- Publicidade -

Sábado, Dezembro 4, 2021
- Publicidade -

Ponte de Sor | Centro Empresarial e Tecnológico na antiga Delphi será “fonte de futuro e desenvolvimento”

“Enorme orgulho e satisfação” num Dia de Portugal “de emoções e feliz”. Foi assim que Hugo Hilário, presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, reagiu após a sessão de apresentação do projeto para o futuro Centro Empresarial e Tecnológico que irá nascer nas antigas instalações da Delphi, num investimento de 9 milhões de euros.

- Publicidade -

Este novo equipamento acolherá, entre outras valências, o integrador nacional de empresas aeroespaciais, e nasce para dar resposta às várias manifestações de interesse de investidores em fixarem-se no concelho, sendo também polo agregador dos setores de aeronáutica que têm vindo a dinamizar a economia e tecido empresarial de Ponte de Sor e da região. Além disso, assenta na formação e capacitação, bem como na dimensão social e comunitária, albergando um espaço de memória e um polo aberto ao público com jardins e restauração. 

Hugo Hilário notou que este é “um passo importantíssimo na história do concelho”, que vem valorizar o património e legado histórico deixado pela Delphi no concelho enquanto maior empregador privado no distrito de Portalegre, e que deixou impacto a vários níveis, desde social e económico, mas também cultural, desportivo, de inovação e tecnologia.

- Publicidade -

“Chegou a hora de apresentar à população aquela que vai ser a realidade das instalações da ex-Delphi, o novo Centro Tecnológico e Empresarial da região do Alto Alentejo”, começou por referir o autarca.

O futuro Centro Empresarial e Tecnológico terá três áreas, que serão complementares, e que terão “impacto muito positivo e fundamental no desenvolvimento quer do concelho de Ponte de Sor, quer da região”.

Centro Empresarial e Tecnológico irá nascer nas antigas instalações da Delphi, em Ponte de Sor. Créditos: DR

A autarquia pretende que seja “um espaço mais dinâmico” e que não seja apenas um centro de acolhimento de empresas, vulgo ninho de empresas. “Será um espaço de inovação, ambientalmente sustentável, um espaço cuja investigação e academia, os institutos públicos de formação e qualificação vivam em permanente atividade. É algo diferente daquilo que temos executado até aqui”.

Acolherá um centro de acolhimento empresarial, dividido por vários setores, e que dará resposta aos investidores privados que se interessam em fixar no concelho.

Também irá contar com um centro de formação e qualificação, com parcerias com IEFP, que assinará com o município de Ponte de Sor um protocolo para ampliação do Centro de formação na cidade, com várias vertentes na área dos compósitos, metalomecânica, mecatrónica, manutenção e outros, muito ligados à indústria e setor da aeronáutica.

O terceiro espaço será dedicado à fruição pela comunidade, com grande valia social, nomeadamente com a criação do centro museológico que irá reavivar a memória daquele espaço e da importância da Delphi no concelho. Também se prevê a criação de espaço de convívio, lazer e zona de restauração, bem como um espaço de exposições, certames e conferências que terá um auditório com 300 lugares e sala de exposições.

Centro Empresarial e Tecnológico, nas antigas instalações da Delphi. Imagens do projeto. Créditos: DR

Refira-se que a unidade fabril da norte americana Delphi, que chegou a ser o maior empregador privado no distrito, produzia apoios e mecanismos para portas de correr automatizadas e sistemas de proteção de ocupantes para vários modelos de veículos automóveis, até fechar, num capítulo doloroso para Ponte de Sor. As instalações ficaram inutilizadas e foram-se degradando com o passar dos anos e sem interessados em investir na reabilitação do espaço e ocupação, tal como mencionou o presidente da Câmara.

Hugo Hilário lembrou a morosidade do processo, bem como a fase mais difícil para a região, com o encerramento da unidade no final de 2009 que deixou mais de 400 pessoas no desemprego. Já o processo para o reaproveitamento daquela unidade fabril durou mais de uma década, com várias tentativas de angariar possíveis investidores privados para ocuparem a infraestrutura, situação que não se verificou.

O município optou por partir para a aquisição das instalações da unidade fabril, processo que ficou concluído em 2020.

Centro Empresarial e Tecnológico, nas antigas instalações da Delphi. Imagens do projeto. Créditos: DR

Agora com o projeto de reabilitação executado e apresentado ao público, a autarquia não esconde a intenção de ainda este ano lançar o concurso público, mas nota que a obra requer visto prévio do Tribunal de Contas e que se trata de um projeto “com algum rigor” do ponto de vista de arquitetura e especialidades.

