Ponte de Sor | “Flying Digital” desafia os limites do Espaço com concurso europeu de rockets

A 4.ª edição do Portugal Air Summit arrancou esta quarta-feira em Ponte de Sor com uma parceria inédita com a Agência Espacial Portuguesa – Portugal Space, para a promoção da primeira competição europeia de lançamento de rockets, que irá decorrer em paralelo com a cimeira. O presidente da Câmara de Ponte de Sor disse ainda ao mediotejo.net que esta quinta-feira será assinado um memorando de entendimento com “um conjunto de empresas do Espaço que o País está a criar e a sede desse consórcio integrador de empresas será em Ponte de Sor”. 

PUB

A Agência Espacial Portuguesa – Portugal Space, e a Câmara Municipal de Ponte de Sor associam-se na 4.ª edição do Portugal Air Summit para promover em Portugal o EuRoc – European Rocketry Challenge, a primeira competição universitária europeia de lançamento de rockets, que procura estimular estudantes e investigadores de engenharia na conceção, construção e lançamento dos próprios veículos. Portugal lança a competição europeia que se baseia no legado da Irec-Intercollegiate Rocket Engineering Competition iniciada em 2006, hoje mundialmente conhecida como Spaceport America Cup.

Assim, no espaço destinado ao Portugal Air Summit surgem este ano novos pavilhões que acolhem desde esta quarta-feira os cerca de 120 estudantes (concorrentes), distribuídos por 12 equipas que já constroem foguetões para lançar e testar nos céus de Ponte de Sor no próximo sábado e domingo.

PUB

EuRoc – European Rocketry Challenge, a primeira competição universitária europeia de lançamento de rockets (foguetes). créditos: CMPS

“O EuRoC está totalmente alinhado com os objetivos estratégicos da Portugal Space, nomeadamente porque contribui para o desenvolvimento de um quadro cultural e educativo capaz de impulsionar o desenvolvimento do sector espacial em Portugal”, afirma Ricardo Conde, presidente da Portugal Space, a Agência Espacial Portuguesa que defende a investigação científica para o desenvolvimento do setor Espacial em Portugal, acreditando nas suas potencialidades no que toca a criação de emprego e de riqueza.

“Queremos motivar e encorajar crianças e jovens a prosseguir carreiras científicas e tecnológicas, porque este será um passo no sentido de reforçar as competências nacionais na área do Espaço. E haverá coisa mais motivadora que ver um rocket a ser lançado?”, interroga.

Quarta edição da Portugal Air Summit em Ponte de Sor, com o tema ‘Flying Digital’. Painel que debate o Planeta Digital com Ricardo Conde, presidente da PT Space. Créditos: mediotejo.net

No dia da abertura, no painel sobre o ‘Planeta Digital’, o presidente da Portugal Space começou por referir que na Portugal Air Summit, que pela primeira vez se dedica ao Espaço, “é feita uma ligação natural. Tradicionalmente ligamos à aeronáutica e ao aeroespacial mas cá estamos nós a preencher este vazio que faltava com o Espaço. Queremos este ano inaugurar um novo momento em completar um espaço talvez orientado para a ciência e para as ambições dos estudantes mas também fazer a ligação com aquilo que já foi iniciado com a Ciência Viva que colocou milhares de jovens a pensar no Espaço”.

Acredita que o lançamento destes pequenos foguetões apresenta-se como um “tipo de atividade” que contribui “para criar a massa critica que tanto faz falta a Portugal, para os novos desafios que estão no programa e na estratégia para o Espaço a nível nacional”. Segundo disse ao Expresso, “estes foguetões são capazes de colocar em órbita pequenos satélites com aplicações nas comunicações, nos dados e em diversos outros domínios”.

Para atingir estes objetivos são precisos especialistas em física e engenharia e Ricardo Conde aponta para a criação, até 2030, “de mil postos de trabalho qualificados em Portugal, num sector que poderá atingir 500 milhões de euros em negócios”, avançou ao mesmo jornal.

