Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ponte de Sor | Teatro da Terra estreia ‘Ermelinda do Rio’ de João Monge

A peça de teatro ‘Ermelinda do Rio’ de João Monge, estreia esta sexta-feira, 7 de junho, no Teatro Cinema de Ponte de Sor, às 21:30, para ficar em cena até domingo e no fim de semana seguinte, dias 14, 15 e 16 de junho.

- Publicidade -

Numa produção do Teatro da Terra conta com encenação de Maria João Luís e música de José Peixoto para três contrabaixos, a história de uma menina e de sua mãe que ficaram sem nada durante as cheias do Tejo a 26 de novembro de 1967 no Ribatejo e arredores de Lisboa.

Trata-se de um poema narrativo sobre a tragédia de sobreviver para assistir impotentes ao desaparecimento da sua família, de amigos, de conhecidos, e bastou uma noite de chuva, como tantas outras, para que de madrugada o mundo estivesse virado do avesso.

- Publicidade -

Noturno para voz e concertina é o subtítulo do testemunho dorido da própria atriz Maria João Luís, que perdeu grande parte da família na maior catástrofe natural em Portugal, desde o terramoto de 1755.

‘Ermelinda do Rio’ é assim, uma história vivida pela também encenadora, naquele dia com 4 anos, numa expiação dos seus fantasmas com mais de 50 anos, um texto associado às suas memórias de infância, envolto pelo som dos contrabaixos tocados ao vivo.

Uma peça para maiores de 12 anos.

 

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome