Ponte de Sor | Secretário de Estado da Internacionalização defende aposta no setor do Espaço e da Defesa

Na abertura da 4.ª Edição do Portugal Air Summit, na manhã de quarta-feira, em Ponte de Sor, Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização, sublinhou a importância do setor aeronáutico para o desenvolvimento de diversas atividades económicas. Num momento em que o setor “atravessa dificuldades” importa “olhar para o Espaço e para a Defesa” como setores “mais resilientes nesta conjuntura”, afirmou.

PUB

Reconhecendo que “o setor vive um momento de profunda crise” e que, neste cenário de pandemia de covid-19, “a curto prazo vai ser difícil”, considerou um momento de “oportunidade” para reflexão “sobre a importância estratégica que tem o setor do Espaço e da Defesa, onde diversas oportunidades na área da transição digital podem ser muito relevantes do ponto de vista económico”, tendo o governante defendido o investimento.

“Não podemos desinvestir e não podemos colocar em causa aquilo que queremos para o sector aeronáutico nem as decisões para pensar o futuro”, notou.

PUB

O secretário de Estado referiu por isso a “qualificação” dos recursos humanos dizendo que apesar da crise “as competências, as excelentes condições para a formação de pilotos estão cá” e portanto, segundo Eurico Brilhante Dias, importa “perceber como preservar essa capacidade instalada”. Para o governante “nenhum outro setor na economia portuguesa poderá dar emprego, originar exportações e investimento”.

Sobre a cimeira referiu, desde o Palácio das Necessidades em Lisboa, que “este é um evento que é um excelente exemplo de conseguir agregar entidades públicas e privadas, um esforço conjunto que dá resultados. Sendo que o setor da aviação irá recuperar e dar grandes oportunidades de desenvolvimento para Portugal”. Além disso considerou o tema Flying Digital “alinhado com a política da União Europeia” garantindo que “o País vai ter capacidade de investir na transição digital” e também na “transição energética”.

PUB

Hugo Hilário no discurso de arranque da quarta edição da Portugal Air Summit em Ponte de Sor, a 21 de outubro de 2020. Créditos: mediotejo.net

Por seu lado, Hugo Hilário, presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, cidade que acolhe há já quatro anos este evento internacional, partilhou com a audiência as dificuldades iniciais da decisão de manter ou não o evento em ano de pandemia, concluindo que até o nome “Flying Digital”, que tinha sido escolhido antes do surto de covid-19 acabou por adequar-se.

A Câmara Municipal, junto dos seus parceiros, “acabou por concluir que não poderia deixar de realizar esta edição”, apesar de ser apresentada este ano num formato distinto, muito apoiada no streaming com menos público presencial. Por outro lado, sublinha o facto de ser uma edição muito rica: “temos mais de duas dezenas de nacionalidades representadas entre os oradores”, notou, relativamente a um evento suportado pelas parcerias que já existiam e pela nova associação à Agência Espacial Portuguesa, Portugal Space, que “leva a cabo um evento único ao qual o nome de Ponte de Sor vai ficar ligado indelevelmente”.

Uma iniciativa a acontecer pela primeira vez na Europa, “com uma projeção mundial extraordinária, que pode ser apenas um primeiro passo para algo diferenciador e muito vantajoso para o nosso território”, afirmou, referindo-se ao EuRoc – European Rocketry Challenge.

O concurso destinado a estudantes universitários envolve o desenho, conceção e lançamento de foguetões que estão a ser montados durante a cimeira e que serão lançados durante o fim de semana numa iniciativa única, não só em Portugal mas também na Europa.

Hugo Hilário incluiu a decisão de avançar com a realização do Portugal Air Summit na “tão necessária recuperação económica à escala global provocada pela pandemia” por acreditar que “pode contribuir para o desenvolvimento” do setor aeronáutico e aeroespacial.

Também pela primeira vez foi criado “um grupo de embaixadores da Portugal Air Summit” iniciativa que incluiu na “continua vontade de inovar” e de “estabelecer parcerias”.

O cluster aeronáutico “tem Ponte de Sor como ponto de referência nacional e internacional e, até num contexto de incerteza, o aeródromo abre novos cursos técnicos de apoio à indústria aeronáutica. Uma visão que tem permitido dinamizar economicamente e ao nível do emprego a cidade de Ponte de Sor. Numa fase tão inesperada e exigente como a que passamos é necessário apostar na economia e analisar soluções para que possamos superar os desafios e dinamizar a economia”, destaca ainda Hugo Pereira Hilário.

Quarta edição da Portugal Air Summit em Ponte de Sor, com o tema ‘Flying Digital’. Créditos: mediotejo.net

A partir de dois auditórios, e salas apropriadas para workshops e reuniões, bem como um espaço lounge propício a networking, a Portugal Air Summit garante nestes três dias a transmissão em direto na sua plataforma online e num canal da MEO de dezenas de conferências com os principais vultos nacionais internacionais, painéis de discussão, apresentações e workshops.

A cimeira, que nas últimas edições proporcionou 500 reuniões B2B e B2C, além de mais de 2500 contactos B2B, dos quais 10% foram convertidos em negócio, mantém uma forte e cimentada aposta nas reuniões entre empresas, já que tal se assume como uma forma de dinamizar o setor.

PUB
Paula Mourato
A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).