- Publicidade -

Passe pela Biblioteca | “O Concelho de Constância e a Grande Guerra”, da Câmara Municipal de Constância

Convidámos os responsáveis das bibliotecas municipais do Médio Tejo a fazerem as suas recomendações neste espaço todas as segundas-feiras, de forma alternada. “O Concelho de Constância e a Grande Guerra”, publicado pela Câmara Municipal de Constância, é o livro sugerido esta semana por Anabela Cardoso, diretora da Biblioteca Municipal Alexandre O´Neill, em Constância.

- Publicidade -

Passe pela biblioteca… e boas leituras!

Ao assinalar-se, por todo o país, o centenário da entrada de Portugal na Grande Guerra, importa não esquecer o papel preponderante que o concelho de Constância assumiu neste conflito trágico, assim como outros concelhos vizinhos, uma vez que foi nesta região que ocorreu a preparação do primeiro contingente militar do C.E.P. – Corpo Expedicionário Português, que Portugal enviou para França, no início de 1917.

- Publicidade -

As manobras mais intensas decorreram entre os meses de maio e junho de 1916 e consistiram no treino militar de cerca de 20 mil homens. Este feito ficou conhecido como O Milagre de Tancos, que culminou no dia 22 de julho com a grande Parada de Montalvo, desfile militar que assinalou a conclusão da formação do C.E.P.

A publicação de O Concelho de Constância e a Grande Guerra pelo município tem por objetivo contribuir para o estudo e divulgação dos contornos históricos que pautaram a participação de Portugal na Grande Guerra, assim como para o reconhecimento do impacto e das memórias que ainda subsistem deste conflito, tão marcante para a história de Portugal e, em particular, para a história do concelho de Constância. Neste âmbito, foi necessário identificar, recolher e divulgar memórias relacionadas com a participação de Portugal na Grande Guerra, as quais foi possível de alcançar mediante relatos, fotografias, cartas, diários, postais e objetos que os familiares destes militares ainda preservavam.

De entre várias memórias e objetos associados, foi possível recolher um objeto com um valor inestimável. Trata-se de um testemunho na primeira pessoa, consubstanciado na agenda pessoal do militar Manuel Rodrigues da Silva, natural de Montalvo, que partiu para a guerra a 21 de março de 1917, com 22 anos, e regressou a 20 de março de 1919.

Nesta agenda pessoal, o militar descreve o seu dia-a-dia, revelando as suas vivências e experiências de guerra, as condições de saúde e higiene nas trincheiras, as relações com os soldados da sua terra, o moral e as saudades, as queixas relativas à alimentação e ao frio sentido na Flandres e o convívio com os franceses nos momentos de ócio, que culminava nas frequentes idas ao estaminé da Carlota.

Apesar desta agenda constituir o único registo escrito na primeira pessoa, a chegar até nós, acreditamos que os soldados, que partiram do concelho de Constância passaram por estas experiências e, segundo Manuel Rodrigues Silva, mantiveram-se em contacto, conviveram, comemoraram juntos e, também, juntos sentiram saudades das suas famílias e da sua terra natal.

Além da apresentação de fac-símiles e da transcrição da agenda de algibeira, o livro mostra a listagem dos 66 militares do concelho de Constância que participaram na Grande Guerra e algumas imagens da participação do concelho neste conflito.

Diretora da Biblioteca Municipal de Constância

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -