear aproveita a linha de água existente que mesmo durante a época de Verão mantinha um caudal assinalável e as potencialidades naturais do próprio local envolvido por uma imensa mancha florestal. A Praia Fluvial do Carvoeiro é constituída por um paredão para contenção do caudal da ribeira que resulta num enorme espelho de água que, contempla também uma piscina para crianças. Dispõe ainda de equipamentos complementares como os balneários públicos, um bar, Posto de Primeiros Socorros e uma zona coberta para refeições equipada com assadores.

O presidente da Câmara Municipal de Mação, Vasco Estrela, considera que “ter pelo 10º ano consecutivo no concelho uma Praia Fluvial com Bandeira Azul é, antes de mais, o resultado de um esforço que não é só da autarquia, há várias pessoas e entidades envolvidas que ajudam a este excelente resultado”.

Já no concelho de Vila de Rei, a Praia Fluvial de Bostelim recebeu este ano e pela primeira vez a Bandeira Azul. Situada perto da ponte sobre a ribeira do Bostelim, esta praia desenvolve-se em zona florestal montanhosa próxima da povoação de Cabeça do Poço, nas margens da Ribeira da Isna.

Praia Fluvial de Bostelim, no concelho de Vila de Rei, recebeu este ano, pela primeira vez, a Bandeira Azul (Foto: CMVila de Rei)
Praia Fluvial de Bostelim, no concelho de Vila de Rei, recebeu este ano, pela primeira vez, a Bandeira Azul (Foto: CMVila de Rei)

Para Paulo César Luís, vice-presidente da autarquia e responsável pelo pelouro do Turismo, “a atribuição da Bandeira Azul à Praia Fluvial do Bostelim é por nós encarada como um sinal de confiança numa das infraestruturas fluviais do nosso concelho que consegue aliar a qualidade da água a um conjunto de sombras e espaços verdes nas áreas circundantes. Esta distinção vem assim reconhecer a enorme qualidade das zonas balneares do concelho de Vila de Rei que, ao longo deste verão, irão certamente voltar a receber largos milhares de visitantes”.

A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade ambiental atribuído anualmente às praias e portos de recreio e marinas que se candidatam e que cumpram um conjunto de critérios, sendo que estes Critérios do Programa Bandeira Azul estão divididos em 4 grupos: Informação e Educação Ambiental; Qualidade da Água; Gestão Ambiental e Equipamentos e Segurança e Serviços.

Bandeira Azul hasteada em 314 praias

A Bandeira Azul vai ser hasteada este ano em 314 praias, mais 15 atribuições do que em 2015, ultrapassando pela primeira vez a barreira das três centenas, anunciou hoje o presidente da associação promotora em Portugal.

O galardão vai ser entregue também a 17 marinas, mais duas do que no ano passado.

No ano em que se comemoram 30 anos de Bandeira Azul, sob o mote “Trinta anos, trinta critérios, um objetivo”, José Archer referiu que o facto de a Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) atribuir mais de 300 distinções a praias é uma marca “significativa”.

Este número “representa aproximadamente 55% das praias designadas [com reconhecimento oficial] em Portugal”, colocando, percentualmente, o país no topo a nível mundial, afirmou o responsável aos jornalistas, após a conferência de imprensa de anúncio das atribuições deste ano, em Lisboa.

PUB

Em termos de valores brutos, Portugal, com 314 Bandeiras Azuis, é o quinto país com mais galardões conferidos, entre os 54 países que os atribuem, atrás da Espanha (578), Turquia (436), Grécia (395) e França (379).

Do total das bandeiras que vão ser hasteadas nas praias portuguesas, 292 são em praias costeiras e 22 são em praias fluviais, registando-se entre elas 10 que nunca tinham recebido a distinção.

Adaúfe (concelho de Braga, na região Norte); Piódão (Arganil), Bogueira (Lousã), São Pedro da Maceda (Ovar) e Torrão do Lameiro (Ovar), na região Centro; Bolestim (Vila de Rei, na zona que a associação denomina Tejo); Rocha Baixinha (Albufeira) e Amoreira Mar (Aljezur), no Algarve; Furna de Santo António (São Roque do Pico, Açores) e Cabeço da Ponta (Porto Santo, Madeira) são as novidades da lista.

Em termos de reentradas em relação ao ano passado, registaram-se 14, enquanto nove praias deixaram de ter a distinção.

A região Norte conta este ano com 69 bandeiras nas praias (mais quatro do que em 2015), o Centro ganhou cinco, tendo um total de 32, a região Tejo tem 52 (menos duas do que no ano passado) e o Alentejo 27 (mais uma do que em 2015).

O Algarve continua a ser a região do país com mais praias galardoadas, tendo agora 88 (mais três), os Açores ficam com 34 bandeiras (mais três) e a Madeira conta com 12 (mais uma).

Comparativamente ao ano passado, as marinas/portos de recreio receberam duas bandeiras a mais, perfazendo um total de 17.

As duas entradas registaram-se na Madeira – Funchal e Quinta do Lorde -, que não tinha qualquer marina distinguida em 2015.

Os Açores são a região com mais marinas galardoadas (cinco), seguida do Algarve (quatro) e do Tejo e do Alentejo (cada uma com três).

A associação revelou estarem planeadas para este verão 707 atividades de educação ambiental, em 650 praias e 57 marinas, havendo ainda concurso sobre práticas sustentáveis e códigos de conduta.

Tendo em conta os critérios de atribuição da Bandeira Azul, desde a “informação e educação ambiental”, “qualidade da água”, “gestão ambiental e equipamentos” e “segurança e serviços”, o presidente da ABAE, José Archer, considera que a possibilidade de se hastearem 314 bandeiras este ano é reflexo “de um caminho de sucesso”.

José Archer afirmou que se atingiu o objetivo de “ter a Bandeira Azul representada como uma marca de desenvolvimento sustentável, uma marca de confiança” das praias portuguesas.

As cerimónias oficiais de hastear das primeiras Bandeiras Azuis de 2016 estão programadas para 01 de junho, no concelho de Mafra, 03 de junho, no Porto de Recreio de Sines e no dia 17 de junho, em Góis.

C/LUSA

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here