Já na abertura do evento, o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, afirmou que “se é verdade que a aeronáutica civil está a passar grandes dificuldades, devemos olhar para o setor do Espaço e da Defesa como setores mais resilientes nesta conjuntura e que também nos trazem oportunidades”.

Hugo Hilário no discurso de arranque da quarta edição da Portugal Air Summit em Ponte de Sor, a 21 de outubro de 2020. Créditos: mediotejo.net

Em declarações ao mediotejo.net o presidente da Câmara, Hugo Hilário, explicou que o Município “não poderia dizer que não a um concurso internacional” onde participam 120 jovens e futuros engenheiros de várias universidades europeias “e que posicionará Ponte de Sor e Portugal no mundo neste tipo de sector de Defesa e do Espaço”.

Recordando que há uns anos “poucos poderiam acreditar que a Portugal Air Summit seria uma das maiores cimeiras internacionais, este ano vamos ter lançamento de rockets, pequenos foguetões, também em Ponte de Sor, e portanto tudo parte da nossa visão constante de inovar, com um grau de audácia e de coragem acoplado a estas decisões. Mas a história recente tem dito que vale a pena apostar e acreditar. Ponte de Sor, no que diz respeito à atração de investimento, é completamente diferente e tem estes setores da Aeronáutica, Aviação civil, Proteção civil com os meios aéreos, Aviação tripulada, Defesa e Espaço praticamente consolidados”, afirmou.

Hugo Hilário garantiu que além de recetivo em relação ao setor do Espaço, o Município “está interessadíssimo! O que fizemos foi mais uma vez nos disponibilizar e as portas neste momento estão abertas. Ponte de Sor tem um protocolo assinado com a PT Space, vamos efetivar um compromisso de um conjunto de empresas do Espaço que o País está a criar e a sede desse consórcio, desse integrador de empresas será em Ponte de Sor e portanto caminhamos a passos assertivos tendo em conta o nosso propósito de atrair investimento”.

VEJA AQUI O VÍDEO:

Ponte de Sor | Quarta edição da Portugal Air Summit. O presidente da Câmara Municipal, Hugo Hilário, fala sobre este evento e sobre a competição universitária europeia de lançamento de rockets.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 21 de outubro de 2020

A partir de dois auditórios, e salas apropriadas para workshops e reuniões, bem como um espaço lounge propício a networking, o Portugal Air Summit garante a transmissão em direto na sua plataforma online e num canal da MEO de dezenas de conferências com os principais vultos nacionais internacionais, painéis de discussão, apresentações e workshops, durante três dias.

A cimeira, que nas últimas edições proporcionou 500 reuniões B2B e B2C, além de mais de 2500 contactos B2B, dos quais 10% foram convertidos em negócio, mantém uma forte e cimentada aposta nas reuniões entre empresas, já que tal se assume como uma forma de dinamizar o setor.

“O cluster aeronáutico tem Ponte de Sor como ponto de referência nacional e internacional e, até num contexto de incerteza, o aeródromo abre novos cursos técnicos de apoio à indústria aeronáutica. Uma visão que tem permitido dinamizar economicamente e ao nível do emprego a cidade de Ponte de Sor. Numa fase tão inesperada e exigente como a que passamos é necessário apostar na economia e analisar soluções para que possamos superar os desafios e dinamizar a economia”, destaca ainda Hugo Hilário.

Quarta edição da Portugal Air Summit em Ponte de Sor, com o tema ‘Flying Digital’. Créditos: mediotejo.net

Tendo como tema principal “Flying Digital”, o evento assume, este ano, um formato híbrido, com a presença no local de oradores e convidados, mas com transmissão digital. Em 2020, “Flying Digital” é, não só o meio, como a mensagem: o ambiente em que a cimeira decorre é simultaneamente a oportunidade para chegar a um público mais vasto, extravasando os limites do espaço que ocupou até hoje, como também o mote para enquadrar um futuro pleno de desafios para os setores da Aviação, Espaço, Defesa e Aeronáutica, marcados por uma profunda viragem tecnológica.

PUB
PUB
Paula Mourato
A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).