Ourém | Ourém do Pará foi a Fátima dar-se a conhecer a Portugal e ao mundo

No nordeste do Brasil, já na região da Amazónia, no estado do Pará, há um pequeno município com cerca de 25 mil habitantes que recebeu de um irmão do Marquês de Pombal, no século XVIII, o nome de Ourém. Ninguém sabe explicar bem o porquê da toponímia, embora algumas lendas atribuam a sua origem a uma possível crença numa mina de ouro na zona. Os primeiros contactos entre Ourém do Pará/Brasil e Ourém do distrito de Santarém/Portugal ocorreram no início do século, mas mantiveram-se estagnados por mais de uma década. No VII Workshop Internacional de Turismo Religioso, que decorreu entre os dias 7 e 9 de março, Ourém do Pará quis dar-se a conhecer a um nível internacional, representando em Fátima o Brasil das cachoeiras, das tradições sertanejas e de uma segurança de que já pouco se houve falar por terras lusas.    

PUB

Em 2005, recordou Valdemiro Júnior ao mediotejo.net, encontrando-se então nos órgãos autárquicos de Ourém do Pará, realizaram-se com o então presidente da Câmara de Ourém, David Catarino, os primeiros contactos para uma possível ligação entre os dois concelhos homónimos. O esforço da época acabou por não dar frutos, sendo retomado apenas em 2017, numa época em que o atual prefeito regressara à vida política local.

Nesta nova fase, Ourém do Pará deu a conhecer a Ourém de Santarém a existência da comunidade de Furo Novo, a qual possui uma igreja católica cuja padroeira é Nossa Senhora de Fátima. No âmbito das primeiras trocas de correspondência, foi solicitada ao Ourém luso uma imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, o que desencadeou uma primeira visita da comitiva brasileira a Portugal em 2018.

PUB

Um colecionador de objetos ligados a Ourém soube da presença da comitiva de Ourém do Pará em Fátima e foi mostrar ao prefeito um conjunto de livros do início do século XX onde Ourém do Pará é mencionado Foto: mediotejo.net

O grupo percorreu todo o território ouriense e as suas instituições, tendo recebido do município a tão desejada imagem, de fabrico local. No regresso, a imagem de Nossa Senhora de Fátima fez um grande sucesso no estado parense, conforme recorda ao mediotejo.net o responsável do turismo e português radicado no Brasil, José Santos, sendo recebida por uma grande multidão aquando a visita ao Santuário de Fátima de Belém, capital do estado do Pará. A imagem fez ainda um percurso pelo território, tendo visitado o Hospital da Beneficente Portuguesa no Bairro do Umarizal em Belém, onde marcou presença o cônsul de Portugal, Francisco Brandão.

PUB

O impacto da imagem trazida de Portugal foi de tal ordem que a comunidade de Furo Novo, a cuja igreja se destinava, acabou por decidir alterar o seu nome, tendo sido rebatizada em setembro último como Vila de Fátima. A transladação final da imagem para a localidade fez acorrer também uma larga multidão às cerimónias, em todo um processo que marcou profundamente o pequeno município ouriense.

Foi esta história que Valdemiro Júnior e José Santos trouxeram a Fátima, nomeadamente ao Workshop Internacional de Turismo Religioso, onde conversaram com o nosso jornal. “Somos pequeninos mas estamos aqui. Um congresso desta dimensão é sempre um orgulho. Estamos a representar o Brasil”, refletiram em conjunto os responsáveis.

Em Ourém do Pará uma localidade que possui uma Igreja a Nossa Senhora de Fátima recebeu em setembro o nome de Vila de Fátima Foto: mediotejo.net

Para além da vertente religiosa, o município brasileiro está a trabalhar num projeto de futuro, adiantando o trabalho que se encontra a ser realizado para um protocolo de geminação com o concelho de Ourém. Há expetativas em torno da Igreja de Vila de Fátima e na possibilidade desta se tornar um santuário, mas Ourém do Pará quer também dar a conhecer-se turisticamente. “O nosso objetivo é dar a conhecer o nosso território, para assim irmos melhorando as nossas condições”, referem.

Colonizada por 30 famílias açorianas no século XVIII, esta Ourém brasileira foi o último território a sair da tutela portuguesa no século XIX, já o Brasil era independente. Em torno de Ourém sede existem atualmente 40 comunidades, num espaço rico em património sobretudo natural, característico da região amazónica. É ainda frisado ao nosso jornal a segurança e o baixo índice de violência, assim como as atividades económicas onde dominam o seixo, a brita, a agricultura familiar e a criação de gado, assim como um forte aquífero.

A comitiva de Ourém do Pará estava assim um pouco deslocada do contexto mais geral do Workshop de Turismo Religioso, onde dominavam os grandes santuários marianos europeus, como Lourdes, mas tal não os inibiu de também realizarem alguns contactos. Ao concelho de Ourém deixariam rasgados elogios pela forma como receberam os responsáveis e os integraram nas dinâmicas de promoção de Fátima e do turismo religioso.

No verão, adiantaram, será Ourém do distrito de Santarém a ir conhecer Ourém do Pará. Cidades irmãs em continentes diferentes que querem criar uma história em comum.

 

PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).