- Publicidade -

Ponte de Sor | Autarca fala em “guerra sem tréguas” em “momento mais crítico de sempre” da pandemia

O concelho de Ponte de Sor regista 274 casos ativos de covid-19 esta segunda-feira, 25 de janeiro. Desde o inicio da pandemia são já 645 casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2, havendo 7 óbitos a registar. Numa comunicação aos munícipes, o presidente da Câmara, Hugo Hilário (PS), admite que a situação é ” muito grave, muito difícil e por isso muito preocupante”. Apesar do “esforço da comunidade”, o autarca fala em “guerra sem tréguas” sendo este “o momento mais crítico de sempre”.

- Publicidade -

Hugo Hilário informa estarem ativos surtos de SARS-CoV-2 “em algumas estruturas residenciais para idosos do concelho” de Ponte de Sor. Segundo o presidente “estas instituições encontram-se a providenciar as devidas medidas para dar as melhores condições aos seus utentes. O município, a proteção civil municipal e as entidades de saúde estão a acompanhar os casos, empregando todos os recursos necessários para ultrapassar o mais rapidamente possível esta situação”, garante.

Ao nosso jornal Hugo Hilário explicou que “dos 10 lares do concelho quatro têm surtos” sendo “a taxa de infeção dos utentes e funcionários na ordem dos 80%”.

- Publicidade -

Indica terem sido realizados “mais de 700 testes” de despiste ao novo coronavírus que “permitiram a identificação, numa fase inicial, de mais de uma centena de casos”.

Acrescenta que os números dos casos ativos “referem-se aos testes realizados nos lares”.

Neste momento, as pessoas que testaram positivo, designadamente os utentes dos lares, “estão em isolamento” com o apoio das “instituições, como a Segurança Social, a autoridade de Saúde Pública e a Proteção Civil Municipal” num trabalho em parceria.

Face ao cenário de surtos, o Município construiu uma bolsa de trabalhadores municipais para exercerem temporariamente funções nas estruturas residenciais a necessitarem de mais meios humanos. A este apelo do Município, “os seus funcionários responderam voluntaria e civicamente com a sua total disponibilidade, num ato de grande coragem e altruísmo” nota em comunicado.

A ação passa agora “por reforçar os recursos das instituições através das Brigadas de Intervenção Rápida da Segurança Social, com a Proteção Civil Municipal” incluindo apoiar as ERPI (Estruturas Residenciais Para Pessoas Idosas) “com funcionários que estavam a trabalhar nas escolas” detalha o presidente. “O que importa agora é preservar vidas” afirma.

Avança também que a vacinação nas estruturas residências para idosos “já se iniciou no concelho e esse sinal de esperança deve ser assinalado e enaltecido. Mas nesta longa maratona, o caminho para a meta é incerto e sinuoso e vai colocar-nos à prova a todos. Ninguém está fora desta luta, todos somos chamados à batalha”, apelou Hugo Hilário.

Ao mediotejo.net confirmou ainda terem estado em confinamento 28 turmas do Agrupamento de Escolas de Ponte de Sor mas, com o encerramento das escolas “o problema não se coloca e está resolvido” até porque “a maior parte das turmas” já foi retirada do isolamento pela autoridade de saúde pública.

Admite a existência de surtos na comunidade resultantes da “passagem do ano”.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).