Sábado, Fevereiro 27, 2021
- Publicidade -

“Pela despoluição do Nabão”, por Hugo Costa

A água é um bem essencial à vida humana e à subsistência dos ecossistemas, imprescindível na organização socioeconómica e é, em muitos territórios, um recurso que assume um potencial verdadeiramente diferenciador e de coesão. Se há uma premissa que é consensual é a de que um bom ambiente é crucial para uma melhor qualidade de vida das populações.

- Publicidade -

Nos últimos dias fui o primeiro signatário de uma iniciativa apresentada na Assembleia da República, no sentido de que venham a ser tomadas medidas efetivas com vista à despoluição do rio Nabão. Juntamente com restantes deputados do PS eleitos pelo distrito de Santarém e pela coordenação do PS na área do ambiente, demos seguimento a um Projeto de Resolução no sentido de que se promova o adequado apuramento das fontes poluição do Rio Nabão, através da articulação entre as entidades relevantes e/ou competentes nesta matéria, garanta a necessária fiscalização e promova medidas que visem encontrar financiamento para a despoluição da bacia hidrográfica. Estes atentados ambientais têm que parar.

Para os distritos de Leiria e Santarém, o rio Nabão assume uma importância incontornável. Nasce no lugar dos Olhos de Água, no concelho de Ansião e, num percurso de 61,47 quilómetros, atravessa os concelhos de Ansião, Alvaiázere, Pombal, Ourém e desagua em Tomar, na margem direita do rio Zêzere.

- Publicidade -

É importante que os problemas do nosso território subam a Lisboa, no sentido de se discutirem, a  nível nacional, soluções profícuas para que a realidade seja outra e que as imagens do Rio Nabão que invadem os meios de comunicação social e as redes sociais mostrem o seu potencial e beleza do seu curso e não o que a irresponsabilidade da mão humana provoca.

O rio Nabão assume uma importância incontornável, sendo que nos últimos anos, muitas têm sido as manifestações de descontentamento das populações relativamente a descargas poluentes no rio, refletindo uma preocupação partilhada pelos autarcas e deputados e que já justificou a apresentação de várias queixas-crime pela Câmara Municipal de Tomar.

Perante a premência de encontrar uma solução definitiva para a resolução deste problema – evidentes nas descargas que surgem sempre que regista pluviosidade – com graves consequências de cariz ambiental, torna-se prioritário apresentar um conjunto de recomendações urgentes ao Governo.

Importa garantir uma gestão eficaz e preventiva dos recursos naturais, evitando, nomeadamente, a contaminação dos rios, de forma a assegurar um território e comunidades mais resilientes.

É por este motivo que vou continuar a trabalhar para o financiamento da despoluição do Rio Nabão, porque o que está em causa é a qualidade de vida da população, a mesma que tem uma ligação umbilical ao seu rio.

Deputado na Assembleia da República e membro das Comissões de Economia, Inovação e Obras Públicas e Habitação, é também membro da Comissão de Orçamento e Finanças. Diz adorar o Ribatejo e o nosso país. Defende uma política de proximidade junto dos cidadãos. Tem 36 anos, é de Tomar e licenciou-se em Economia pelo ISEG. É membro da Assembleia Municipal de Tomar e da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Tem como temas de interesse a economia, a energia, os transportes, o ambiente e os fundos comunitários.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).