Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Julho 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém: Juniores defendem-se contra direção do Clube Atlético Ouriense

Cerca de uma dezena de jogadores da equipa de Juniores do Clube Atlético Ouriense foi à reunião de câmara de Ourém de 4 de março, sexta-feira, apresentar a sua posição relativa à extinção daquela faixa etária de futebol. Em causa estiveram divergências internas e falta de pagamentos, que levaram ao fim da equipa.

O anúncio da desistência do Campeonato Distrital de Juniores da 1ª Divisão e da Taça do Ribatejo de Juniores partiu da Associação de Futebol de Santarém, em comunicado de 11 de fevereiro. Os Juniores do Atlético Ouriense estavam na terceira posição, a dois pontos da liderança.

Durante as últimas semanas, alguns cartazes espalhados pela cidade de Ourém deram conta da contestação dos Juniores do Ouriense. foto mediotejo.net
Durante as últimas semanas, alguns cartazes espalhados pela cidade de Ourém deram conta da contestação dos Juniores do Ouriense. foto mediotejo.net

Em reunião de câmara, a declaração foi lida pelo um dos ex-capitães, António Rodrigues Martins. “Falo-vos em nome de um grupo de jovens que tem uma forte ligação com este clube e que apenas queriam fazer aquilo de que mais gostam – jogar futebol”, esclareceu, depois de ter referido que estavam ali para apresentar a posição dos jogadores face às notícias sobre a extinção da equipa.

Segundo o ex-capitão, o caso começou a 1 de fevereiro, quando foi interrompido um treino pela direção do Clube Atlético Ouriense para alertar para o incumprimento de várias mensalidades. “Durante essa interrupção, foram os jogadores informados de que, quem não regularizasse a situação atempadamente, ser-lhe-ia  retirado o respetivo cartão e vinheta, de modo a que não pudessem entrar em campo nos jogos das competições oficiais em que a equipa se encontrava”, referiu. “Foi ainda referido, por parte do presidente, que não se tratava de um ataque pessoal à equipa ou de qualquer perseguição. Toda esta situação foi, desde logo, estranhada por alguns jogadores que, representando o clube há mais anos do que qualquer elemento da direção, nunca viram uma situação deste cariz acontecer”, continuou.

Apesar de alguns jogadores terem regularizado a situação durante a semana, foram pedidos os cartões a toda a equipa e respetivos técnicos, o que começou a levantar a indignação.  “Por esta altura, já todos  questionavam a referida ausência de intenção da direção na perseguição da equipa. Perante a insistência do pedido  dos cartões por parte do presidente do clube, Carlos Pina, o delegado da equipa,  entregou o solicitado no dia 5 de fevereiro, tendo nessa altura informado o presidente a hora de saída para o jogo e que o presidente fosse lá informar a sua decisão quanto à participação para esse jogo”. A equipa diz ter esperado cerca de meia-hora, optando por cumprir o compromisso do jogo, apresentando os cartões de cidadão.

“Fica assim esclarecido que, ao contrário do que veio na comunicação social, a equipa não jogou à revelia do presidente, já que este nem se dignou a aparecer ou a comunicar, de alguma maneira, a sua intenção de a equipa não ir a jogo”, defendeu.

Os pais dos jogadores da equipa ainda tentaram posteriormente reunir com o presidente do clube a fim de esclarecer a questão, mas não foram recebidos. “No dia seguinte, sem ter sido dada qualquer explicação ou aviso prévio, saiu um comunicado da Associação de Futebol de Santarém referindo que a equipa de juniores do Clube Atlético Ouriense teria desistido de todas as provas oficiais em que se encontrava”, afirmou o jovem.

Lamentando o fim de um projeto que todos ajudaram a desenvolver, a declaração terminou com a manifestação da vontade de repor a “verdade” perante o caso da extinção da equipa de juniores do Atlético Ouriense. O presidente do município, Paulo Fonseca, manifestou o apoio à causa dos jovens, mas sendo o Atlético Ouriense uma instituição exterior à Câmara esta não pode interferir na sua “esfera interna”. “Ficamos tristes e pesarosos”, sublinhou o autarca, explicando ainda que os apoios que o município dá às associações são em função das suas atividades. A carta da equipa ficou registada em ata.

O mediotejo.net contactou o presidente do Clube Atlético Ouriense, João Sousa, a fim de pedir um contraditório sobre o caso. O dirigente informou que não faz quaisquer comentários, uma vez que não pretende discutir o caso em praça pública.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome