Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ponte de Sor | Polo aeronáutico é exemplo que interior “não está condenado” diz ministro do Planeamento

O ministro do Planeamento apontou, esta quinta-feira, o polo aeronáutico criado no aeródromo de Ponte de Sor, como “exemplo” de que o interior do País “não está condenado” ao despovoamento, desemprego ou a projetos de “segunda escolha”.

- Publicidade -

Nelson de Souza lembrou durante na abertura da terceira cimeira aeronáutica Portugal Air Summit que “há 10 ou 15 anos” este concelho alentejano “estava a viver uma situação de ressaca do encerramento de unidades industriais” locais.

“Os responsáveis de então procuraram soluções, conseguiram instalar aqui este aeródromo, mas não ficaram ‘sentados em cima dele’” e procuraram, através deste equipamento, “fazer um projeto âncora e, à volta dele, construir aquele” investimento “que interessa, que é a atividade económica geradora de emprego”, elogiou depois aos jornalistas após a sua intervenção.

- Publicidade -

Portugal Air Summit 2019, em Ponte de Sor. O ministro do Planeamento Nelson de Souza. Créditos: mediotejo.net

Segundo o governante, os responsáveis locais não tiveram apenas a “ambição de criar qualquer tipo de emprego” e apostaram antes em “emprego qualificado, emprego que requer competências e emprego projetado para o futuro”, o “que tem vindo a ser conseguido”.

Este “caminho” tem sido “percorrido” pelos vários autarcas do concelho, mas o ministro destacou o trabalho do atual presidente da câmara, Hugo Hilário (PS).

“Ele provou que, numa pequena vila de 17 mil pessoas, foi possível desenvolver esta estratégia”, concretizando “uma experiência que dá esperança a que, numa zona de interior, afinal de contas, é possível fazer-se” este tipo de investimentos, salientou Nelson de Souza.

E que, continuou, o interior “não está condenado” a ser constituído por “territórios que devam estar exclusivamente confinados a projetos de segunda escolha, a projetos de menor perfil de criação de emprego” ou a limitar-se a criar “infraestruturas ou a viver da solidariedade”.

Portugal Air Summit 2019, em Ponte de Sor. O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Hugo Hilário, e o presidente do Conselho de Administração da ANAC, Luís Ribeiro. Créditos: mediotejo.net

“É certo que existem problemas de garantia de serviço público de equipamentos coletivos nas áreas sociais, é certo que esse problema tem de ser combatido, mas, ao mesmo tempo, tem de ser criado emprego, riqueza, porque o que leva as pessoas a fixar-se são condições de vida e, entre as condições de vida fundamentais, está a questão do emprego e dos salários que esses empregos proporcionam”, argumentou.

O ministro do Planeamento defendeu que este tipo de iniciativa como a Portugal Air Summit “deve ser entendido como desenvolvimento dos nossos territórios de baixa densidade empresarial”. Falando do projeto que nasceu em Ponte de Sor, recordou que foi “perspetivado e nasceu sobre uma crise que se abateu sobre o território” como o “encerramento de importantes unidades industriais há cerca de 15/20 anos”.

Nelson de Souza disse que no interior “para além da valorização recursos endógenos estamos a criar também a oportunidade em simultâneo de ter projetos orientados para a fronteira tecnológica por forma a não criar a ideia de que os territórios do interior estão confinados a projetos menos exigentes, menos sofisticados, projetos com menor valor acrescentado ou projetos de uma segunda escolha”.

Portugal Air Summit 2019, em Ponte de Sor. O ministro do Planeamento Nelson de Souza e o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Hugo Hilário.. Créditos: mediotejo.net

A Portugal Air Summit tem por isso “muita valia para Ponte de Sor, para o Alentejo e é demonstrador para o conjunto do País, desde que haja estratégia e visão, líderes para que seja possível desenvolver nos territórios do interior industrias e atividades que consigam gerar valor acrescentado, orientada para a digitalização, que paguem melhores salários, que absorvam a nossa mão de obra que vamos qualificando progressivamente gerada pelos nossos politécnicos e universidades levando a que se fixem nos nossos territórios e que, depois de estarem formados, não nos abandonem e não vão procurar emprego noutros territórios” nem no litoral nem no estrangeiro, considerou Nelson de Souza.

E esta “é uma nova lição” concluiu o ministro garantindo que “este tipo de estratégias serão incorporadas na nova agenda 2030, voltada para os territórios de baixa densidade e que criem esperança aos jovens qualificados”.

Antes da abertura oficial das conferências da Portugal Air Summit, o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Hugo Hilário, levou o ministro do Planeamento em visita guiada pela zona onde estão instalados, durante os quatro dias da cimeira, os cerca de 100 expositores.

A terceira Portugal Air Summit, com o tema “Powering Human Capital”, é uma organização conjunta entre a Câmara de Ponte de Sor e a empresa The Race, decorrendo até domingo.

Portugal Air Summit 2019, em Ponte de Sor. O ministro do Planeamento Nelson de Souza e o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Hugo Hilário. Créditos: mediotejo.net

 

Com Agência Lusa

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome