Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém | Município entregou primeiros apoios à natalidade a 30 crianças

O município de Ourém entregou na manhã de sábado, 29 de setembro, as primeiras tranches dos apoios à natalidade e à infância, destinados a bebés nascidos no primeiro semestre do ano. No total foram apoiados 30 bebés, mas o município já recebeu cerca de uma centena de candidaturas. Este apoio é válido para crianças nascidas a partir de 1 de janeiro de 2018 e por um período de três anos, sendo uma das promessas eleitorais do executivo PSD-CDS de Luís Albuquerque.

- Publicidade -

A cerimónia “simbólica” de entrega desta primeira tranche decorreu no auditório da Câmara de Ourém, mas as restantes entregas serão feitas por transferência bancária. Para a plateia de pais e bebés, Luís Albuquerque explicou que o apoio à natalidade foi uma das suas bandeiras eleitorais, face à constatação de um problema que é de nível mundial. A demora na implementação da medida, adiantou, deveu-se à muito burocracia.

“Discutimos muitas ideias” de apoio, referiu, mas “pareceu-nos que dentro do orçamento municipal” este seria o melhor modelo. O apoio à natalidade e à infância de Ourém é uma medida que se destina a crianças dos 0 aos 3 anos, nascidas a partir de 1 de janeiro de 2018 e que integrem agregados familiares com residência fiscal em Ourém (no mínimo há um ano).

- Publicidade -

Pela internet, pelos jornais locais e nos Centros de Saúde foram os locais onde os pais souberam da medida de apoio Foto: mediotejo.net

Trata-se da atribuição de um subsídio cujo valor oscila entre os 500 euros e os 800 euros por ano (consoante rendimento per capita), sob reembolso de despesas elegíveis, referentes à aquisição de bens e serviços destinados à criança, realizadas em estabelecimentos comerciais, instituições sociais, de educação ou saúde a operar em território do concelho de Ourém. O facto das despesas terem que ser realizadas no concelho é uma forma de estimular a própria economia local, explicou o presidente.

Consideram-se despesas elegíveis as respeitantes à alimentação (acessórios e produtos), saúde, higiene, conforto, mobiliário infantil, artigos de puericultura, vestuário, têxteis, creche, entre outros destinados à criança objeto do subsídio, refere a informação municipal.

O município já recebeu perto de uma centena de candidaturas, tendo até ao momento recusado apenas uma porque não cumpria os critérios de residência, explicou o autarca. No sábado receberam a primeira tranche os bebés nascidos até junho, tendo-se reunido no auditório municipal 30 crianças.

No Centro de Saúde, na internet ou pelas notícias locais, foi assim que os pais ouvidos pelo mediotejote.net se aperceberam da nova medida do município, que consideram, no geral, positiva face às despesas que acarretam sempre a chegada de uma criança.

“Acho que todos os municípios deviam ajudar nesta causa”, comentou ao nosso jornal Willy Remédios, de Fátima, pai de duas meninas gémeas de sete meses, a Laura e a Júlia. O dinheiro será usado nas despesas diárias das bebés, como fraldas e vacinas.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome