Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

“Particularidades do concurso “A descoberta do mestre de Sardoal”, por Massimo Esposito

Sábado 23 de Janeiro foi inaugurada em Sardoal a exposição “À Descoberta do Mestre” como foi sobejamente anunciado nos média. Foi uma tarde muito agradável do ponto de vista artístico e muito importante pelo “Medio Tejo”. Porque digo isto? Por algumas razões que irei esclarecer para os demais.

- Publicidade -

Primeiro se deve destacar a “ousadia” duma pequena Câmara como a de Sardoal apostar num concurso desta envergadura (a nível nacional).

Segundo, o tipo de concurso, que é um dos muitos poucos certames em que se privilegia a obra manual de pintura, a técnica expressiva geralmente realizada a pincel, mas sem descartar outras ferramentas, evitando instalações, fotografias e vídeos, para se concentrar exatamente na obra “pictórica”.

- Publicidade -

Basilar é também o que o próprio título explica: À Descoberta do Mestre. Estes artistas (Manuel e Vicente Gil) são os “responsáveis” de ter transmitido as técnicas e teorias artísticas emergentes na Europa (pintura a óleo e perspectiva) no longínquo século XV numa terra como Sardoal. (é um pouco como se um jovem fosse com um IPad a falar com Newton). E estando muito pouco conhecidos os artistas participantes ficaram agradados com a ..descoberta do mestre e seu legado.

Os artistas intervenientes vieram de todo o pais apresentando obras selecionadas com uma alta qualidade técnica e imaginativa e a exposição ficará patente per dois meses no Centro Cultural Gil Vicente.

MASSIMO1Estes são alguns pormenores, mas outros são ainda mais importantes, como por exemplo os três anos corridos entre a apresentação da minha ideia e a realização, a dificuldade de orçamentar o concurso num período “tao magro”, como o divulgar, quais os parâmetros e as divergências ultrapassadas com saudáveis “trocas de ideias” (eu e o Vereador responsável temos gostos diferentes em arte visual), a procura dum Júri razoável (e aqui gostava de elogiar a competência da Drª Laura Afonso e sua gentileza).

Sim, não é fácil organizar e realizar um concurso deste tipo, sem esquecer os funcionários que se viram a braços com um grande número de obras a chegar repentinamente de todo o país, algumas com grandes medidas.

O fotógrafo que teve de catalogar todas as obras e o designer a imaginar em como fazer um belo catálogo com poucos recursos. E o coordenador da exposição, que tinha poucas paredes para tantas obras. Mas as criticas vieram na mesma e algumas muito bem vindas porque queremos fazer melhor e mais.

E nós aceitamos o desafio e, por estas razões…até ao próximo ano.

Pintor Italiano, licenciado em Arte e com bacharelato em Artes Gráficas em Urbino (Itália), vive em Portugal desde 1986. Em 1996 iniciou um protejo de ensino alternativo de desenho e pintura nas autarquias do Médio Tejo que, após 20 anos, ainda continua ativo. Neste projeto estão incluídas exposições coletivas e pessoais, eventos culturais, dias de pintura ao ar livre, body painting, pintura com vinho ou azeite, e outras colaborações com autarquias e instituições. Neste momento dirige quatro laboratórios: Abrantes, Entroncamento, Santarém e Torres Novas.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here