- Publicidade -
Quarta-feira, Dezembro 8, 2021
- Publicidade -

Ourém | Parque de Lazer de Fátima e obra na EN356 voltam à Câmara

Na assembleia municipal de Ourém de segunda-feira, 20 de novembro, foram retirados da agenda dois projetos em Fátima que aguardavam aprovação final dos deputados: a primeira fase do parque de lazer de Fátima e o acordo com a Infraestruturas de Portugal (IP) para requalificar a EN356, entre o entroncamento de acesso ao nó da A1 e a rotunda sul, em Fátima. Em ambos os casos o novo executivo PSD-CDS pediu aos deputados para que os documentos voltassem à avaliação da Câmara.

O executivo PSD-CDS entrou em funções há cerca de um mês e encontrou um conjunto de projetos já agendados para aprovação final da assembleia municipal pelo anterior executivo PS. Na noite de segunda-feira, o novo presidente da Câmara, Luís Albuquerque, começou por pedir que se retirasse a aprovação da primeira fase do parque de lazer de Fátima. Segundo explicou, não fará sentido aprovar a obra por partes, regressando o documento à assembleia quando este reunir condições para ser votado no seu conjunto.

A sugestão foi acolhida pela bancada PSD, que pediu para retirar a proposta, tendo sido aceite pela restante assembleia.

De seguida Luís Albuquerque pediu que se retirasse também da agenda a minuta de acordo de mutação dominial de integração na rede viária de Ourém e de requalificação do troço da EN 356 em Fátima, entre o acesso à A1 e a rotunda sul. A proposta resulta do acordo com a IP de transferir a requalificação deste troço para o município, mediante o pagamento de 800 mil euros pela entidade. No entanto, destacou o presidente, o investimento previsto para esta requalificação está estimado em 2 milhões de euros, fora a compra de terrenos e a construção de uma rotunda na estrada. Luís Albuquerque defendeu que o município não tem condições de pagar uma obra que deverá ascender aos 3 milhões de euros, pelo que quer tornar a negociar com a IP.

A retirada do ponto da agenda foi mais uma vez acolhida pela bancada do PSD, pedindo o CDS que as negociações sejam céleres. Já da parte do PS, o deputado António Gameiro considerou positivo que se retome a negociação, concordando que a proposta atual não serve os interesses do município.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome