Ponte de Sor | Estrutura Residencial para Idosos inaugurada em Vale de Açor

Associação Comunitária Nossa Senhora dos Prazeres, de Vale de Açor, Ponte de Sor, gere o novo lar para idosos da freguesia. Foto: CMPS

O concelho de Ponte de Sor conta desde domingo com mais uma ERPI (Estrutura Residencial para Idosos), num investimento de cerca de 800 mil euros. Localizada em Vale de Açor, gerida pela Associação Comunitária Nossa Senhora dos Prazeres de Vale de Açor, a infraestrutura tem capacidade para acolher 30 idosos e vai criar, para já, seis postos de trabalho. No início de dezembro, Tramaga também terá uma nova ERPI, igualmente com 30 camas.

PUB

Quando falamos em instituições para pessoas idosas, pensamos imediatamente em residências nas quais os seniores passam o dia em regime de sala de estar, frente ao televisor, ou dependendo, para tudo, dos técnicos em geriatria. Mas pode não ser exatamente assim. Atualmente, os lares residenciais para idosos sustentam a sua construção em novas exigências, no sentido de cumprirem as respostas sociais da melhor forma possível.

Falamos, portanto, em várias valências como assistência 24 horas por dia, alimentação indicada por nutricionistas, atividades terapêuticas, fisioterapeuta e assistência psicológica, animadora cultural que incentiva a participação em atividades sociais, culturais e desportivas, que oferecem, por exemplo, espetáculos musicais, teatro, sessões de dança ou natação em piscina coberta ou descoberta, dependendo da estação do ano.

PUB

Para acompanhar a mudança, o nome também alterou, em vez de Lar de Idosos, tais estruturas designam-se atualmente por Estrutura Residencial para Idosos (ERPI). Vale de Açor, no concelho de Ponte de Sor, tem desde domingo essa infraestrutura há muito reclamada pela população.

O presidente da Associação Comunitária Nossa Senhora dos Prazeres de Vale de Açor, responsável pela ERPI de Vale de Açor, João Tapada, explicou ao jornal mediotejo.net que a infraestrutura irá receber 30 utentes. Uma obra suportada financeiramente pelo Município num valor que ronda os 800 mil euros, contando com os equipamentos, disse por seu lado a vereadora da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Alda Falca.

PUB

“Era uma necessidade há muito identificada por ser uma população muito envelhecida, com grande debilidade”, refere João Tapada.

O concelho de Ponte de Sor conta desde domingo com mais uma ERPI (Estrutura Residencial para Idosos), num investimento de cerca de 800 mil euros. Foto: CMPS

O novo serviço foi construído junto ao Centro de Dia, situado na Rua 25 de Abril, que presta, entre outras valências, apoio domiciliário. Na verdade, tratou-se de uma ampliação, resultando num edifício de um piso e cave destinado a lar residencial.

Para a escolha dos utentes “foi feita uma avaliação, tendo em conta um conjunto de parâmetros estipulados pelo regimento interno, escolhendo os prioritários, favorecendo naturalmente os utentes do Centro de Dia que já necessitam de respostas sociais, que são 23. Em apoio domiciliário temos 31”, explicou o responsável, esclarecendo que a ERPI recebe idosos não só de Vale de Açor mas até de fora do concelho.

A média de idade dos idosos do Centro de Dia de Vale de Açor – que recebe utentes também de Torre das Vargens e Vale de Bicho Fundeiro – ronda os 86 anos, que até agora “ficavam sozinhos no período da noite, alguns a desenvolver um quadro de demência, em grande declínio não apenas físico, mas com problemas mentais incapazes de desenvolver atividades básicas”, disse João Tapada.

Na ERPI, inaugurada este domingo, dia 17 de novembro, estão asseguradas valências como “uma equipa de enfermagem e um médico, embora trabalhemos muito bem com o Centro de Saúde local, alimentação, roupa, atividades durante todo o dia, e teremos uma sala de atividades, apoio na gestão da medicação, enfim… tudo!”, destacou.

Apesar de passarem a residir na ERPI, a instituição pretende que os idosos “mantenham os hábitos diários, como irem a suas casas os que são de Vale de Açor, mantenham o convívio com as suas famílias, continuem a sua rotina. A Estrutura Residencial funciona como uma família maior”, notou.

Quanto ao número de técnicos “de momento não conseguimos avaliar porque muitos dos utentes do Centro de Dia passarão para o Lar mas prevemos a contratação de seis pessoas por extensão de horário, uma vez que obriga a trabalho por turnos”, indica.

Outra novidade que está a ser avaliada é a abertura do serviço de enfermagem ao fim-de-semana, deu conta o presidente, mencionando que a instituição gerida pela Associação Comunitária Nossa Senhora dos Prazeres possui “fisioterapeuta, psicologia e animadora cultural”, ou seja, “uma equipa técnica que permite trabalhar o idoso, para que participe em várias atividades”.

Além disso, a ERPI possui “uma vista deslumbrante sobre a paisagem alentejana, com quartos individuais, duplos e triplos”, de momento sem qualquer comparticipação.

Estrutura Residencial para Idosos foi inaugurada no domingo em Vale de Açor num investimento na ordem dos 800 mil euros. Foto: CMPS

“O idoso, ou a família, vai pagar o serviço na totalidade. Submetemos uma candidatura para que possa ser comparticipado mas até à sua aprovação terá de funcionar assim”, revelou. Pagam então por um quarto triplo 750 euros, por um duplo 850 euros e por um individual mil euros.

A vereadora Alda Falca reconheceu ao mediotejo.net tratar-se de um concelho com uma população “muito envelhecida” e com povoações “dispersas” sendo um propósito do Município apoiar os munícipes que necessitam destas respostas sociais.

Quer no caso da ERPI de Vale de Açor quer de Tramaga, a inaugurar no dia 1 de dezembro, com construção igualmente suportada pelo Município a rondar o mesmo valor (800 mil euros), trata-se de “mais uma resposta social a juntar às valências do Centro de Dia” existente nas duas povoações daquele concelho do Alto Alentejo.

Relativamente à situação atual de não comparticipação pela Segurança Social, a vereadora, falando na “onerosidade” das mensalidades suportadas ou pelo idoso ou pelas famílias, espera que entretanto “a Segurança Social faça o seu papel”.

Contudo, deixou o compromisso de “ninguém ficar sem resposta social” por incapacidade financeira. “O Município cá estará para apoiar” o idoso ou a família, garantiu, tal como já acontece com outros apoios sociais municipais.

Após a conclusão da obra, que demorou cerca de um ano, a ERPI abre agora as suas portas. Alda Falca disse ao mediotejo.net que em 2020 a Câmara Municipal espera contar com mais uma ERPI no concelho, a inaugurar em Longomel.

A Associação Comunitária Nossa Senhora dos Prazeres – ACNSP, é uma instituição particular de solidariedade social, sem fins lucrativos, com sede na União das Freguesias de Ponte de Sor, Tramaga e Vale de Açor, concelho de Ponte de Sor.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here