Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Ponte da Chamusca: haja consenso e bom-senso”, Hugo Costa

Ao longo dos últimos anos, a nossa região assistiu a um gradual melhoramento das suas infraestruturas rodoviárias. Contudo, e em paralelo, a visão keynesiana de apoio ao investimento público começou a ser colocada em causa.

- Publicidade -

As infraestruturas rodoviárias começaram a ser diabolizadas, como é bem visível no Portugal 2020. Independentemente da necessidade de se virem a encontrar opções o mais consensuais possíveis –  onde possam vir a ser evitados alguns erros do passado – a verdade é que continuamos a necessitar de investimento na nossa região ao nível das infraestruturas.

Entre esses investimentos incluímos necessariamente a urgência de se intervir na Nacional 361 em Alcanena, na variante a Fátima, entre outras pequenas obras, além de se ter que avançar com a resolução do problema da travessia do Tejo, nomeadamente para a população de Constância, da Ponte da Chamusca, onde quase diariamente se registam constrangimentos de tráfego.

- Publicidade -

A Assembleia da República debateu, na passada semana, na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, quatro Projetos de Resolução sobre o tema. O Partido Socialista foi dos primeiros a apresentar um Projeto concreto há mais de um ano (assim como o BE), e saudamos todos os que agora se juntaram a este debate.

A Assembleia esteve bem, a procurar encontrar consensos para a redação de um possível texto comum. A obra é justa e necessária tendo como vista melhorar a qualidade de vida da população. O Eco Parque do Relvão e a importância industrial da população, não deixam dúvidas.

De uma vez por todas, é necessário encontrar as soluções para a resolução deste problema que se arrasta pesarosamente há tempo demais. Quero fazer parte da solução, contem com todo o meu empenho para isso.

Deputado na Assembleia da República e membro das Comissões de Economia, Inovação e Obras Públicas e Habitação, é também membro da Comissão de Orçamento e Finanças. Diz adorar o Ribatejo e o nosso país. Defende uma política de proximidade junto dos cidadãos. Tem 36 anos, é de Tomar e licenciou-se em Economia pelo ISEG. É membro da Assembleia Municipal de Tomar e da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Tem como temas de interesse a economia, a energia, os transportes, o ambiente e os fundos comunitários.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome