Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Poluição no rio Tejo preocupa autarca de Vila Velha de Ródão

O presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira, disse hoje que está “muito preocupado” com a poluição no rio Tejo e considera uma “caça às bruxas” a abordagem que está a ser feita ao problema.

- Publicidade -

“Estamos muito preocupados com aquilo que se passa no Tejo e entendemos que não é admissível continuar esta situação. A nossa preocupação é que a abordagem que está a ser feita não resolva o problema”, ao qual se pode juntar outro, “gravíssimo, de ordem social”, alertou Luís Pereira, em declarações à Lusa.

Em causa está a recente audição, no parlamento, na comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação sobre os problemas de poluição do Rio Tejo, onde estiveram os presidentes das câmaras de Castelo Branco, de Abrantes, de Mação, de Nisa, de Gavião, de Vila Velha de Ródão e de Constância.

- Publicidade -

Luís Pereira mostrou-se desagradado com algumas intervenções dos autarcas presentes – sem especificar quais – que abordaram a descarga de afluentes de empresas da região e os transvases feitos pelas entidades espanholas, temendo os efeitos económicos e ambientais na região.

O autarca entende que se deve manter “alguma racionalidade” sobre o assunto, ou seja, “não falar no detalhe e falar da questão na sua globalidade”.

“Está a fazer-se uma ‘caça às bruxas’, cujo verdadeiro problema não é a poluição para alguns autores”, mas “a comparação que fazem do que é o concelho de Vila Velha de Ródão, da sua capacidade de atração de investimento e de criação de emprego e aquilo que existe nos seus concelhos”, disse.

Luís Pereira referiu que o caudal do Tejo, no verão passado, “foi um dos piores” dos últimos anos, duvidando que tenha sido cumprido o caudal mínimo.

“Sabemos que 80% da água do Tejo a 100 quilómetros da sua nascente é desviada para o sul de Espanha e sabemos que a 100 quilómetros da nossa fronteira [Portugal], temos uma das barragens mais poluídas de Espanha (Castrejón) onde surgem à superfície da água, bolhas de metano” e “isso é algo que não vemos no Tejo, em Vila Velha de Ródão”, salientou.

O autarca não nega a existência de alguns problemas em Vila Velha de Ródão, sobretudo com uma Estação de Tratamento de Águas Residuais na zona industrial, cujas lamas estão a ser recolhidas periodicamente por uma empresa certificada, mas respondendo a “todos os requisitos” colocados pela Agência Portuguesa do Ambiente.

Quanto às restantes indústrias locais, Luís Pereira recordou que em 2015 a Celtejo foi a primeira empresa a certificar-se na ISO 14001 e a AMS recebeu em 2014 um prémio de sustentabilidade ambiental da União Europeia.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia, não será bem assim senhor presidente. O senhor tem deixado arrastar a situação, pouco tem feito para a resolver. Há que equilibrar, o ambiente e o emprego. Também muitas famílias vivem ainda do rio como bem sabe, bem perto tem a comunidade ribeirinha do Arneiro. Há todo um património imaterial que se está a delapidar com a industria do papel. Tem sido no seu mandato, ficará na memória por isso mesmo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here