O prazo de execução ronda cerca de um ano a ano e meio de empreitada.”O ideal era no segundo semestre de 2023 termos estas instalações a funcionar em pleno”, assume Hugo Hilário.

VÍDEO | Entrevista com o presidente da CM Ponte de Sor, Hugo Hilário

Numa abordagem ao desenvolvimento do concelho e à estratégia para contrariar a desertificação e dar maiores condições de atratividade e qualidade de vida para a população e para quem queira fixar-se no concelho, o autarca foi sucinto, referindo que muitas das medidas necessárias para Ponte de Sor, são necessárias para todo o país e devem partir do Governo central.

No caso de Ponte de Sor, o autarca reconhece que deve investir-se na capacitação e formação da população, bem como na captação de investimento e criação de emprego e riqueza, para que a comunidade não opte por abandonar o concelho à procura de oportunidades.

“O que atrai a população são as condições de vida, e aí já temos. Além de boas infraestruturas desportivas, culturais, sociais, acessibilidades, a localização geográfica. Precisamos fortalecer todos os dias o nosso tecido económico e empresarial para a partir daí poder atrair pessoas”, sublinha.

Hugo Hilário, presidente da CM Ponte de Sor. Foto: mediotejo.net

Falando em acessibilidades, Hugo Hilário defendeu que não deve haver fundamentalismos, apesar de cada município ambicionar sempre melhores acessibilidades para o seu território.

“Ponte de Sor situa-se no interior do país, a uma hora de distância de Espanha, a uma hora e meia de Lisboa, a uma hora e meia de Coimbra, a uma hora de Leiria. Dos grandes centros industriais também. E, portanto, as nossas acessibilidades não são más (…) Por algum motivo não tem sido esse o impedimento para atrair investimento”, declarou.

Porém, confessa que “se pudermos reduzir, principalmente em tempo, as distâncias para estes centros todos que estamos a falar, pois bem, seria o ideal”.

“Neste momento está inscrito no Plano Nacional de Infraestruturas a ligação do IC13 ao IC9, para ligar Ponte de Sor diretamente à A23, com uma travessia pelo rio Tejo, perto do Tramagal, e se isso acontecer, ficamos logo obviamente privilegiados no que respeita às nossas acessibilidades. O que era ótimo também era termos uma ligação até Alcochete ou mais próxima de Lisboa, mas vamos continuar a lutar por isso”, admite.

Ainda assim, insiste, não será esse motivo que fará “travar a intenção em progredir, em atrair investimento, em criar riqueza e em poder desenvolver o nosso território”, termina.

Ricardo Pinheiro, Secretário de Estado do Planeamento. Foto: mediotejo.net

Também presente na iniciativa, que decorreu durante a manhã do feriado de 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, esteve o Secretário de Estado do Planeamento, que afirmou que este projeto pontessorense “só pode ter condições para ser vencedor”.

Ricardo Pinheiro relevou a forma como “as autarquias e autarcas conseguem perspetivar as próximas políticas de um determinado concelho alinhadas com as estratégias europeias e inclusive com a Estratégia Portugal2030 em determinadas áreas e pilares fundamentais do desenvolvimento do país”.

O governante disse ainda que a estratégia está igualmente alinhada com a transição climática e digital, bem como na estratégia de capacitação e formação pensada e ponderada para as gerações futuras.

Destacou ainda Ricardo Pinheiro o facto de determinados territórios nacionais se especializarem em determinados setores, caso da indústria aeronáutica que se destaca em Ponte de Sor.

VÍDEO | Entrevista com o Secretário de Estado do Planeamento, Ricardo Pinheiro

A sessão contou ainda com a mesa redonda “Delphi, passado, presente e futuro”, com moderação do professor Miguel Moreira, consultor sénior do Município para as áreas de aeronáutica e atração de investimento, participação do autarca Hugo Hilário, do Engenheiro Adolfo Silva – último diretor geral da Delphi – e de Arnaldo Frade, Delegado Regional do Alentejo do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Foi também transmitido um documentário alusivo à antiga Delphi com visitação à história e memória, bem como das instalações, projetando o futuro equipamento do Centro Empresarial e Tecnológico. Assista ao vídeo abaixo:

FOTOGALERIA

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome