Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Passe pela Biblioteca | “Por Quem os Sinos Dobram”, de Ernest Hemingway

Convidámos os responsáveis das bibliotecas municipais do Médio Tejo a fazerem as suas recomendações neste espaço de forma alternada, às segundas-feiras. “Por Quem os Sinos Dobram”, de Ernest Hemingway, é a sugestão apresentada esta semana por Nuno Ferreira, da Biblioteca Municipal Alexandre O`Neill, em Constância.

- Publicidade -

Passe pela biblioteca… e boas leituras!

A sugestão da Biblioteca Municipal Alexandre O`Neill é o livro “Por Quem os Sinos Dobram” do escritor norte-americano Ernest Hemingway (1899-1961).

- Publicidade -

Hemingway, foi um dos maiores escritores do século XX, teve uma vida intensa feita de histórias e sempre repleta de episódios e de guerras, o que se revela em grande parte da sua obra, quase toda escrita em forma de romance ou conto.

Desde muito novo participou em dois dos maiores acontecimentos do século XX, a 1ª Guerra Mundial e a Guerra Civil de Espanha através da sua profissão de jornalista.

Ernest teve uma vida social e pessoal muito intensa e em que as mulheres (foi casado 4 vezes), o álcool e a vida boémia eram uma constante. Foi pescador, toureiro amador, viveu em Espanha, na Flórida e em Cuba e foi um cidadão do mundo quando o mundo ainda tinha muitas fronteiras. Era um homem de paixões e isso reflete-se de forma intensa nos seus livros.

Ganhou vários prémios literários e de reconhecimento pela sua carreira literária, como o prémio Pulitzer de Fição (1953) e o Prémio Nobel da Literatura (1954). O final da sua vida é marcado pela doença, depressão e instabilidade emocional derivada da vida desbragada que tinha aliada à personalidade dominadora de sua mãe que o sempre marcou e de ser portador de hemocromatose (doença que ocorre por excesso de ferro nos tecidos e desta forma nos órgãos principais, de origem genética), que o levou a tirar a sua própria vida aos 61 anos de idade.

O romance de Hemingway datado de 1940, desenrola-se durante a Guerra Civil de Espanha, que opôs entre 1936 a 1939, o governo legítimo da República Espanhola, apoiado pela União Soviética e por milhares de voluntários antifascistas de todo o mundo e agrupados nas Brigadas Internacionais, aos Nacionalistas do General Francisco Franco apoiados pela Itália fascista e a Alemanha nazi, tendo o conflito terminado com a vitória dos Nacionalistas a 1 de abril de 1939.

O livro relata-nos a história de Robert Jordan, professor de espanhol norte americano que tinha vivido em Espanha antes da guerra e membro das Brigadas Internacionais. Especialista em explosivos, é enviado para trás das linhas nacionalistas por ordens de um general soviético incumbido de fazer explodir uma ponte estratégica para as forças republicanas na zona da cidade de Segóvia (Castela e Leão) num ataque que se pretende sincronizado com uma ofensiva para a retomada da cidade nas mãos dos nacionalistas, devendo para tal contatar e ser auxiliado por bandos de guerrilheiros antifascistas que existem nas montanhas junto do local onde se encontra a ponte.

Na sua missão conhece Maria, jovem mulher espanhola vítima da ação das forças Falangistas (parte da coligação das forças nacionalistas), por quem se apaixona, durante a estada com os guerrilheiros tem de lidar com Pablo, líder do grupo, que tem outra agenda que não a de Robert Jordan o que vai criando diversas tensões ao longo do evoluir do romance, Jordan fica dividido entre o dever, o seu amor por Maria e a pressão de Pablo e a inconstância de uma força não organizada como são os guerrilheiros.

Ernest Hemingway durante toda a obra escreve sob a condição humana, fazendo uma lúcida crítica à guerra em geral como forma de qualquer mudança ou de evolução civilizacional, particularmente aos horrores da Guerra Civil Espanhola, que com a sua violência irracional contaminou tropas de ambos os lados. Critica especialmente o lado que conheceu melhor, os republicanos, nomeadamente a sovietização/burocratização da guerra, os privilégios da elite militar espanhola e estrangeira, perante a pobreza e a fome das populações e das tropas regulares na frente de batalha.

Por Quem os Sinos Dobram é considerada uma das mais importantes obras deste autor, em que alguns temas centrais do seu percurso literário estão presentes, a morte, o heroísmo e a camaradagem, a vontade e a importância do destino, neste caso através da personagem Pilar.

Uma leitura de um livro tornado clássico pelo tempo, que em muitos aspetos se aproxima dos tempos em que vivemos, nomeadamente a falta de respeito pelos direitos e pela condição humana, um alerta para o populismo e para as suas consequências.

A obra de Ernest Hemingway pode ser encontrada nas seguintes Bibliotecas Municipais do Médio Tejo:

Biblioteca Municipal Alexandre O´Neill – Constância
Biblioteca Municipal Dr. Carlos Nunes Ferreira – Alcanena
Biblioteca Municipal António Botto – Abrantes
Biblioteca Municipal Dr. António Baião – Ferreira do Zêzere
Biblioteca Municipal de Ourém
Biblioteca Municipal de Sardoal
Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes – Sertã
Biblioteca Municipal António Cartaxo da Fonseca – Tomar
Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes – Torres Novas

Responsável pela Biblioteca Municipal Alexandre O'Neill em Constância

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome