Ourém | Virgem sem coroa e em poliestireno fabricada em Fátima é o novo produto do centenário

Santuário de Fátima, ACISO e Imprensa Nacional - Casa da Moeda voltaram a unir-se em torna de um produto certificado que marca um centenário Foto: mediotejo.net

Com 30 centímetros, toda em branco, sem coroa e dentro de um redoma, fabricada em Fátima usando poliestireno, foi lançada esta quarta-feira, 17 de junho, a imagem comemorativa do centenário da escultura original de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Trata-se de uma edição de 25 mil exemplares, numerada e com certificação da Imprensa Nacional – Casa da Moeda, com um preço fixo de 25 euros em que 1 euro reverte a favor do Centro de Acção Social do Santuário de Fátima- Casa São Miguel. A imagem número 0 será enviada ao Papa Francisco.

Esta estatueta nasce de uma parceria entre a ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima, o Santuário de Fátima e a Imprensa Nacional – Casa da Moeda, ao exemplo do que já havia sucedido em 2017 com o terço do centenário.

O projeto, liderado pela associação empresarial, incluiu a assessoria do Santuário de Fátima na elaboração de textos e seleção de imagens, e ainda, a cedência, pela empresa Artesacris SA, do protótipo da imagem, em madeira, que permitiu a construção do molde para o seu fabrico.

Imagem tem 30 centímetros e apresenta-se sem coroa, como a escultura original Foto: mediotejo.net

A estátua, produzida em poliestireno, de 30 centímetros de altura, encontra-se protegida por uma redoma, à semelhança da imagem venerada na capelinha das Aparições, e é desprovida de coroa, tal como a escultura de Nossa Senhora de Fátima quando foi criada. A cor branca e simplicidade da imagem pretende transmitir a paz e o despojamento. Cada peça é acompanhada de um livro explicativo, em sete idiomas, e selo de certificação numerado emitido pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

A venda ao público começa na quinta-feira, 18 de junho, incluindo vendas online, nos estabelecimentos de artigos religiosos de Fátima e Santuário de Fátima. Para compras para revenda, a encomenda deve ser efetuada junto das três fábricas de estatuária religiosa aderentes ao projeto, com sede em Fátima e associadas da ACISO, nomeadamente, Artesacris – Artigos Religiosos de Fátima, Farportugal – Indústria de Artigos Religiosos e José de Almeida Pereira.

Apresentação de imagem celebrativa do centenário da Virgem de Fátima. Certificação da Casa da Moeda. Aciso e reitor do Santuário

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 17 de junho de 2020

Cada imagem tem um preço fixo de venda ao público de 25 euros, valor que inclui uma componente solidária de 1 euro por unidade vendida a favor do Centro de Ação Social do Santuário de Fátima – Casa São Miguel, instituição particular de solidariedade social que trabalha há 25 anos no acolhimento de crianças e jovens em risco.

“Para a ACISO fazia todo o sentido assinalar o centenário da primeira escultura de Nossa Senhora de Fátima, com a produção local, em Fátima, de um produto certificado, exaltando o mais importante ícone mariano da atualidade”, referiu Purificação Reis, presidente da ACISO.

“Depois do sucesso do projeto do Terço Comemorativo do Centenário das Aparições de Fátima, congregaram-se vontades para, de novo, assinalar mais este importante marco histórico para Fátima, tendo-se optado por seguir a mesma linha gráfica no produto, de forma a dar coerência e continuidade ao conceito inicial”, recordou sublinhando que “ao envolver as fábricas locais, este projeto valoriza um setor económico importante para Fátima que é a sua indústria de artigos religiosos privilegiando-se, desta forma, o “made in Fátima”, sendo esse um dos aspetos que moveu a Associação para a conceção e desenvolvimento de mais este produto”.

Imagem com a numeração 0 vai ser enviada ao Papa Francisco Foto: mediotejo.net

O Reitor do Santuário de Fátima, Padre Carlos Cabecinhas, felicitou a ACISO por “em boa hora” ter tomado a iniciativa, destacando a “qualidade” da imagem, “motivo justificado de orgulho” de todos os envolvidos no projeto. Carlos Cabecinhas lembrou que a escultura original de Nossa Senhora de Fátima é um “dos mais conhecidos ícones” de Nossa Senhora na Igreja Católica. É “o mais significativo símbolo de Fátima, dos acontecimentos que lhe deram origem e da sua mensagem, mas é igualmente elemento que carateriza quer as celebrações litúrgicas quer os atos devocionais dos peregrinos que acorrem a este santuário”.

Alcides Gama, administrador da Imprensa Nacional – Casa de Moeda, destacou a importância da instituição que lidera na ligação a este projeto, por três principais razões: por ser a entidade que dá “credibilidade e autenticidade” aos mais diversos objetos e bens, por ser entidade do Estado que tem por missão serviço público e por este projeto ter “uma componente social muito importante”.

Em declarações aos jornalistas, Purificação Reis constatou que a imagem é um produto diferente do terço do centenário, que arrecadou 580.670 euros para o Centro de Reabilitação e Integração de Fátima (CRIF), também a um euro por unidade vendida. Mas “temos expetativas que o sucesso deste produto também seja grande”, comentou.

Já o Padre Carlos Cabecinhas lembrou que desde o início das aparições os peregrinos procuraram levar recordações de Fátima, pelo que frisou a importância destes levaram “alguma coisa com qualidade” que marque este centenário da escultura de Nossa Senhora de Fátima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here