- Publicidade -
Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Ourém | “Padre” Humberto Gama em prisão preventiva por suspeita de violação

O homem de 82 anos conhecido por “Padre” Gama, um ex-sacerdote que foi expulso da Igreja Católica e que se dedicava à prática de exorcismos, está em prisão preventiva por suspeitas de violar um mulher de 47 anos em Murça. Em 2018, Humberto Gama também teve que ir prestar contas às autoridades por alegado crime semelhante praticado em Fátima, tendo sido deixado em liberdade

- Publicidade -

A informação é avançada pela agência Lusa, que cita a Polícia Judiciária. O “Padre” Gama foi detido no domingo, dia 26, em Murça, distrito de Vila Real, por suspeitas de ter violado um mulher. Presente a tribunal, ficou em prisão preventiva.

A alegada violação terá ocorrido a 21 de dezembro, em Murça, durante a realização de uma sessão de exorcismo. “Aproveitou-se da fragilidade e vulnerabilidade da vítima de 47 anos”, considerou a PJ de Vila Real.

- Publicidade -

Em 2018, em Fátima, o ex-padre foi também acusado de prática semelhante, mas acabou em liberdade depois de prestar declarações às autoridades. Na época, indo a julgamento, o Tribunal de Santarém decretou a medida de coação de apresentações bi-semanais à autoridade policial na área da sua residência.

Esta não foi porém a primeira vez que o dito exorcista se via envolvido em acusações de natureza grave, tendo em 2011 a Diocese de Leiria – Fátima publicado uma nota de imprensa em que alertava os fiéis para não se deixarem enganar pelo afamado exorcista, informação que tornou a divulgar em 2018. 

- Publicidade -

Segundo a diocese, Humberto Gama foi membro da Congregação religiosa dos Marianos da Imaculada Conceição, tendo sido ordenado sacerdote no Convento de Balsamão, no concelho de Macedo de Cavaleiros, em 1965. Em 1972, “por motivos graves, o governo geral da mesma Congregação demitiu-o”. 

“Esta decisão de expulsão da congregação religiosa de que era membro foi confirmada pelo Vaticano, através da Congregação dos Religiosos e Institutos Seculares”, adianta.

Desde essa altura que a Igreja Católica não reconhece a Humberto Gama “qualquer legitimidade para as atividades religiosas ou de exorcismo que realiza, sendo abusivos o título de “padre” com que se apresenta, o uso de vestes sacerdotais e a prática de ritos religiosos”.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome