Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Setembro 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ponte de Sor | Prémio Literário José Luís Peixoto sem vencedor em 2019

O Prémio Literário José Luís Peixoto, que decorreu na modalidade de prosa, não encontrou nenhum vencedor na edição de 2019. O júri decidiu atribuir apenas menções honrosas aos trabalhos: ‘A Hora Azul’, de Cristina Ferreira Parente, e ‘As Vozes do Silêncio’, de Anita dos Santos.

- Publicidade -

Os vencedores vão receber as suas distinções numa cerimónia que vai decorrer no Centro de Artes e Cultura de Ponte de Sor, no dia 21 de dezembro, às 16h00, dia em que será lançada a antologia dos trabalhos premiados nos anos de 2017 e 2018.

Criado em 2007, o Prémio Literário José Luís Peixoto tem como diretiva, em anos ímpares, premiar trabalhos inéditos na modalidade de prosa e, em anos pares, trabalhos de poesia.
O Prémio Literário José Luís Peixoto é de âmbito internacional, está aberto a cidadãos de nacionalidade portuguesa e a naturais e/ou residentes em países de língua oficial portuguesa. Além de homenagear o escritor José Luís Peixoto, natural de Galveias, no concelho de Ponte de Sor, a iniciativa pretende ainda incentivar a criatividade literária entre os jovens, assim como o gosto pela leitura.
Neste concurso podem participar jovens que completem 25 anos até ao final do respetivo ano em que a iniciativa é lançada.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome