Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

PASSE PELA BIBLIOTECA: MONOGRAFIAS DE OURÉM

Convidámos os diretores das bibliotecas municipais do Médio Tejo a fazerem as suas recomendações neste espaço, de forma alternada, todas as sextas-feiras. Esta semana, as várias Monografias de Ourém são as sugestões de Ana Saraiva, Chefe de Divisão da Ação Cultural da Câmara Municipal de Ourém e responsável pela Biblioteca Municipal.

- Publicidade -

Passe pela biblioteca… e boas leituras!

As bibliotecas municipais têm várias virtudes! A primeira virtude é a sua extensão universal ao promover a democratização no acesso à informação através de títulos sobre o mundo inteiro e escritores de tantas proveniências.

- Publicidade -

Uma segunda virtude das bibliotecas municipais é a sua competência para integrarem o global, o nacional e o local através de livros, DVD’s e outros suportes de informação. A Condição Humana de Hanna Arendt (1958) coabita com monografias locais num lugar onde cada livro tem um papel necessário na vida do cidadão leitor.

Ourem_3contrUma terceira virtude das bibliotecas municipais – que conduz a presente sugestão de leituras – é o seu investimento nos estudos locais. Mais do que recomendar um título específico sugere-se um olhar atento e analítico sobre as monografias de Ourém. Os estudos locais são o “cartão de cidadão” de cada biblioteca municipal porque a individualizam e diferenciam das demais. Precisamente, a Biblioteca de Ourém reúne vários estudos que se complementam na transmissão de conhecimento sobre o território local nas suas dinâmicas e representações identitárias.

Na viagem pela história local percorremos referências clássicas em Descrição da Vila de Ourém feita em 1758 pelo P.e Luís António Flores (Correia 1999); em Ourém: Três contributos para a sua história (Eliseu, Flores e Flores 1994, 2.ª ed.); e em Esboço Histórico de Vila Nova de Ourém (Eliseu 1868). Encontramos depois monografias centradas em freguesias e localidades como Fátima, Aljustrel e Boleiros (e.g. Oliveira 1990, Roque et al 1993, Neves 2005, 2007), Caxarias, Olival, Seiça e Alburitel (Rodrigues 2001, 2007 e 2008) e Espite (Gonçalves 2011). Juntam-se-lhe artigos sobre os baldios de Ourém no séc. XVIII (Silva 2012) e os ecos locais da implantação da República em Portugal (Município de Ourém 2010). As dimensões história e cultural do vinho medieval de Ourém também estão escritas (Cruz e Lopes 2004).

ourem_memoriasOs ensaios biográficos são outro filão relevante da literatura local. Sobressai a obra sobre D. Afonso (neto de D. João I e D. Nuno Álvares Pereira), personalidade maior da história de Ourém (Dias 2003, André (coord.) 2004, Silva 2005). Estão igualmente documentados a passagem do Condestável por Ourém (Baptista 2004), o papel económico e diplomático do oureense Francisco Vieira de Figueiredo no Oriente (Baptista e Ribeiro 2013), a ligação de Martim Anes de Bocifal à antiga igreja de Olival (1989), ou mesmo a família Flores de Ourém na sua importância para a região (Correia 1998, 1999, 2002).

Olhares etnográficos situados no espaço e no tempo cruzam vários temas como a agropecuária, a tecnologia, a religião, a genealogia familiar, o abastecimento de água, a gastronomia, a habitação, a arquitetura popular e o imaginário popular (e.g. Abreu 1980, Neves 2001, 2003, 2008, Ribeiro 2003, Saraiva 2012, 2014, 2015).

Na arqueologia, a Carta Arqueológica de Ourém (Pereira et al 2006) abriu caminho a novos estudos. Na paleontologia e natureza, são incontornáveis publicações sobre o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e o Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios no Bairro, (e.g. Alho (coord.) 2003 e Santos 2009).

ourem_ourem_bdComposto por estes e outros títulos, o Fundo Local convida os leitores (visitantes e habitantes) a conhecerem melhor o concelho e, consequentemente, a valorizá-lo. Serve ainda estudiosos e investigadores nos seus exercícios de pesquisa e crítica, num universo de conhecimento que é inesgotável.

Finalmente, os estudos locais são ótimos roteiros de trabalho e de visita a três estruturas culturais fundamentais nos municípios: a biblioteca, o arquivo e o museu.

 

Chefe de Divisão da Ação Cultural da Câmara Municipal de Ourém e responsável pela Biblioteca Municipal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here