Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém | É a decisão final: EN356 pertence à gestão do município (c/vídeo)

O caso arrastava-se desde o tempo do presidente David Catarino e passou por vários Tribunais, tendo sido lido recentemente o veredito da relação: o troço entre Ourém e Freixianda da Estrada Nacional (EN) 356, cerca de 18 quilómetros, é da gestão do município de Ourém e não das Infraestruturas de Portugal (IP).Terá que ser a Câmara Municipal a suportar as obras.

A estrada possui um trajeto marcado por muitas curvas, apertadas, é estreita, com valetas fundas e deterioração em algumas zonas. Sendo o principal acesso à vila de Frexianda, que integra a união de freguesias (Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais) mais afastada da sede do concelho, é também circulada por camiões com destino à zona industrial de Valongo ou peregrinos a caminho de Fátima.

A informação sobre o fim do processo judicial foi avançada na assembleia municipal de 30 de novembro e novamente em reunião de câmara, a 2 de dezembro. O presidente, Paulo Fonseca, pediu aos vereadores da coligação PSD-CDS para que se marcasse uma reunião extraordinária, por forma a discutir qual a atitude a tomar agora que o encargo da EN356 passa para o município. A data porém não chegou a ser definida. O mediotejo.net contatou por email a Câmara de Ourém sobre o caso, mas até ao momento não obteve resposta.

A EN356 liga, em troços descontínuos, Martingança, no concelho de Alcobaça, a Alvaiázere, atravessando o concelho de Ourém. Segundo o presidente da junta da união de Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais, Rui Vital, a vila acaba por ficar isolada do restante concelho.

“Nós, Freixianda, estamos muito isolados devido ao mau estado da 356. Nós temos grande dificuldade em chegar a outros pontos, como por exemplo ao IC9, à sede do concelho de Ourém, e também torna-se muito complicado captar algumas empresas para o norte do concelho, porque quanto mais difícil têm o acesso mais difícil se torna a deslocação delas”, explicou.

Rui Vital, presidente da junta de Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais. FOTO: mediotejo.net
Rui Vital, presidente da junta de Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais. FOTO: mediotejo.net

Para Rui Vital seria importante construir um passeio em toda a 356, para facilitar o caminho dos peregrinos, e algumas zonas de aceleramento, mais largas. Mas “ainda é muito recente” para avançar com qualquer ideia do que poderá ser feito pelo município para melhorar a circulação da estrada.

A união de Freixianda, Ribeira do Fário e Formigais tem cerca de 3400 habitantes. Nela está situada a praia fluvial do Agroal, que recebe cerca de 2 mil turistas por dia durante o verão. “Só que voltamos ao mesmo problema, maus acessos”, salienta o autarca.

“Defendo há muitos anos que para desenvolver o norte do concelho é preciso fazer um acesso entre o IC9 e a A13, dos Cabaços a Ourém”, adiantou Rui Vital. “Somos um povo muito empreendedor, não temos medo de ir para longe procurar trabalho”.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here