Quarta-feira, Dezembro 8, 2021

Política | PCP de Santarém considera CDU como “a grande força de esquerda no poder local”

A Direcção da Organização Regional de Santarém (DORSA) do PCP considerou a CDU como “a grande força de esquerda no poder local” na sequência de uma análise realizada  aos resultados das eleições autárquicas e aos desenvolvimentos da situação política, social e económica do distrito, que decorreu no dia 6 de outubro de 2017.

Num comunicado enviado aos órgãos de Comunicação Social, a DORSA do PCP salienta “a força da CDU em importantes concelhos, a presença em todo o território, a manutenção no essencial da sua expressão eleitoral, a obtenção de 519862 votos e 10,05% na votação para as Assembleias Municipais, sem prejuízo de recuos e perdas, confirmam o projecto distintivo da CDU marcado pelo trabalho, a honestidade e a competência, e são factores de confiança para a intervenção futura”.

No distrito de Santarém, a CDU obteve 24813 votos (11,7%) para as Câmaras Municipais, menos 5479 votos que em 2013, conquistando a presidência das Câmaras Municipais de Alpiarça e Benavente, obtendo um total de 14 eleitos em executivos municipais, 58 em Assembleias Municipais e 138 em Assembleias de Freguesia.

A DORSA “regista como negativo a perda da presidência da Câmara Municipal de Constância, desde logo, para os trabalhadores e populações daquele concelho, a perda do trabalho, da honestidade e da competência que nortearam a intervenção dos eleitos da CDU na gestão do município durante mais de 30 anos”.

“Os resultados eleitorais no distrito de Santarém não retiram a determinação do PCP e da CDU de continuar a luta pela defesa, reposição e conquista de direitos, bem como não reduz a sua influência real”, frisa o PCP.

Na comunicação enviada à Imprensa, a DORSA “salienta o quadro de hostilização que acompanhou a intervenção do PCP e da CDU ao longo dos últimos meses. Uma campanha sistemática de ataque anti – comunista, de desvalorização do papel do PCP na vida política nacional, de lançamento de suspeitas sobre eleitos da CDU, entre outros”.

Em relação à campanha eleitoral para as últimas eleições a DORSA do PCP “saudou as centenas de membros do PCP e do PEV, da Associação Intervenção Democrática, da JCP e da Ecolojovem, bem como todos os homens, mulheres e jovens sem filiação partidária que fizeram da campanha da CDU uma grande campanha de massas, de contacto directo com os trabalhadores e as populações, ouvindo os seus problemas e aspirações, esclarecendo e mobilizando para o voto”.

A DORSA do PCP saudou ainda “todos aqueles que deram força, por via do seu voto, à CDU no distrito, reafirmando o compromisso de que cada um desses votos será usado para prosseguir a defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores, das populações, na defesa do Poder Local Democrático e no cumprimento dos programas eleitorais apresentados”.

Referindo-se depois à situação social e económica no distrito de Santarém, a DORSA diz que esta “continua marcada pelas consequências de décadas de política de direita, em que se destacam o nível elevado da taxa de desemprego, os baixos salários, a precariedade laboral, entre outros”.

Neste âmbito a DORSA do PCP “saúda as recentes acções de luta dos trabalhadores da Sumol + Compal, em torno do aumento dos salários, dos trabalhadores do Minipreço pela justa equiparação das carreiras profissionais, entre muitas outras que tiveram lugar nos últimos meses”.

A DORSA considera “indispensável que os trabalhadores e as massas populares assumam a defesa dos seus interesses face a linhas de ofensiva em curso pelo capital, apelamos a que esta se intensifique no sentido de levar mais longe a defesa, reposição e conquista de direitos. Intensificação da luta que constitui igualmente um elemento decisivo para a concretização da política patriótica e de esquerda de que o país precisa”.

Para a Direcção da Organização Regional de Santarém há “tarefas imediatas” que têm de ser realizadas, tais como “a tomada de medidas de direção decorrentes do processo de instalação dos órgãos autárquicos, de concretização desde o início do mandato, dos programas eleitorais assumidos, bem como para dar continuidade à intervenção das muitas pessoas sem filiação partidária que se envolveram e contribuíram para a afirmação da CDU e do seu projecto”.

O PCP tem na sua agenda, como prioridade, a realização nos dias 26, 27 e 28 de outubro de uma jornada nacional de informação sobre “os avanços verificados e as medidas necessárias para ir mais longe na defesa, reposição e conquista de direitos, a realização de uma campanha de valorização do trabalho e dos trabalhadores, pela fixação do Salário Mínimo Nacional em 600 euros em janeiro de 2018, pelo aumento geral dos salários, pelos direitos dos trabalhadores”, refere o comunicado.

Reportando-se ao XX Congresso, o PCP de Santarém apela às organizações do Partido “para que tomem medidas no sentido da concretização das orientações decididas no âmbito do reforço do Partido, destacando a necessidade de valorização da militância e dos princípios de funcionamento do Partido, a responsabilização de quadros, duma forte acção de recrutamento e integração dos novos militantes, do reforço da organização nas empresas e locais de trabalho, da melhoria do trabalho de propaganda e da difusão da imprensa partidária, assim como de medidas para assegurar a independência financeira”.

Por fim, a DORSA destaca ainda “a necessidade de prosseguir as comemorações do centenário da revolução de outubro, onde assume maior importância a realização do comício de 7 de novembro no Coliseu dos Recreios em Lisboa”, conclui o comunicado.

Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome